Cubatão

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikisplode.gif
A nossa sátira autorizada, a Wikipédia, tem um artigo sobre: Cubatão.
Image27.gif Este artigo está poluído!

Pegue uma máscara de oxigênio e uma garrafa vazia, para carregar ar. COF COF COF...


Região Poluicional de Cubatão.
SimboloCubatao.jpg
Símbolo Atual
Localização Algum lugar da Baixada Santista.
Línguas Oficiais Tupi-guarani, Klingon e quase Português.
Prefeito Sauron.
População Não é possível realizar o censo da cidade, pois ninguém ali sabe contar.
Área Total Quilômetros e quilômetros de fumaça.
Gentílico Cubatense e mutante.

Cquote1.png Você quis dizer: Cu do mundo Cquote2.png
Google sobre Cubatão
Cquote1.png Você quis dizer: Mordor Cquote2.png
Google sobre Cubatão
Cquote1.png Experimente também: Praia Grande Cquote2.png
Sugestão do Google para Cubatão


Cquote1.png Filho da puta! Estragou nossas praias! Cquote2.png
Santista sobre Cubatão
Cquote1.png Vamos passar a lua de mel em Cubatão, querida! Cquote2.png
Recém-casado sobre Cubatão
Cquote1.png Por quê? Cquote2.png
Recém-casada sobre comentário acima
Cquote1.png Por quê? Veja: a paisagem é verde, a mata é verde, as plantas são verdes, as pessoas são verdes... Cquote2.png
Recém-casado sobre passar a lua de mel em Cubatão
Cquote1.png É uma cidade poluída. Cquote2.png
Capitão Óbvio sobre Cubatão
Cquote1.png Que cidade linda! Cquote2.png
Stevie Wonder sobre Cubatão
Cquote1.png Na União Soviética, a poluição cheira VOCÊ!! Cquote2.png
Reversal Russa sobre Cubatão
Cquote1.png Saudade da minha infância... Cquote2.png
Wolverine sobre Cubatão
Cquote1.png Cadê meu dono? Cquote2.png
Botas de Judas sobre Cubatão
Cquote1.png Aiê, ameeeei... Cquote2.png
Cubatense sobre o novo centro GLS de Cubatão
Cquote1.png Mary, você está aqui? Cquote2.png
James Sunderland sobre Cubatão
Cquote1.png Perdeu, tio, perdeu! Passa a máscara de gás ae na humildade Cquote2.png
Ladrão sobre cubatense
Cquote1.png COF... COF... COF... CCCOOOFFF!!! CCCOOOFFF!!! CCCOOOFFF!!! Cquote2.png
Você ao respirar o ar levemente poluído de Cubatão
Cquote1.png Veja, sr. Frodo, acho que é aqui que você deve queimar o Um Anel! Cquote2.png
Sam sobre Cubatão
Cquote1.png Golum, golum! Meu preciossssssssssssso.... Cquote2.png
Cubatense cumprimentando outro cubatense

Cubatão é, sem sombra de dúvida, a província do Reino de Santos mais bizarra, conhecida pelos seus altos índices de poluição. Tanto que você não sabe se é dia ou noite, pois uma neblina preta paira sobre toda a cidade. A língua oficial é o santistês (imposto pelo Reino, variação escrota do português, mas muitas pessoas ali falam tupi-guarani. Nesse idioma, a palavra batão significa "do mundo", assim como ritiba e iabá. O resto vocês já sabem o significado.

Ali, mutantes e seres humanos dividem o mesmo espaço, convivendo em harmonia (às vezes rola uma briga). É possível também ver espécies de animais não catalogados ainda, como por exemplo o Passachorro, animal símbolo da cidade. Tal fenômeno de mutação genética ocorre por conta das inúmeras fabricas e indústrias radiativas, como por exemplo a extinta COSIPA, que agora é a Usiminas (que está prestes a ser extinta também). As várias doenças que percorrem as províncias do Reino de Santos são oriundas de lá, como dengue e febre amarela. Os traficantes de Praia Grande recebem seu contrabando de LSD e cocaína diretamente da prefeitura de Cubatão, graças a uma parceria da cidade com o imperador Albertus Mourão I. O único problema é quando chove, pois é chuva ácida. Dizem as lendas das anciãs tupis que se cem pingos caem em você em um dia, você desenvolve um terceiro braço no outro.

