Copa São Paulo de Futebol Júnior

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Aviso importante: Futebolismo aqui NÃO, cazzo!
A Desciclopédia é um site de humor, logo, NINGUÉM aqui se importa pra quem você torce, seja o Coritiba, o Atlético Paranaense ou a Portuguesa. Seja engraçado e não apenas idiota.
Seleção Brasileira, fazendo o jogo de abertura da Copinha.

A Copa São Paulo de Futebol Júnior é um campeonato caça-níqueis de verão organizado pela Federação Paulista de Futebol em parceria com a Rede Globo com o objetivo de faturar as custas dos fanáticos por futebolismo na entressafra do futebol dito "profissional", sendo um campeonato de verão que em teoria terminaria no dia 25 de janeiro, data de aniversário da cidade onde se teria a base de tal campeonato de futebol de botão.

História[editar]

O torneio surgiu em 1969, numa tentativa dos clubes paulistas darem um arrego para que os jogadores profissionais do naipe do Pelé pudessem evitar a fadiga por conta do calendário, que com o advento do Torneio Roberto Gomes Pedrosa se tornou bem mais apertado, fazendo com que nessa toada, a antiga Taça Brasil fosse para a conta do papa e se tivesse um espaço privilegiado para os aspirantes a marcar espaço no futebol dito profissional, ainda que os mesmos ficassem só na base do treinamento das categorias de base no restante do ano.

Como o campeonato se mostrou de bom resultado financeiro, times do Brasil inteiro resolveram abarcar em tal caça-níqueis a partir de 1971, fazendo com que tal campeonato, inicialmente destinado aos aspirantes de drogas futebolísticas de São Paulo passasse a ter aspirantes do país inteiro, alimentando as grandes aspirações futebolísticas do país, que tinham se reforçado com o tricampeonato da Seleção Amarelona no ano anterior, virando uma versão mini-mim do Campeonato Brasileiro de Futebol, que teria a sua "primeira edição" naquele ano, destinada a revelar os perebas bem relacionados que são colocados como os novos multimilionários na base de chutar uma bola dentro de um campo de cerca de um hectare de área durante pouco mais de 90 minutos.

A Copinha, como é chamada, na ânsia de faturar, convidou também equipes de fora do país para participarem da disputa, sendo essa onda aberta pelos juniors do Bayern no distante ano de 1985 e mais tarde chamando competidores de clubes japoneses, do Boca Juniors, do Peñarol e do Cerro Porteño já na década de 1990 (entre 1993 e 1997, para sermos mais exatos), sendo que nessa época também foram chamadas as seleções sub-20 dos japas e dos chinas, sendo que como todos esses times acabaram caindo logo na primeira fase sem permitir ganhos vultosos para os organizadores, a ideia acabou por ser abandonada... Até 2010, quando os sauditas usaram o dinheiro faturado a partir do petróleo para pagar por uma vaga para o Al-Hilal que infelizmente não conseguiu passar da primeira fase também, sendo que só em 2014 (no ano do histórico #7x1foipouco) que um time (o convidado Kashima Reysol) conseguiu transpassar a barreira da primeira fase.

Há poucas informações quanto a efetiva efetivação dos jogadores que participaram de tal copinha nos times profissionais em que atuaram, sendo que esses verdadeiros Times B no geral só servem para fazer a felicidade de agenciadores proxenetas que vivem de faturar as custas da putaria do futebol, onde rolam as exibições na Rede Vida bem como verdadeiros Testes do Sofá e provas do sabonete no vestiário.

As partidas[editar]

O nível de qualidade das partidas é tão baixo que faz os jogos de futebol feminino parecerem um clássico do tipo Real x Barça. 90% das jogadas não são planejadas e dão errado, sendo os outros 10% resultado da mais pura sorte. Não é raro presenciar uma furada, um frango do goleiro, um escanteio batido errado (é preciso ser uma besta quadrada pra não saber cobrar a porra dum escanteiro), uma reversão de jogo e outras besteiras, sendo que os últimos minutos da partida são intermináveis, porque dá um surto de câimbras em ambos os times e toda hora a equipe médica tem que entrar para atender alguém. E isso são os jogos da fase final, porque na fase de grupos, a situação é ainda pior, com os time do eixo sul-sudeste brincando de jogar com os das outras regiões, exceto os clubes grandes como Crugayro e Patético Mineiro e aqueles melhorzinhos como Ixxpórti, Baêa, Gaysandu, Gayás, etc. Ás vezes o jogo consegue ser tão horrível que a gente se pergunta se na hora do intervalo deixaram os jogadores nos vestiários e colocaram os roupeiros para jogarem no lugar.

