Criciúma Esporte Clube

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Aviso importante: Clubismo aqui NÃO, cazzo!
A Desciclopédia é um site de humor, logo, NINGUÉM aqui se importa pra quem você torce, seja o Cruzeiro, o Atlético Mineiro ou o Ipatinga. Seja engraçado e não apenas idiota.


Criciúma Esporte Clube
Escudo do Criciúma.png
Brasão
Hino Chão, chão, chão
Nome Oficial Todo Mundo Odeia o Cris Esporte Clube
Origem link={{{3}}} Santa Catarina- Criciúma
Apelidos AEK Carbonífera & Cia.
Torcedores
Torcidas
Fatos Inúteis
Mascote tigresa
Torcedor Ilustre
Estádio Heriberto Húlcera]]
Capacidade 19.300
Sede Aterro sanitário
Presidente Dona Ivone
Coisas do Time
Treinador Jaiminho Fricassê
Pior Jogador Nuvola apps core.png
Melhor Jogador Crystal Clear action bookmark.svg.png
Patrocinador Bar do Bideu
Time
Material Esportivo Pituquinha Sports
Liga Campeonato Brasileiro
Divisão Série B
Títulos
Ranking Nacional Orgulhosamente 217º
Uniformes Camisacriciuma1.gif



Cquote1.png Esse ano o Tigre consquistará mais uma estrela! Cquote2.png
Colunista esportivo sobre o rebaixamento do Criciúma para a 3ª divisão
Cquote1.png Puta que pariu, sou campeão da Copa do Brasil! Cquote2.png
Torcedor do Criciúma gabando-se pelo titulo conquistado em 1822 a.C.

Criciúma Esporte Clube é um clube de extração de carvão do Distrito Ultramarino de Criciúma, Grécia. É conhecido por ser obrigado pelo regulamento a trocar todo ano de divisão, após uma sequência de treze mudanças consecutivas, e pela conquista da Liga Quixadá 1996, entre outros títulos espetaculares. Outro fato importante foi a vitória épica por 7 x 5 no amistoso contra o Távola Redonda Futebol e Caridade.

É um dos pequenos orgulhos do povo criciumense, que nos dias de jogos se "amontoa" para ver o timaço que representa a cidade jogar mais uma peleja valendo por competições importantes como o Troféu Malaco e a Taça Imalauê. Seu maior rival é o Esporte Clube Próspera, time que surgiu da classe operária, campeão de inúmeros títulos relevantes, como a Taça do Bar do Bideu de 1922 e o Torneio Início de 1931. Os dois times têm um embróglio envolvendo a gloriosa Taça do Eleitor de 1919. Há constantes guerras na região em função do importante troféu.

História

Fundação

Gráfico com o desempenho do Tigre desde a sua fundação.

Fundado em 1943, normalmente seria um time pequeno, sem tradição e sem glórias, mas como a cidade de Criciúma fica em Santa Catarina, um estado cuja capital mais parece uma cidadezinha de interior, então fica mais fácil se destacar e ganhar algum estadual ou outro e surgir mais no cenário nacional.

Ao longo de sua história a equipe do Criciúma adora surpreender sua torcida: quando todos pensam que está morta, ela ressurge do nada e conquista alguma coisa importante. Então quando ela parece que vai longe, que assume a liderança ou que o time realmente está bom, pode apostar: logo vai acontecer alguma coisa e o time vai despencar igual pêssego maduro. Este é o ciclo do futebol do Tigre, sempre baseando-se no sobe-desce.

Copa do Brasil de 1991

A glória máxima do Criciúma E.C. foi a Copa do Brasil de 1991, mesmo que a trajetória para o título tivesse sido por cima de times completamente irrisórios e sem tradição, como Ubiratan, Goiás e Remo. A final foi contra o Grêmio de Porto Alegre, e mais uma vez o regulamento favoreceu o Criciúma, cujo empate de 1x1 fora valeu o título mesmo que no estádio de Criciúma lotado (de gremistas) o jogo tivesse acabado um mísero cagado 0x0.

Série B em 2002

Em sua história de dezenas de rebaixamentos e outras dezenas de acessos, seria normal que em algum ano fosse campeão de um desses torneios mixuricas, e isso ocorreu em 2002, quando o Criciúma sagrou-se campeão da Série B após mais uma marcante campanha irregular, característica nata do time, com um monte de derrotas fora de casa, e vitórias sofridas dentro de casa, e assim foi na final contra o Fortaleza que ganhou a primeira no Ceará por 2x0, mas perdeu a segunda por 4x1.

Série C 2006

Se o Criciúma tem a estrela de campeão da Série B de 2002, como apenas 4 anos depois já estava disputando a Série C? As vezes essas coisas misteriosas acontecem com o Criciúma. Foi um dos títulos mais fáceis que já se viu, pois só tinha timeco peladeiro nessa edição.

