Crowd Surfing

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
(Redirecionado de Crowd surfing)
Ir para: navegação, pesquisa
Esse cara... não seja esse cara!

Cquote1.png Você quis dizer: Um cara suado sendo carregado por um bando de babacas Cquote2.png
Google sobre Crowd Surfing

Crowd surfing é uma coisa do cão que acontece direto em diversos shows em que um carinha ou mais de um ficam passando "de mão em mão" (huuuuuuuuuuuummmm...) por cima das cabeças dos caras que foram assistir lá a banda tocar. Pra alguns é um meio de transporte, em que se leva uma pessoa de um lado pro outro da platéia, para outros é só uma forma de mostrar que é um artista fodão que faz todo mundo o carregar em seus braços, mesmo com todo o fedor no suvaco dele mesmo. Enfim, é meio que uma modinha feiosa que ocorre muito em apresentações de rock, mas que vez por outra algum mané de um grupinho de sertanejo universitário tenta inutilmente imitar.

História[editar]

Dizem por aí que o inventor dessa coisa foi o porra-louca do Iggy Pop, nos anos 70. Não sabemos ao certo se isso é verdade ou coisa de punk fracassadinho que acha que inventou tudo quanto é porcaria no mundo do rock. Enfim, casos mais conhecidos entre os primeiros relata-se o de Peter Gabriel em alguma de suas perfórmances de uma música doidona dos tempos de Genesis. Depois começou a ficar popular e todos roqueiros queriam fazer algo parecido (e obviamente gay por extensão).

Como se faz?[editar]

NewBouncywikilogo.gif
Para aqueles sem senso de humor, os espertalhões da Wikipédia têm um artigo (pouco confiável) sobre: Crowd Surfing.

Basicamente, é só você dar um stage dive ou simplesmente se jogar pra cima da galerë e deixar todo mundo ficar te carregando e pondo a mão na sua bunda (e quem sabe em algo mais) com o intuito de se sentir "like a Superman". Dependendo da moral da banda e do executor do serviço, isso pode acabar com ele de volta ao palco muito bem, obrigado; expulso do show pelos donos da casa de espetáculos; ir pra cadeia explicar sobre possíveis consumos de substâncias estranhas; e por fim até mesmo acabe no hospital, caso ao tentar a proeza ninguém consiga o segurar por muito tempo e ele termine com a cara no chão.

Perigos[editar]

Crowd surfing em show de funk carioca.
  • Enfiar a cara no chão;
  • Segurar um vocalista gorducho e quebrar os braços;
  • Ser jogado pra fora da casa de shows sem perceber pelos "fãs";
  • Levar uma dedada no honório;
  • Morrer sufocado com o fedor de suvaco dos integrantes da banda;
  • Ter o celular, a carteira ou ambos roubados por alguém que ninguém saberá quem;
  • Tomar um soco de um segurança (pena que Kurt Cobain já se matou, ele seria o primeiro a testemunhar desse risco);
  • Tomar uma guitarrada na cara do guitarrista da banda;
  • Esquecer que o palco tem 10 metros do chão e morrer na queda (isso vale também para quem tenta um stage diving ou quem vai brincar no Hopi Hari).

Ver também[editar]

Documentário sobre crowd surfing[editar]