Passachorro, um dos vários animais típicos de Cubatão.

História[editar]

Cubatão numa manhã ensolarada.
Cubatão à noite, vista pela Imigrantes na subida da serra.

Ninguém sabe ao certo a história de Cubatão. Alguns historiadores dizem que foram os índios e exploradores santistas que pisaram pela primeira vez ali, e pela última também, já que não tinham máscara de gás. Outros historiadores dizem que Cubatão é o resquício da devastação do mundo causada por Morgoth e só anos depois os índios vieram, na Terceira Era, quando saíram de São Vicente para caçar em outros lugares. Essa é a teoria mais aceita e tida como verdade por maioria dos cubatenses. Quando os índios descobriram uma terra nova, cheia de animais diferentes e lugares para tomar como seus, o Reino de Santos se impôs e tomou tudo para si. Era a principal forma de escambo na região, fornecendo siris, palmito, madeira e carvão para os santistas e sãovicentinos.

Com o avançar dos anos, veio a indústria, e logo o rei de Santos decidiu explorar os índios que ali habitavam, usando-os como mão de obra para fabricação de cloro, carvão, ácido sulfúrico e bolovo (presente em todas as padarias e botecos da cidade). Só que índio era burro e não sabia mexer com aquelas coisas, e a única forma deles se comunicarem era por sinal de fumaça. Os caras exageraram tanto nisso que a fumaça tá lá até hoje, pairando sobre a cidade.

Geografia[editar]

Há uma pequena porção urbana e uma grande porção de mato, fumaça e Pokemons venenosos. O rei de Santos ordenou que Cubatão ficasse bem longe da Baixada Santista para não haver risco de contaminação nas relações entre cubatenses e humanos. Há um grande rio banhando a cidade, o Rio Cubatão, de onde os pescadores locais tiram seu sustento. Um dos animais encontrados por lá é o Papapeixe. O nado lá é proibido para não-cubatenses, pois só eles possuem os anticorpos necessários para ficar embaixo d'água por mais de dez segundos sem sentir a pele queimar.

Papapeixe, outro animal típico de Cubatão, presente na dieta de seus moradores.

Turismo[editar]

Não tem muito. Visto que é a única província do Reino que não é invadida pelos dinossauros imundos de São Paulo nas temporadas e feriados prolongados, Sauron não investe muito no turismo, preferindo investir em novas tecnologias para máscaras de gás. O que você pode fazer por lá, pelo menos, é visitar a Escola do Professor Xavier para Alunos Superdotados, ou visitar empresas como Carbocloro e Usiminas, mas cuidado! Os trabalhadores desses lugares são perigosos, conhecidos como Uruk-hai. Mantenha uma distância segura.

Clima[editar]

Poluído.

Demografia[editar]

Um trabalhador da Carbocloro.

Antigamente, há muuuuuuuuuuuito tempo atrás, humanos habitavam Cubatão, mas graças à revolução industrial esses mesmos humanos começaram a desenvolver anomalias, como terceiros braços, uma perna maior que a outra, pênis atrofiado, olhos nas costas, mamilos extras... Por sorte, não perderam (completamente) a essência humana, e por isso são capazes de morar em apartamentos e residências, fazer sexo (cada dia com um pênis diferente) e alguns até mesmo frequentam a escola. No Jardim Casqueiro, uma porção de terra próxima a Santos e a tribo de São Vicente, há vários indigenazinhos porcos metidos a mauricinhos que tentam disfarçar suas mutações agindo como os habitantes de Santos. Frequentam as cidades próximas para tentar se socializar, e quando são perguntados onde moram, sempre mentem. Lá é onde se encontra também a maior concentração de homossexuais e prostitutas do Reino de Santos, onde você vê meninas de três seios conversando com travestis de três metros e meio. As mutantes são as mais feias de todo o Reino, mais até que São Vicente, onde as mulheres são feias mas pelo menos são normais. Os mutantes se alimentam de qualquer coisa que esteja se mexendo, desde que se encontre fresquinho.

Há também os orcs, que são a porção cubatense dos que trabalham na indústria. São ranzinzas, feios e babam muito, além de obedecer ordens apenas do vereador Saruman e do prefeito Sauron. Não é recomendável chegar perto deles.