Copa do Brasil de 2007

Toda a cidade em festa com a perda da Copa do Brasil pelo Figueirense.

Embora o Criciúma não tenha participado da edição de 2007 da Copa do Brasil, a população da cidade de Criciúma celebrou como nunca uma nova vitória nos gramados: a derrota do Figueirense na final da Copa do Brasil. Após o final do jogo, milhares de criciumenses foram às ruas sacudindo bandeiras do Tigre. Carreatas foram registradas. Do alto dos prédios, eram jogadas toneladas de papel picado.

As estradas da cidade foram todas pintadas com as cores de Criciúma e entupidas de glitter. Mais de 9 mil aviões foram contratados para sobrevoarem a cidade com faixas de comemoração. Fogos de artifício formaram um belíssimo espetáculo que durou 25 minutos. O prefeito, Sr. Mamaco, decretou feriado municipal por 3 dias. E mais uma estrela foi acrescentada à camiseta do time.

Torcida

Torcida do Criciúma se organizando para comparecer em massa aos jogos.

Apesar de a cidade possuir um time de futebol razoável, detentor das maiores glórias do futebol catarinense, o que não e grande coisa, 97% da cidade preferem torcer por times do Sudeste e do Rio Grande do Sul, o que é totalmente compreensível. Os demais 3% são o bastante para dar a impressão de que o Heriberto Hülse está lotado.

A cidade de Criciúma chega inclusive a se dividir em dois (ocorrendo muitas brigas e discussões de boteco nesse dia). Os outros 3% da cidade são torcedores mistos. Os próprios jogadores do time torcem para times do sudeste, perdendo de propósito quando jogam contra os mesmos.

Uniforme

Seu uniforme é o mais feio do país, segundo o matemático Oswald de Souza. Contendo as cores amarelo, preto e branco, é claramente inspirado no AEK de Atenas. O que mais chama atenção é a quantidade multicolorida, berrante e enorme de patrocinadores espalhados por todos lados da camisa.

Dona Irundina, dona de uma loja de camisetas de futebol, sofre com o volume das vendas de camisas do Criciúma, visto que os próprios torcedores acham a camisa uma lástima. De vez em quando a torcida fecha os olhos ao assistir os jogos, não aguentando mais a feiura de seu uniforme.

Títulos

Formação vencedora do Troféu Malaco, no ano de 1930.

Relevantes

Outras taças:

  • Taça do Eleitor - 1919 (?)
  • Troféu Sul de Par ou Ímpar em Duplas - 1923
  • Torneio Sul-Brasileiro de Palitinho - 1929
  • Troféu Malaco - 1930
  • Campeonato Catarinense de Joquempô Sub 21 - 1942
  • Liga Regional de Snowboard Feminino - 1945
  • Liga Criciúma de Pólo Aquático Sênior com Bóias - 1947
  • Copa dos Copeiros - 1951
  • Liga Sul de Bocha - 1952
  • Troféu Baby Niltão - 1960
  • Taça da Feira - 1963
  • Campeonato Sul-Catarinense de Levantamento de Copo - 1964
  • Campeonato Brasileiro de Comilança Sub 15 - 1971
  • Copa Sul-Minas de Hóquei Sobre Grama - 1975
  • Taça Imalauê - 1978
  • Torneio Início de Forró Russo - 1981
  • Troféu Malaco - 1984
  • Mundialito Norueguês de Beach Soccer - 1989
  • Magnânima Copa do Brasil que até Paulista de Jundiaí e Santo André já ganharam uma vez - 1991
  • Campeonato Criciumense de Hipismo Sub 11 - 1993
  • Confronto Siri na Lata - 1994
  • Liga Quixadá - 1996
  • Campeonato Paraibano de Esqui Alpino - 1999
  • Torneio Amistoso Dona Genoveva - 2001
  • Brasileirão Série B - 2002
  • Campeonato Catarinense de Polichinelos Sênior - 2004
  • Brasileirão Série C - 2006
  • Torneio Tailandês de Hóquei Sub 15 - 2007
  • Derrota do Figueirense na Copa do Brasil - 2007

Recordes

Futuro patrocinador do Tigre: Montanha-russa sobe-desce do Beto Carrero.
  • Maior público: Criciúma 7 x 5 Távola Redonda Futebol e Caridade - 105.531 pagantes
  • Maior vitória: Criciúma 28 x 0 Associação de Freiras de Forquilhinha
  • Maior derrota: Criciúma 0 x 16 Combinado Amador de Içara
  • Gol mais rápido: Dedé Motoca, aos 9 segundos de jogo, em 1947
  • Maior sequência invicta: 44 jogos, entre 1947 a 1949
  • Maior sequência sem vencer: 92 jogos, desde 2006
  • Maior artilheiro: Buchinha, 1.002 gols
  • Transferência mais cara: Felisbino, do Pindamonhangaba, por R$19 mi em 1969
  • Maior quantidade de patrocinadores numa camisa de futebol em 2013