Coronel Fabriciano

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Galinhacaipira.jpg Enxada-2.pngEsti artigu é caipira, sô!!Enxada-1.png

Este tar di artigu pareci caipira, foi escritu purum caipira, ô ele é de fato
CAIPIIIIRRA!!!

Num istraga eli naum, si não nóis crava a inxada pra riba docê!

Gnome-searchtool blue.png Coronel Fabriciano é uma pequena cidade desconhecida.
Você pode estar perdendo seu tempo à-toa ao ler sobre essa joça.
Às vezes, uma criança atende na prefeitura.

Sciences de la terre.svg.png
60px-Bouncywikilogo.gif
A nossa sátira autorizada, a Wikipédia, tem um artigo sobre: Coronel Fabriciano.
Seja bem vindo à Coronel Fabriciano. FUJA ENQUANTO PODE!

Cquote1.png Eu sou + Fabri Cquote2.png
Cidadão de Fabriciano escondendo as lágrimas.
Cquote1.png Bola pro mato que o jogo é de campeonato! Cquote2.png
Jogo do Social.
Cquote1.png Lá fede Cquote2.png
Ipatinguese sobre Coronel Fabriciano.
Cquote1.png Fede mesmo! Cquote2.png
Timotense sobre Coronel Fabriciano.
Cquote1.png Nenhum resultado encontrado Cquote2.png
Google sobre Coronel Fabriciano.
Cquote1.png Google imprestável... Cquote2.png
Wikipédia sobre citação acima.

Coronel Fabriciano é uma cidade do interior de Minas Gerais conhecida pela econômia dinâmica que tem, graças aos inúmeros puteiros.

Geral

Filme sobre a história de Coronel Fabriciano

Coronel Fabriciano, conhecida também como Pantanal na época das chuvas, (Fabri, para os íntimos) é uma cidade que fica no leste de Minas Gerais, quase chegando na praia de Copacabana.


O lugar mais fedido do planeta terra. É conhecida por não ter nada de interessante, além dos puteiros. No último senso de 2004 foram registrados 220 puteiros, 350 lan houses, 439 casas da mãe Joana, 690 zonas e 24 casa de swing GLs.

Fabri não tem importância alguma, sobrevive pelo simples fato de residir no meio de duas outras cidades que produzem aço, porém uma indústria que caracteriza o cheiro da cidade é a Pipocas Plinc, que consegue expelir um leve aroma delicioso, que chega a encantar os visitantes.

Fabri também é conhecido como uma cidade universitária, que tem excelentes universitários, como eu que aqui estou sentado em um dos laboratórios de informática jogando tempo fora com este artigo ao invés de terminar meu trabalho sobre Circuitos elétricos.

Fundador da cidade, chegou por volta de 1500 e Guaraná com rolha.

Outra Grande característica de Fabri é o fato de já ter sido apresentada como a cidade que tem o maior índice de aidéticos no país, renomados cientistas políticos atribuem este fato como consequência do alto número de puteiros e afins, mas nós, bons e safados fudedores de Fabri não concordamos com isso.

A megalópole em questão tem apenas 3 escolas de segundo grau (antigo ensino médio): Estadual (entra burro e sai MOBRAL), João Calvino (entra gordo e sai fino) e Angélica (em homenagem à esposa do Luciano Huck, mas que não dá rima!).

Apesar da ínfima população, a capital do Vale do Aço possui um cem número de rádios. As profanas (que são legalizadas) e as evangélicas (todas piratas e legalizadas também).

O dono da cidade: Coronel Fabriciano

Início

A cidade teve origem na comunidade que cresceu (cresceu?) à beira do córrego do Calado. Então, nada mais tocante do que chamar o lugar de Calado. Daí, surgiram índios localizados em pontos distantes do centro do Calado e que logo reivindicaram o nome, porém, como eles eram os antigos habitantes do lugar, o lugar distante habitado pelos índios, quase no bairro Esperança em Ipatinga, recebeu o nome de Calado, porém, no aumentativo: nascia o Caladão (quanta originalidade!!!). Não satisfeitos, operários proletários indefesos assalariados da Usiminas, que moravam em outro ponto distante, à Leste de Fabriciano, também queriam um nome para a sua comunidade. Graças à imensa capacidade de arrumar um nome esdrúxulo e de tamanha originalidade, os operários logo nomearam sua comunidade de Caladinho. Como tudo que é ruím pode piorar ainda mais, a alguns operários não se deram por satisfeitos, sobretudo porque havia divisão entre os 'caladinhenses', de forma que um morador da parte alta não poderia namorar uma garota da parte baixa do Caladinho. Essas e outras celeumas causaram a Guerra dos Caladinhos, levando à separação, independência, emancipação e divisão do Caladinho em 3 outras comunidades, considerando a altitude que eles tinham em relação ao nível de Guarapari (a cidade-território de MG no ES). Estavam formados o Caladinho-de-cima, Caladinho-do-meio e o Caladinho-de-baixo.