Jogadores[editar]

Os jogadores que disputam o torneio são jovens e adolescentes, sendo a maioria de origem mais humilde, condição na qual eles são mais fáceis de serem explorados pelos empresários almejam muito virarem futebolistas profissionais para ajudarem a família a sair da sua condição difícil, leia-se miséria.

Transmissão[editar]

Os canais que transmitem os jogos da Copinha são os piores possíveis, sendo que a maioria não tem nem sinal digital e só dispõem de uma ou duas câmeras para filmar as partidas, sempre dando zoom nos técnicos, na torcida ou qualquer outra porcaria que seja mais interessante que os jogos e quase perdendo as (poucas) melhores jogadas. Os narradores são uns malas que ficam o tempo todo fazendo merchan de produtos que ninguém compra ou lendo os comentários idiotas dos telespectadores que perdem seu tempo mandando mensagem no site da emissora. Exemplo desses canais são Rede Morte, TV Pau-Brasil e Erreidetv!.

Ás vezes, eu disse, ás vezes, uma emissora de médio/grande porte como a Band ou a Record transmite a final ou as semis.

Torcida[editar]

Quase ninguém vai assistir aos jogos, afinal quem é que vai se interessar em deslocar-se de sua residência e pagar 30 contos pra ver seu clube do coração enfrentar um timeco de Rondônia? As arquibancadas são quase todas compostas por olheiros, funcionários do estádio e torcidas organizadas que apoiam o seu time em qualquer situação, mesmo que tenham que viajar o país inteiro desembolsando uma fortuna apenas para presenciar uma humilhante goleada do adversário.

Campeões[editar]

Year Champion Runner-up
1969 PCC Nassional (SP)
1970 PCC Suínos
1971 Flumerdense Botaflor
1972 Playsson Intra
1973 Flores PCC
1974 Interzinha Ponte Macacada
1975 Eclético Mineiro Turma da Morte
1976 Acrático Galinheiro DE NOVO
1977 Frominense Xico
1978 Interchational DE NOVO
1979 Marília Gabi GabriHerpes CBFlorzinha
1980 InterPACional Galinho Chicken Little
1981 Racistas Boiolas do Telê
1982 Cota Racial Sardinhas
1983 Menecléticos Marcelo Adnet
1984 Atum VICE DE NOVO
1985 Os Travessos Tupi FM
1986 Floresta Monte Preta
1987
Não teve
1988 Nacional Paulista América Paulista
1989 FluminenSTJD Molecada da Rua de Baixo
1990 Gáviados Juventude
1991 Dener Gr-EMO
1992 Vice Campeão Vice do vice
1993 Santo Paulo VICE MAIS UMA VEZ...
1994 Amoroso Bambicada
1995 PCC Pontinha
1996 Pão de Queijo Cu de Queijo (receita especial)
1997 Lousano Paraguaio(1) Invasão dos Baianos
1998 Il' ternacional Porta preta
1999 PCC Vice Natural
2000 Gaiolas Travessuras
2001 Romã Barueri(2) Sarx Paul
2002 Portuguesa de DESportos Du, Dudu e Edu
2003 Santander Marcos Palmeira
2004 ANALFABETOS FC Bambizinto
2005 ANALFABETOS FC Internacional
2006 Zerado Chorões de Ribeirão
2007 Cruzada Levou a cruzada
2008 Fisgado Rio Tietê
2009 Perdidos FC Atlético Paraguaiense
2010 Coloridos FC Neymar
2011 FAILmengo Báêa
2012 Gambás Pó de Arroz
2013 Sereias da Vila Leandro e Leonardo
2014 Baleias Assassinas VICE DE NOVO
2015 Marcola Fogo no Rabo
2016 Invasão dos Mulambos Equivalente paulista do Vasco na Copinha
2017 Pepe Le Pew Paulista de Jundiaí (desclassificado graças à presença maldita de um aprendiz de Sandro Hiroshi) Vice repassado às Batatinhas Ruffles
(1) É a droga do Paulista Futebol Clube.
(2)É a droga do Grêmio Recreativo Barueri.

Curiosidades[editar]

Broom icon.svg
Tua mãe desencoraja seções de curiosidades, mas nós não ligamos a mínima! Sob as políticas da Desciclopédia
Mas bem que esta seção pode ser aproveitada integrando-se piadas decentes às seções mais adequadas.
Cada curiosidade pode render uns bons parágrafos, então faça direito!