Crimeia

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Nota: Confunda livremente este artigo com os artigos sobre a Península da Crimeia, a República da Crimeia e e República Autônoma da Crimeia, porque somos preguiçosos demais para criar artigos separados de basicamente a mesma porcaria.



●Крым
●Автономная Республика Крым Qırım Muhtar Cumhuriyeti
●Óblast Autônomo da Crimeia

Bandeira da Crimeia.png Brasão da Crimeia.png
Bandeira Brasão
Lema: Tuigurk nemorlod deferopol ruski vodka sfiha kibe
Hino: Процветание в единстве
Mapaucrania.png
Capital Simferopol
Maior Cidade Sebastopol
Língua Tártaro
Tipo de Governo Democracia Russa
Czar Vladimir Putin
Heróis Nacionais Natalia Poklonskaya
Independência Após a Guerra da Crimeia em 2014
Moeda Rublo
Religião Ateísmo
População 2.033.736 (censo 31/2/1900 e guaraná com rolha)
Área Pequena km² (0 (Mar Negro não conta)% de água)
Analfabetismo 30%
PIB per Capita 1.000 USD/hab.
IDH 0.65
Fuso Horário Ver Rússia
Clima Meio frio
Site do Governo www.Автономная Республика.com.pqp
Cquote1.png Оунед!! Cquote2.png
Rússia sobre Criméia

República Russo-dependente da Crimeia (Tártar: Skyrim) era só mais um lugar isolado onde não morava ninguém e ninguém conhecia e ninguém se importava até 2013, quando este território imprestável tornou-se a grande justificativa para a Rússia fazer florescer novamente a URSS e anexar toda a Ucrânia. Hoje ninguém sabe exatamente a quem a Crimeia pertence, a Wikipédia diz que pertencem à Ucrânia, e o NatGeo diz que pertencem à Rússia. Os ucranianos dizem que a Crimeia lhes pertencem porque já tem um país miserável demais pra ter menos território ainda, já os russos dizem que a Crimeia pertence a eles, porque eles têm tanques e armas nucleares suficientes para apoiar sua tese.

Historia[editar]

Táurica[editar]

Os antigos habitantes da península da Crimeia foram os tártaros e os cossacos, que viviam em paz dançando Hopak e bebendo horilka (a vodka feita de capim fermentado). E por ser tipo um Acre, ninguém nunca chegou lá por um bom tempo.

Só muito tempo depois que chegaram lá os primeiros gregos, fugindo da Crise Econômica de 2008 aC, quando fundaram o Reino de Táurica, erguido para afastar alguns viadinhos que se vestiam com trapos e sandálias que eles acreditavam que os perseguiam, sem perceber que eles estavam realmente vendo seu reflexo em um espelho. Os gregos chamavam o território de Chersonesus Taurica, nome derivado de alguns Taurus selvagens que ali pastavam, pois eles não sabiam que ali era chamado de Crimeia.

Canato da Crimeia[editar]

A Crimeia foi então invadida pelos romanos, bárbaros, estrangeiros, bizantinos, muçulmanos e também o exército de Khan Noonien Singh, que estabeleceram assim o Canato da Crimeia, que foi absorvido pelos colegas otomanos e tártaros porque o povo da Crimeia já desde a época antiga nunca soube cuidar de si mesmo e sempre necessitaram servir a alguma grande potência global, e nesse momento passaram a integrar o Império Otomano.

Invasão russa[editar]

Exército cossaco em ação.

Em meados do século XIX, o Império Russo foi acusada pela comunidade internacional de discriminação racial por não possuir população suficientemente negra em seu país, então o czar logo partiu para a conquista do Mar Negro. O problema era que Crimeia estava bem no meio do caminho, que foi assim ocupada pelas tropas do czar facilmente (lembre-se que a Crimeia é um território de merda cujo povo sequer tenta se defender de estrangeiros). O Império Otomano, para manter controle sobre a Crimeia, pediu ajuda para metade da Europa para defender a sua bela Crimeia, mas apenas ingleses com fome aceitaram o pedido de socorro e não ajudaram em absolutamente nada (anos depois, o poeta Inglês Bruce Dickinson imortalizaria esta batalha na balada "The Trooper"). A França também foi supostamente ajudar os turcos, mas apenas se rendeu como sempre.

