Conspiração unitária

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Este artigo é relacionado à história.

E vive a American Way of Life

Abraham Lincoln a cores.png
Alien.gif
T O P | S E C R E T |!
Alien.gif

Atenção! Este artigo é sobre uma teoria conspiratória, então tome cuidado com o conteúdo que estiver lendo.

Lembre-se de que o 11 de setembro foi uma farsa armada pelo governo.

A conspiração unitária, também chamada de conspiração de um homem só ou conspiração individual, é uma forma de conspiração criada e movida por uma única pessoa. Ela é iniciada quando a pessoa quer criar uma revolução, ou seja, a pessoa conspira sozinha contra outras pessoas ou contra si mesma. Muitas vezes, o motivo da conspiração unitária é a falta de atenção que algumas pessoas sofrem. Isso ocasiona um sentimento revolucionário na mente dessas pessoas. Outras ocasiões, a pessoa simplesmente quer fazer um golpe de estado, para retirar alguém do cargo desejado ou retirar alguém da família de casa. Quando uma pessoa mora com outra pessoa, e já não está mais tendo condições de viver em paz, ela conspira contra a outra pessoa. Significa que ela conseguiu motivar 50% da casa a expulsar a tal pessoa. Muitas vezes, algumas pessoas conspiram contra os animais de estimação, na falta de uma pessoa para ser expulsa.

Um antro de pesquisas uniconspiratórias.

Casos importantes[editar]

Os casos a seguir são os registros mais importantes de conspirações unitárias.

Ivan Penin[editar]

Esse fato aconteceu na Rússia, no ano de 1882. Ivan morava sozinho, em uma casa na região de Engov. Ivan era uma pessoa deprimida, sempre tendo acessos de raiva. Um dia nem ele aturou a chatice intrínseca e resolveu conspitar contra si próprio. Ele conseguiu expulsar ele mesmo de sua casa. Foi o primeiro caso de uma conspiração individual bem-sucedida dos tempos atuais.

Jean Roubién[editar]

Um conspirador individual tramando um plano

1549, Paris. Era tempo de caça às bruxas. Jean se identificava como O Matador de Feiticeiras, apesar de nunca ter encostado em uma. O povo já estava furioso com essa história de caça. O governo francês já estava aderindo à política de paz, mas Jean continuou relutante quanto ao assunto, afinal ele perderia todo o seu prestígio. Toda a França já havia proibido qualquer assunto relacionado com bruxas. Jean, insatisfeito, convocou a si mesmo para desbancar o governo e expulsar todo mundo. Ao fim da "revolução", os únicos expulsos da França foram os conspiradores, ou seja, somente Jean.

O caso da fazenda[editar]

Era manhã de domingo, em uma ensolarada tarde de sexta-feira. O tempo estava muito chuvoso naquele dia. A cidade onde ocorreu esse acontecimento foi Bocasuja, no interior de Deserto do Atacama. Nessa região já não chovia há mais de 20 anos. Um fazendeiro da região estava preocupado, pois seus animais estavam dando muito prejuízo. Ele organizou um atentado na própria fazenda, assim conseguia um belo seguro, além de se livrar de todo o prejuízo que ela estava causando. Foram anos de organização do plano terrível, com o auxílio dele e dele mesmo. O que ele não imaginava é que os animais já haviam conspirado muito tempo antes, e naquela manhã os animais resolveram acabar com o impasse - por 10 votos a 1, o fazendeiro foi expulso. A data e o nome dos envolvidos é um mistério.

Artigos relacionados[editar]