Coroinha

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Padrefilia

Cquote1.png Você quis dizer: Abuso sexual? Cquote2.png
Google sobre Coroinha
Cquote1.png Experimente também: Micareta Cquote2.png
Sugestão do Google para Coroinha
Cquote1.png Paga-pau! Cquote2.png
Ateu sobre Coroinha
Cquote1.png Paga-pau! Cquote2.png
Padre sobre Coroinha
Cquote1.png Paga-pau! Cquote2.png
Coroinha enciumado sobre outro coroinha


Coroinha é um termo usado para descrever a pessoa que acumula a função de auxiliar do padre durante as missas, assim como a função de prestar alívio sexual aos sacerdotes em seus momentos de lazer.

Descrição da Função[editar]

Monsenhor Luiz Marques Barbosa, demonstrando seu carinho pelos coroinhas

Os coroinhas (do latim "pueri chori", ou "menino do coro") são conhecidos formalmente como "acólitos extraordinários" em virtude de suas capacidades extraordinárias para ignorar os chatíssimos sermões ministrados dentro das igrejas. O único requisito técnico para ocupar a posição de coroinha é um teste de elasticidade bucal, onde o candidato deve provar-se capaz de segurar dentro de sua boca, ao mesmo tempo, um pepino e duas laranjas de tamanho médio.

Os coroinhas novatos são identificados pelo uso de túnicas brancas (evitando manchas indesejáveis após o bukkake na sacristia). Por outro lado, coroinhas mais experientes se diferenciam dos neófitos através de suas batinas vermelhas denominadas com o sugestivo nome de "roquete" - sendo assim, todo padre que botar os olhos em um roquete fica imediatamente ciente da competência desses habilidosos indivíduos, reconhecidos por serem capazes de auxiliar múltiplos padres ao mesmo tempo.

De qualquer forma, dificilmente você reconhecerá um coroinha fora desses trajes devido a sua habilidade ninja de camuflar em meio ao povo - exceto é claro, se o coroinha em questão resolver abrir a boca para falar sobre QUALQUER ASSUNTO, uma vez que seu fundamentalismo religioso contamina seu discurso e pode ser facilmente identificado por um indivíduo minimamente inteligente. Caso o fundamentalismo não apareça nos dois primeiros minutos de conversa, outra boa dica para identificar coroinhas é ficar atento aos comentários acerca do tamanho do bíceps do padre local.

A personalidade desses seres é tratada psicologicamente como bipolar. Se por um lado agem socialmente como conservadores extremos que condenam abertamente tudo aquilo que entra em conflito com os dogmas da religião que seguem, por outro lado são capazes de safadezas de proporções bíblicas quando a luz é apagada. É muito comum acreditar que coroinhas são criaturas passivas, mas na verdade muitos deles são ativos e existem evidências que indicam que eles tem conexões satânicas que os ajudam a manipular o Vaticano por baixo dos panos sendo hoje, muito provavelmente, o verdadeiro poder por trás do trono de São Pedro.

Ligações externas[editar]

No fundo da foto podemos ver um coroinha de costas, usando uma camiseta branca