Era Soviética[editar]

Após a Revolução Russa de 1917 grande parte da população da Crimeia passou a apoiar o Exército Branco na sua luta contra os bolcheviques. A péssima ideia culminou na anexação como "república independente" da novíssima União Soviética, e Stalin nunca iria esquecer a traição da Crimeia.

Durante a Segunda Guerra Mundial, por volta de 1930, os nazistas invadiram a Crimeia. A população tártara quase se urinaram de emoção e começaram a servir e lamber as botas de seus novos mestres germânicos. Já os cossacos, entretanto, foram divididos entre "traidores pró-nazistas" e "traidores pró-stalinistas". Após a vitória soviética em 1945, Stalin recompensou os cossacos aliados com o direito de jamais terem que aprender o idioma ucraniano, enquanto os cossacos traidores receberam perdão e ganharam viagens com despesas pagas ao Arquipélago Gulag Hotel, na Sibéria. Quanto aos tártaros, eles foram moídos e transformados em salsa, e vendido para restaurantes estrangeiros.

Na Ucrânia independente[editar]

Depois de Stalin faleceu e a URSS faliu, a ex-União Soviética deu a Crimeia de presente para a Ucrânia como compensação por aquele pequeno incidente na década de 20. Mikhail Gorbachev e seu amigo, a Sra Pérez-Troika, ainda autorizaram 3 tártaros ainda vivos no exílio a regressar para a Crimeia. Após a queda da URSS, Crimeia foi declarada oficialmente parte da Ucrânia como uma república autônoma, embora tenha começado a forçar as pessoas a falar ucraniano sob pena de morte por dilaceração por ursos famintos, começando assim anos de tirania ucraniana.

Guerra da Crimeia[editar]


No início de 2014 um grupo de skin-heads ucranianos aderiram à moda da Primavera Árabe, e decidiram derrubar o governo ucraniano lá em Kiev em nome da Anonymous. Depois de meses de protestos, o presidente ucraniano Viktor Yanukovych foi deposto em um golpe sangrento e pacífico, e foi substituído pelo carismático populista líder A. Hitlenko.

A Crimeia conhece muito bem o que são governos totalitários, e logo prevendo a merda que poderia sobrar para eles, decidiu deixar a Ucrânia nazista e solicitar a admissão à Rússia neo-soviética, mas a Ucrânia se recusou a ceder, e assim começou a treta. A Rússia então invadiu a Ucrânia com seus tanques sem identificação.

O governo da Crimeia então decidiu decidir o seu destino em um jogo de truco. Ganhou a independência, e assim a Crimeia foi anexada à Rússia declarada oficialmente independente, sob a Rússia, na esperança de voltar à era dourada de Stalin, agora sob a liderança do camarada Putin.

Ucrânia ou Rússia?

Economia[editar]

A economia da Crimeia não é a melhor da antiga União Soviética, eles não têm reservas de petróleo, gás, tório, trigo, água, etc., e alguns poucos produtos de exportação é o urânio empobrecido. Mas não importa a falta de recursos, porque eles possuem uma grande riqueza espiritual. A principal fonte de renda é a venda de bonecas insufláveis e cartazes de Stalin, Putin e da Natalia Poklonskaya, que já ultrapassou em popularidade de Justin Bieber. No entanto, esses produtos são proibidos na Polônia, Romênia, Estônia, Letônia, Lituânia, Hungria e outros países vizinhos.

Além disso, plantações de algodão são mantidas por semi-escravos tártaros.

População[editar]

A Crimeia era mais uma região despovoada do mundo porque ficava dentro do Acre e ninguém sabia como chegar lá. Os antigos colonos gregos conseguiram achá-la porque Netuno estava irritado com eles e fez as ondas levarem eles até o litoral da peninsula da Crimeia como castigo. Os gregos tiveram filhos ai depois chegou os turcos que estupraram os gregos gerando turcos-gregos que se misturaram com os mongois e depois os russos, eslavos etc. Habita lá hoje em dia turcos-russos-ingleses-mongois-gregos-indios-ucranianos que falam uma língua totalmente incompreensível.

Diz a lenda que a população da Crimeia é composta principalmente por russos e ucranianos, podendo ser encontrado escondido algum tártaro crimeio, bem como sobreviventes de genocídios (armênio, poloneses, judeus, cambojanos), afinal os crimeios sempre gostaram de sentir auto-piedade. E se por algum motivo estiver se perguntando, há também italianos.