Correio da Manhã

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Cquote1.svg Autocarro se despista e causa tragédia em Lisboa: morrem dois avecs e uma pessoa Cquote2.svg
Chamada de capa do CM em um dia normal

Única capa do Correio da Manhã com conteúdo verídico.

O Correio da Manhã é um chouriço em forma de jornal, conhecido por ser o único pedaço de papel que, quando espremido, começa a derramar sangue e lágrimas. É o jornal mais vendido em Portugal, devido ao fato de ser o único ter pelo menos três páginas diárias reservadas para anúncios de putas e alguns travestis, facilitando assim a vida dos gajos que não possuem internet e não conseguem encontrar mais um orelhão por aí para consultar o número das damas. Apesar de ser o mais vendido, é o jornal em que os portugueses menos confiam, devido ao seu conteúdo extremamente sensacionalista e de veracidade extremamente dúbia.

Perfil[editar]

O Correio da Manhã foi criado para ser o Notícias Populares dos portugueses. A editora-chefe do Correio da Manhã é Sônia Abrão, e seguindo as directrizes impostas por esta, o jornal faz questão de torcer, retorcer e espremer ao máximo toda e qualquer notícia de tragédia ou morte, fazendo todo o furdunço possível e espalhando o terror e o pânico entre os gajos -- ou ao menos entre os poucos gajos que ainda acreditam na credibilidade do jornal, que não são muitos actualmente.

Além das notícias de velório, o Correio da Manhã também publica notícias sobre assuntos variados, como crimes, escândalos, assassinatos, genocídios, roubos, estupros, tiroteios... enfim, o conteúdo é bem variado, e atende aos portugueses que desejam se divertir com notícias alto astral pela manhã. As vezes eles até publicam notícias sobre o Porto e o Benfica, quando estes terminam suas figurações em competições internacionais, junto de uma foto de um torcedor chorando, só pra não fugir da pauta.

Linha editorial[editar]

A linha editorial do jornal é totalmente isenta. Não por não ter posição política, mas por ser um jornal isento de conteúdo. Como visto nos anúncios, o jornal considera que Portugal acaba em Coimbra e tudo acima é Galiza.

Conteúdo[editar]

Uma edição comum do Correio da Manhã sempre segue a mesma diagramação: a capa é dividida com metade do espaço sendo dedicada a um crime ou um acontecimento absurdo válido para vencer jornais, como um crime hediondo, um acontecimento extremamente raro como um bebé sem rosto, uma criança que nasce e precisa de um remédio que custa milhares de euros ou um incêndio florestal em algum lugar. A outra metade é dividida entre futebol e fofoca ou alguma novela. Virando para a segunda página, sempre há uma gaja com o mínimo de roupas possível, de preferência com as mamas à mostra, enquanto o resto é preenchido por notas celebridades. O artigo principal ocupa pelo menos três páginas, com uma opinião bombástica sobre o assunto em uma coluna de meia página na terceira página.

Humoristas Colunistas célebres[editar]

  • André Ventura: Revezava seu papel de palhaço na CMTV e CM com o de político populista.

Ver também[editar]

Correio da Manhã TV - o braço televisivo e igualmente sensacionalista