Tropa de guerrilheiros do Caladinho-de-Baixo, durante a Guerra dos Caladinhos.

O local em que se deu a Guerra dos Caladinhos tornou-se então amaldiçoado. O local atualmente fica localizado em frente à Unileste, antiga ICMG, antiga PUC, antiga UCMG, antiga Universidade do Trabalho. Fica do lado de uma favela. Nos anos 70 havia um brejo que servia de praia aos mais pobres (que não podiam nem pagar um trem regado a farofa pra Guarapari), porém, o brejo não foi adiante, secou e virou campo de futebol no início dos anos 80. Os jogos no local eram difíceis de jogar, quanto mais de assistir. Logo em seguida, ainda nos anos 80 o local virou uma pista de motocross! Uauuuuu nem Ipatinga tinha isso!!! Mas, dado o nível elevadíssimo das competições, causado pela pista de trajeto icosaédrico-trigono-coseno-tangente, muitos acidentes aconteceram no local, vitimando os pilotos Paulinho Kobaiashi, Nick Heidefeld, Roland Hatzemberger e Paulo Rossi (primo do hoje famoso Valentino Rossi). Por isso, nos anos 90 aquela área voltou a ser um 'lugar pra boi dormir'. No entanto, a redenção estava por vir. Eis que por ordem de algum ser iluminado e de intenções puras plantou no local uma grande placa: "Aqui será o Shopping 3 Cidades. Com 2 andares de garagem (não se sabe pra quê), 6 salas de cinema (2 só pra filmes pornô, outra pra filmes de Jackie Chan, Chuck Noris, Charles Bronson e Steven Seagal)". Os operários dos Caladinhos acreditaram piamente naquela placa-promessa. O prefeito então mandou buscar escavadeiras com carreata e foguetes. A construção do Shopping 3 Cidades levou um município da grande Fabriciano, Ipatinga, a se contorcer de inveja e isso causou uma reação sem maiores proporções: a construção em tempo recorde do Shopping do Vale do Aço naquela cidadezinha, com pequeno, porém, singelo apoio da Usiminas. Enquanto isso, no lugar amaldiçoado pela Guerra dos Caladinhos, as máquinas pararam de trabalhar, os pedreiros sumiram, alguém na história (que não é morador de Fabriciano, claro!) trocou de carro e de casa e sumiu do mapa naquele ano de 97 e no lugar do Shopping 3 Cidades apareceu um dos maiores monumentos em concreto armado do mundo: o Shopping 3 pilares, em alusão aos 3 pedaços de concreto que restaram, monumento hoje mais visitado do que as pedrinhas do Stonehenge na Inglaterra ou as ruínas Aztecas, no México. Em Fabri não existe area plana só favelas e mais favelas, considerada como a cidade mais feia do Vale Do Aço, alias ninguem sabe por que ela é do Vale Do Aço não produz nada, vive nas costas de Ipatinga e Timóteo.

O Paraíso das Placas

Ônibus que circula na "cidade"

O prefeito (que não cursou nossa umildi univercidade) se orgulha por ter botado 2 zilhões de placas anunciando obras por toda parte! "É obra pra todo lado." afirma tal impropério! O que gerou controvérsias se estas realmente Existem ou seria legítimo mudar a propagando para "É placa pra todo lado, amigo! Se bobear finco uma no teu quintal!"

Descobriu - se que 99,87% das placas são: "obra:LIMPEZA DE BUEIRO". Limpar bueiro não é obra, se limpar fosse obra, as empregadas da casa dele, iam ganhar por empreitada! Mas você faz muitas obras amigo! estilo barroco, claro.