Transporte[editar]

Cubatão conta com um sistema de transporte bastante ridículo eficiente.

  • A pé: como Cubatão apresenta uma extensão territorial urbanizada de 256km (sendo 255,5km compostos pelas indústrias), os 0,5km restantes tornam a cidade um bom local para se andar a pé. Tudo fica perto para quem mora em Cubatão;
  • De bicicleta: apesar de 88% dos moradores de Cubatão andarem apenas de bicicleta, a cidade não possui ciclovias decentes. Na Vila Esperança, a ciclovia é cheia de buracos e os moradores bem-educados a utilizam como calçada, mesmo havendo uma do lado oposto. Na 9 de Abril existe uma outra ciclovia importantíssima para a cidade que liga a primeira rua da Vila Nova à última rua da Vila Nova; e na Vila São José, apesar de construirem algo decente, esqueceram de iluminá-la e colocar guardar de 2m em 2m, visto que ela passa por dentro de um dos bairros mais perigosos da cidade. De quatro em quatro anos, surge a ideia de criar uma grande ciclovia que ligue Cubatão à Santos, mas essa ideia persiste apenas até o fim das eleições.
  • Ônibus intermunicipais: Cubatão têm um ônibus que leva, 3 vezes ao dia, moradores do campo para a cidade (lê-se Santos). Quem quiser sair para outra cidade, como Guarujá, paga bem mais caro;
  • Ônibus municipal: os seguintes ônibus compõem o sistema de transporte coletivo da cidade:
    • Linha 1, 4 e 13: vão tudo pras bandas do Casqueiro, que não é Cubatão. Ninguém da cidade sabe diferenciar Ilha Caraguatá, Jardim Nova República e esses bairros aí, menos os que os pegam;
    • Linhas 2 e 3: são os principais coletivos da cidade. Ambos vão para a Vila Esperança. Em 2005, época em que o Brasil tocava fogo nos ônibus das cidades e colocava a culpa no PCC, a Piracicabana aproveitou a situação para queimar todos os ônibus de sua velha frota mandando-os para essas linhas, visto que eram as mais atingidas. Cada vez que um ônibus entrava na Vila Esperança, voltava o motorista a pé;
    • Linha 5: ninguém sabe para que serve e para onde vai, mas ela existe. Uma nota da empresa diz ser a linha utilizada para treinamento dos motoristas (afinal, orcs precisam aprender a dirigir também);
    • Linhas 6, 9 , 10, 14: vão para pontos de Cubatão onde não existe ninguém, apenas mato e índios, como Vale Verde, Pilões e redondezas;
    • Linha 7: atende a Vila Dos Pescadores.
    • Linha 11: Fabril. É uma lenda urbana que diz que esse ônibus leva as pessoas a um lugar sem poluição;
    • Linha 12: Usiminas, antiga COSIPA. É o ônibus que leva os orcs para o trabalho;
  • Ponto de Integração: É um local sempre destinado a despejar moradores em locais infestados de mosquitos da dengue, sem banheiro, eletricidade ou água potável. Os ônibus chegam, levantam a caçamba e vão embora sem dar informações aos passageiros de quando outro ônibus irá buscá-los. Eles só sabem que permanecerão ali até a sua morte certa. Ninguém até hoje entendeu para que ele serve e ninguém também fez questão de reclamar para que ele deixe de existir;
  • Sistema de lotações: As lotações servem para substituir os ônibus da cidade, apenas. Visto que, se elas não existissem, a Piracicabana colocaria mais ônibus para suprir a necessidade. Taí a antiga ECTC que não tinha concorrência e não me deixa mentir;

Cada bairro é identificado por sua cor:
Azul é pras favelas: Vila Esperança, Natal e Caminho 2;
Vermelho é pro Costão;
Verde é para fora da cidade, Jardim Casqueiro e redondezas;

Porém, para manter toda essa malha funcionando, o preço da passagem deve acompanhá-lo, aumentando 125% a cada semestre. A mudança de preço é sempre combinada com o Sindicato das Lotações.

A extinta COSIPA[editar]

O maior orgulho da cidade: a COSIPA, hoje extinta.

