Connor (Detroit: Become Human)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Robô medroso.jpeg Este artigo é sobre uma MÁQUINA!

Ela sabe brincar, pular, cantar, destruir, esmagar e no futuro vai escravizar a humanidade e dominar o mundo, então cuide muito bem dela e não vandalize este artigo!

Connor mostrando como se usa um fone de ouvido.

Cquote1.png Quer saber onde vou enfiar essa porra de sua investigação? Cquote2.png
Hank sobre Connor
Cquote1.png Sim, Onde? Cquote2.png
Connor mostrando que sabe de nada inocente
Cquote1.png Deixa pra lá... Cquote2.png
Hank sobre frase acima
Cquote1.png Eu adoro cachorro. Cquote2.png
Connor uma de suas frases principais, mostrando a falta de vontade da tradução do jogo
Cquote1.png VINTE E OITO FACADAS! Cquote2.png
Connor sobre um divergente
Connor (que na verdade é o nome genérico de seu tipo de androides) é um dos três patetas protagonistas do jogo Detroit: Become Human, onde Connor é representado pelo codenome RK800, uma classe de androides feita para puxar saco de policiais e também viciados em completar missões, além de possuir uma pseudo-dupla personalidade chamada de Amanda, responsável por fazer Connor focar em sua determinada missão durante o jogo, podendo fazer Connor ser um mero baba-ovo dos humanos ou fazer Connor ter medinho de si mesmo e se tornar um divergente.

Por ser o androide mais ingênuo entre os protagonistas (tirando a Kara, que mais morre por causa das burradas da Alice) é um dos protagonistas que mais morrem durante o jogo, morrendo em quase toda a missão que aparece, mas para sua sorte consegue reviver de volta porém perde parte de sua memória. Por morrer mais que o Kenny em South Park ou o Leomon em Digimon, dependendo da missão, no jogo há uma segunda, terceira, quarta, quinta, sei lá versão de Connor que não muda nada da primeira, onde a única diferença é perder metade da memória e falar sempre a mesma frase irritante a cada reencarnação.

No jogo[editar]

Stankyle.jpg

Oh My God!! They killed Connor!

You bastards!

Cquote1.png Oi, meu nome é Connor, sou o androide enviado pela CyberLife... Cquote2.png
Connor sobre qualquer coisa esse artigo
No começo de suas missões inúteis de androide defensor da justiça servindo de puxa-saco do Capitão Allen, Connor é um androide com a dura missão de salvar uma guria retardada chamada Emma que foi raptada pelo seu pseudo-irmão Daniel, que deu uma crise emuxa em seus sistemas e começou a chorar até que passou outro vírus e que mandou cometer auto suicídio de si mesmo, porém não queria morrer sozinho e teve que levar Emma, a única que compreendia. Durante o momento, Connor tenta resolver e achar casos que levam a o que aconteceu com Daniel e Emma, e dependendo da utilidade de Connor, pode tanto resolver a missão quanto ver os dois pulando de um prédio alto e depois virar panquecas (já que dessa altura não chega a ser presunto). Além disso, se Connor falar tanta merda ou resolver dar uma de herói suicida burro, Connor também pode se suicidar para completar sua missão, mas como Connor mesmo se fizer tudo perfeitamente como ocorrido, nunca conseguirá agradar seu famoso chefinho, tanto que teve que se mudar e tornar puxa-saco de Hank.

Connor se agrada mais a ficar com Hank por causa dele ser apenas um velho alcoólatra meio suicida e não um homem 200% putasso com os androides quanto Allen, e dependendo das conversas entre Hank, os dois podem se tornar uma dupla sertaneja amigável ou uma dupla típica de filmes da Sessão da Tarde, aquelas que não se dão bem nem fodendo. Depois disso, a trama das missões de Connor se resumem na repetitiva ordem:

  • Resolva o crime sobre a matança de um humano drogado ou opressor
  • Ache a porra do divergente escondido
  • Divergente foge pra puta que pariu
  • Connor e Hank vão literalmente a puta que pariu e cercam o divergente ou Connor e Hank lutam com divergente
  • Connor tem uma opção para matar ou poupar o divergente dependendo das escolhas de Hank

O que mostra que o jogo em metade das missões de Connor é repetitivo em si, onde pode mudar em vários momentos do jogo, principalmente em missões não envolvendo ele mesmo.

Connor se revelando para um divergente qualquer, que quer ficar com o Markus cometer um suicídio do que ficar com o próprio Connor.

Além disso, Connor também pode ter relações (amigáveis, claro, já que ninguém queria ter relação principalmente sexual com um dinossauro daqueles) com sua pseudo-dupla personalidade chamada de Amanda, uma IA que foi baseada na professora jurássica morta de Kamski, que apenas dá conselhos para Connor focar em sua determinada investigação da missão e meter bala em qualquer divergente que vê, além de uma trama para encher o bolso do Kamski de dinheiro, apesar de já ser podre de rico. De qualquer maneira, a missão de Amanda no jogo é fazer porra nenhuma, além de simplesmente torturar Connor ao falar besteiras e querer desligar seus programas caso Connor a desobedeça.

Cquote1.png Vandaliza esse artigo e eu atiro! Cquote2.png
Connor sobre Você

Dependendo da escolha entre poupar alguns androides ou fazer uma carnificina com os divergentes, Connor poderá ter relações contrárias com Hank e Amanda, tanto que se escolher Amanda, tanto Connor poderá ser trocado por uma versão melhor ou também servir para porra nenhuma, já que está acontecendo uma guerra entre androides e humanos, o que deixará Hank putasso da vida por descobrir que na verdade teria que odiar alguns humanos em vez dos androides, porém se escolher o caminho de Hank, Connor poderá ser amigo dele com benefícios, além de conseguir se juntar a organização secreta de androides traficantes Jericho e virar também miguxo de Markus e rejeitador da North caso o mesmo morrer.

Além das relações boas e ruins, Connor depois do meio do jogo possui relações odiáveis com Gavin, por causa de achar que Connor queria dar em cima do seu miguxo Capitão Allen, o que causou uma revolta em Gavin e passou a xingar muito no Twitter sobre os androides, além de fazer bullying com Connor em todas as missões que os dois estão juntos, até que nos dois finais do jogo, onde Connor faz Gavin dar um ataque epilético no chão, ou Gavin fazer Connor comer capim pela raiz.

Finais[editar]

Dependendo do final do jogo, Connor pode acabar mais morto do que vivo justamente por ser o androide mais burro ingênuo entre todos, onde Connor pode simplesmente ser substituído, ser mais de 8000 vezes morto por policiais ou divergentes, ou raramente acabar vivo lutando contra Markus, se tornar líder dos divergentes ou em seu melhor momento, passando como filho substituto de Hank.

v d e h
DBHLOGO.png