Política

Caminhoneiro Fabricianense, revoltado com a política brasileira.

Chico "Doido" Simões é o Prefeito dessa cidade. Auxiliado pelo vice-prefeito que também é conhecido como o padeiro mais rico da região, formando um império alimentício no Vale do Aço. Os dois trabalham e trabalham mas não fazem nada pela cidade.. investem em ruas e tenta arrumar mas acabam ficando emburracadas mais ainda igual a perna da Tiazinha!!! Acham que o povo de sua cidade merecem viver na roça, apesar de não ser mentira!!!

Putz!!quanta merda!!num lugar só ¬¬ pragas mentirosas Coronel Fabriciano não é isso tudo, abaixa o grau, invejosos! aloprados! noiados! xD

E o povo é tão idiota que já tem 2 mandados que o Chico "Doido" é prefeito; esse povo tem que se fuder mesmo cambada de IDIOTAS...!

Emprego

Cerca de 99,1% da população sai de lá para trabalhar na grande cidade da Região Ipatinga. E a típica migração da Roça para os Centros urbanos. Resumindo Fabriciano e uma ..............................!!!Sem comentarios!

Transito

Frenético Transito de Coronel Fabriciano

População

Típico Barraco Fabricianense.

A população de Coronel Fabriciano sofre com altas taxas de baixa estima, já que são constantemente ofendidos pelos cidadãos de Timóteo e Ipatinga. A população é dividida da seguinte forma:

-Pessoas que sonham em morar em Timóteo:-141%

-Pessoas que sonham em morar em Ipatinga:75%

-Pessoas que vivem nas ruas:51%

-Pessoas que vivem na ponte entre Coronel Fabriciano e Timóteo:86%

-Pessoas que já desistiram de sonhar graças ao ar da cidade em que vivem:47,83% (Dados retirados da prefeitura)


Não podemos esquecer também de resaltar a porcetagem quanto a divisão socio-economica desta grande cidade: - 50% pobre - 45% pobre que tira onda de rico. - 5% ricos (em geral os que estão envolvidos com política)

Profissões em Coronel Fabriciano

30% vai pra Ipatinga trabalhar na Usiminas, Usimec, Usipa, Usimed, Usigal, Usiparts, Usicaralho a 4. 30% vai pra Timóteo trabalhar na Acesita, ops Usinor, ops Arcellor, ops Arcellor Mittal, ops Arcellor Mittal Timóteo, ops Arcelor Mittal Inox Brasil. 39,982% são ladrão filho-da-puta desempregados. O resto é composto por prostitutas e cafetões.

Outras profissões são aquelas desenvolvidas em empresas de ponta da cidade tais como o La Paloma (um legítimo representante palíndromo - leia de trás pra frente pra entender) e o Mineirão, ambas empresas multinacionais com tentáculos em Ipatinga, Timóteo, oooops, Acesita, oooops, Acelor e adjacências) as quais prestam serviços de essencial importância dentro contexto social-financeiro-demográfico-plurianual. É comum essas empresas recrutarem rapazotes com espinha na cara para estágios por tempo determinado (ou indeterminado conforme a secura do estagiário). Uma vez aprovado no estágio, os rapazotes estarão prontos para trabalhar na Usiminas, Usimec, Usipa, Usimed, , Usigal, Usiparts, Usicaralho a 4. Ou seja, é Fabriciano fornecendo mão de obra especializada para o Brasil!

Esporte

Peladinha no "estádio" do Social.

O Time mais conhecido da cidade - e único - é o Social (que de social não tem nada. Aliás, é formado por mototaxistas e por ex-jogadores dos times amadores da região e que, por recomendação médica, praticam algum esporte, dentre eles, o truco). As divisões de base são conhecidas por revelarem muitos jogadores, que se encontram desaparecidos, por sinal. Da última notícia deles consta que foram até à padaria comprar cigarros, mas nunca mais voltaram ou foram vistos. O time do Social tem uma grande e histórica rivalidade com o time vizinho: um grupo de meninos da rua de baixo que, vira e mexe, desafia o time do Social para um tira-teima. Ao todo, são 12 vitórias do Social, 10 dos moleques e 2 empates (a bola furou e não tinha mais como jogar). Hoje, o time do Social é patrocinado por grandes empresas e multinacionais: dentre elas, encontram-se camelôs, barracas de garapa e salgadeiras famosas da região. O time sempre recebe "bicho" quando vence uma partida. Na última, quando venceram o time da Associação dos Deficientes visuais do Vale do Aço (2x1), cada jogador ganhou R$ 3,00 e um refri 500 ml. O presidente do clube pensa em ampliar a capacidade do estádio de 10 para 15 pessoas: seria uma aumento considerável de 50%, uma construção histórica para a região. O craque do time é Reinaldo: 2 anos de experiência na categoria infantil do clube e 5 anos como office-boy, o que lhe deu grande agilidade e esperteza. O goleiro (mascote do time), comemorou no último dia 5 o nascimento da segunda neta. Dentre as contratações previstas, estão Kaká e Ambrosini, mas ainda estão em fase de negociações.


