Corrida em Cadeira de Rodas

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
A vantagem do esporte é que ninguém precisa ter medo de quebrar as pernas.

A Corrida em Cadeira de Rodas (não confundir com Corrida de Cadeira de Rodas, explicada mais abaixo) é uma modalidade atlética paraolímpica, paraplégica e paranormal disputada exclusivamente por pessoas que não têm mobilidade nas pernas. O esporte é vedado a tetraplégicos, pois estes usam cadeiras motorizadas e seria covardia competir com os que não usam (embora estejam autorizados a participar das emocionantes competições de Fórmula Chair).

Tabela de conteúdo

[editar] História

Estátua de cera de Jesper Neta, o inventor do esporte, no museu de cera Madame Tussauds, em Londres.

O esporte começou a ser desenvolvido na Califórnia, mais precisamente na alegre cidade de San Francisco, onde os muitos morros propiciam uma descida veloz em veículos com rodas, incluindo bicicletas, skates e carrinhos de supermercado. Por isso, o ex-sapateador Jesper Neta, que perdera as duas pernas (e o emprego) num grave acidente envolvendo uma copiadora e uma caixa de sabão em pó, resolveu, numa sombria tarde de março, experimentar a sensação do vento batendo em seu rosto enquanto descia uma ladeira.

Por um erro de cálculo, o trajeto de Neta cortava a avenida mais movimentada da cidade no horário de pica pico, e um caminhão de quatro eixos com muito pouca consciência esportiva impediu que o corredor chegasse ao final do percurso (apesar de metade de seu braço esquerdo efetivamente ter terminado a prova a menos de quatro metros da linha de chegada).

Apesar do grave acidente e das centenas de quilômetros de engarrafamento causadas por ele, a população aleijada cadeirante da cidade percebeu que ainda podia, sim, viver emoções mais radicais que sessões de fisioterapia. Assim, pouco tempo depois, San Francisco viveu a maior onda de atropelamentos de deficientes físicos jamais vista em lugar algum do mundo, até que a recém-criada FODACE (Federação de Organização e Desenvolvimento do Atletismo em Cadeiras Especiais) resolveu estipular algumas regras básicas de segurança, como a criação de uma pista propícia para o esporte e a retirada de veículos pesados do percurso.

Hoje, 24 anos depois de criada, a FODACE promove e regula esse esporte que, ao lado do Badminton, foi apontado como o mais babaca e desconhecido já inventado.

[editar] Modalidades

Corredor usando um modelo mais moderno de cadeira.

Como em todo esporte que se preze, a corrida em cadeira de rodas é dividida em diversas modalidades que só servem para confundir e aumentar as chances de esportistas menos talentosos ganharem alguma medalha, nem que seja de cobre.

[editar] Livre

Em pistas planas, sem obstáculos, como no atletismo em que os corredores conseguem mover as pernas. Existem provas de 100m, 200m, 400m e 800m. Acima disso já são provas de longa distância.

[editar] Longa distância

Meia-maratona (21 km) e maratona (42 km), requerem cadeiras especiais, acolchoadas, para evitar assaduras nos participantes. São realizadas apenas em locais completamente planos (para evitar que um competidor mais pesado se favoreça numa descida) e afastados de cidades, já que a longa duração das provas (em média 24 horas para a maratona) obriga as ruas a permanecerem fechadas por muito tempo.

[editar] Com barreiras

Provas de 110m e 200m. Até hoje nenhuma foi finalizada, já que os competidores não conseguem saltar sobre as barreiras com suas cadeiras.

[editar] Slalom

Modalidade considerada mais tr00 pelos praticantes, é realizada numa descida com obstáculos. Vários competidores, depois de participar de muitas provas neste estilo, abandonam a corrida em cadeira de rodas e migram para a Fórmula Chair.

[editar] Sem passageiros

A modalidade mais babaca, também conhecida como Corrida de Cadeira de Rodas, consiste em simplesmente soltar as cadeiras numa descida. Às vezes costuma-se prender sogras às cadeiras, tornando a prova, além de mais divertida, um serviço de utilidade pública.

      • por favor não façam isso com os textos , precisamos copiar para as provas ,

[editar] Ver também

Seu Madruga jogando Rugby
Esportes que NÃO são futebol
v d e h


Amarelinha | Arco e Flecha | Arremesso de aviões em edifícios | Arremesso de Bebês | Atletismo | Badminton | Balonismo | Basquete | Beisebol | Bobsled | Bocha | Boliche | Boxe | Briga de Galo | Campeonato Mundial de Macheza | Campeonato Mundial de Par-ou-Ímpar | Campeonato Mundial de Poker | Canoagem | Carnaval | Ciclismo | Combinado nórdico | Corrida em Cadeira de Rodas | Cricket | Curling | Cuspe à Distância | Cyber atletismo | Dança no gelo | Decatlo Moderno Sobre-Humano | Death Rally | Dominó | Esgrima | Espancamento de mesas | Esqui | Explosão de caixa eletrônico | Frescobol | Fofoca | Fórmula 1 | Fórmula Indy | Futebol | Futebol americano | Futebol australiano | Futebol de botão | Futebol de salão | Futebol de botão de areia | Futebol de várzea | Futebol gaélico | Futebol marcial | Ginástica | Golfe | Halterocopismo | Halterofilismo | Handebol | Hipismo | Hot Wheels | Hóquei | Hóquei no gelo | Jogo do Pau | Jo-Ken-Po | Judô | Labareda | Lançamento de calcinha | Ludopédio | Luta Greco-Romana | Luta Livre | Maratona | Maratona Aquática | Natação | NASCAR | Novo Basquete Brasil | Pain Olympics | Patinação de velocidade | Pega-varetas | Pentatlo | Ping Pong | Pogobol | Pólo Aquático | Punheta | Quadribol | Rally | Remo | Roleta russa | Rugby | Salto com vara | Salto na vara | Shaolin Soccer | Siririca | Snowboard | Softbol | Stock Car | Sumô | Sumô artístico | Surfe | Surf de pobre | Tênis | Torneio Internacional dos Péla-saco | Tae Kwon Do | Tiro ao alvo | Triatlo | Truco | Truco valido o toba | Vela | Vôlei | Xadrez |

Ferramentas pessoais
Ver e modificar namespaces

Variantes
Visualizações
Ações
Navegação
Colaboração
Votações
(F)Utilidades
Novidades
Redes sociais
Correlatos
Ferramentas