Relevo

Cotidiano Fabricianense

Morros, morros e morros ( Morro do Carmo, Serra Pelada, Pedreira, Morro São Francisco, Morro do Padre Rocha, Morro do Cruzeiro, do Atletico,do Social, do Ipatinga...etc...)

Bairros

Todos os bairros de Cel. Fabriciano desaparecem na época de chuva devido ao ótimo sistema de esgoto. Ver Bairro Giovanini

Foto de Coronel Fabriciano


Fabriciano tem um bairro mundialmente famoso por pertencer a Ipatinga. O Amaro Lanari fica há 2 dias de viagem de ônibus (se for Acaiaca são 4 dias), ou ainda 12 dias de canoa pelo Rio Piracicaba com direito ao cipó das 5 da tarde de graça até o 'centrinho' do bairro. Lá é possível notar que todos se orgulham de pertencer a Fabriciano e detestam ter que fazer um interurbano para a querida cidade, uma vez que só Ipatinga que conseguiu desbravar os caminhos logínquos e levou ao bairro o aparelho do Grambell. Antes disso, a comunicação era realizado por sinais de fumaça, pombos (que nunca voltavam) e código morse. Hoje o bairro Amaro Lanari está plenamente adaptado às condições inóspitas de habitação: nas inundações pelo Rio Piracicaba, todos participam do plano de evacuação. Vai todo mundo para a parte mais alta do bairro e lá eles evacuam sem problemas. Uma grande redoma anti-inseto de filó foi instalada por um consórcio firmado entre as cidades de Ipatinga, Fabriciano, Santa Cruz de la Sierra (que faz divisa ao Oeste do Amaro Lanari) e Nairóbi (que faz divisa ao sul do bairro). O bairro passou a ter linhas de ônibus regulares para Fabriciano (a querida cidade a qual pertence) a cada 15 dias (isso é que é progresso!). E pra melhorar a situação daquele local, foi contruída a rodovia transmangueirana que (finalmente) liga o Amaro Lanari ao suntuoso bairro Mangueira, o último, ooops, penúltimo bairro de Fabriciano, conhecido em toda região pela produção recorde de mangueiras alaranjadas de 30 metros de comprimento para uso residencial. Mas, o Mangueira é uma outra história...

No outro Pólo da city tem o bairro mais famoso de --Fabri--: O Santa Cruz. Com uma arquitetura baseada no projeto da Rocinha no Rio, o Bairro, hoje, comanda o resto da cidade. Seu representante, Juvenal Antena, Vigia de cima tudo que acontece na sua melhor favela. A maior atração desse bairro são as balas perdidas que alguém sempre acaba achando. E o transporte para o bairro não podia ser melhor:

Horário de Ônibus:

Arquivo:Mu brasília.jpg
uma pobre vaca ao passar pelo bairro Santa Cruz, que é um dos melhorzinhos até, com a Av:Brasil o bairro ja vem sendo muito valorizado com varias lojas e um bando de mendigos

6:15 - Córrego Alto Via Santa Cruz.

6:16 Sylvio Pereira II via Santa Cruz.

6:17 - Santa Cruz via Santa Luzia (que bairro é esse???).

6:18 - Santa Cruz via Santa Cruz mesmo.

O próximo é só 7:15 quando repete todo esse ciclo.

Ruas

Metade das ruas tem nome de praia como: Guarapari, Copacabana, Itaparica e tem umas outras que tem nomes de países:Escócia,México,Venezuela,etc... só podia ser no bairro Santa Cruz (risca faca).