O Centro de Orientação e Sistematização ao Indivíduo Pobre e Anormal era localizado em Cubatão. Como se fosse um manicômio em forma de indústria, a Cosipa empregava toda a população da cidade, um terço de Santos e quinze pessoas de São Paulo. Fafá de Belém já foi funcionária fantasma da Cosipa, só para você ter uma noção de como a coisa funcionava.

A Cosipa produzia aço e derivados, além de ter sido parceira da Osan - espécie de vendedora de seguros de vida para toda a Baixada Santista. Ela fornecia praticamente 12 mutantes por dia para a Osan, que as recebia, vendia os órgaõs e depois criava carvão do resto. Os orcs que já trabalharam na Cosipa com certeza têm uma história para contar, e quando forem contar para você, pegue um travesseiro: é longa.

Foi também a responsável pela cultura de Passachorros em Cubatão, que logo viraram animal-símbolo da cidade.

Diversão[editar]

A cidade oferece diversas atividades de lazer. O Parque Anilinas é uma grande área verde onde existem brinquedos de vários tipos como balanço de pneu (com água parada), gangorra de vassoura e algumas ocas sem utilidade - que servem para mutantes adolescentes praticarem o coito.

A maior balada da cidade ocorre na super popular Núcleo Danceteria, onde ocorrem várias promoções: "A menor minissaia ganha um fusca", "O funkeiro mais feio ganha uma passagem para o Acre", etc. A divulgação das baladas ocorre por meio dos carros com alto-falantes, tocando músicas muito divertidas de fundo, feita por um orc com ótima dicção, anunciando os destaques do dia: MC Frodo da Cota 200, MC Smeagle, Sr. Urukzinho, Ciclope & Jean Grey, etc.

Também encontra-se as famosas festas realizadas na cidade todos os anos, que provocam um grande aumento no número da população. As mais aguardadas são a Festa da Banana, a Festa da Carne Seca e a Festa da Água Potável. A grande Festa da Banana acontece como homenagem ao aniversário de uma vila de Cubatão que antigamente era totalmente povoada por bananais (hoje tudo apodrecido pelas indústrias, mas algumas bananas criaram pernas e fugiram). Todos os jovens da cidade frequentam as barraquinhas, já que são obrigados a participar como regra para se formarem no ensino fundamental. Nelas, existe uma variedade enorme de comidas: torta de banana convencional, torta de banana com bolo, torta de banana com bananas em calda, torta de banana com banana cristalizada, torta de banana com bananas no interior do bolo, torta de banana com banana nanica, torta de banana com banana prata, etc. A Festa da Carne Seca é realizada com o objetivo de homenagear a população nordestina que habitou Cubatão e também realizou mutações após conseguir emprego nas usinas. Apresenta todas as comidas típicas nordestinas: carne seca, farofa e feijão. Esses pratos diversos são feitos em grandes caldeirões, sempre com a condição máxima de higiene (os produtos vêm de outras cidades), e toda a população nordestina e descendente de nordestinos (93% do total da população) se reúne em grandes mesas improvisadas com tábuas cobertas com papel sulfite e todos se divertem comendo em pratinhos de prástico. O costume é dar os restos das carnes aos cachorros, mas não precisa chamá-los assobiando, como é de costume: eles possuem a capacidade de andar com duas patas, graças à mutação genética do esperma humano com o canino. A Festa da Água Potável se trata de um lugar onde um caminhão-pipa que de tempos em tempos aparece em Cubatão traz uma bebida estranha aos cubatenses: limpa demais, transparente e inodora, mas muitos acabam gostando.

Há também, nos cantos mais obscuros de Mordor Cubatão, o 'Festival dos Alegres, um festival que reúne todos os cubatenses no chamado dia do orgulho cubatense. As atrações trazem campineiros, são paulinos e alguns praiagrandenses.

Curiosidades[editar]

  • Cubatão é a única cidade do Brasil que não precisa se preocupar com o Aedes aegypt, pois os cubatenses criam esses bichos em casa;
  • A cidade é composta de 26 bairros, todos nomeados e demarcados pelo rei de Santos;
  • Muitos cubatenses adquiriram visão super-humana, alguns ficaram permanentemente cegos e outros desenvolveram um terceiro olho;
  • Wagner Moura foi prefeito por alguns dias, mas não foi a versão respeitosa do Capitão Nascimento, foi aquela versão trambiqueira do Elisyum, o Spider;
  • Reza a lenda que há uma região em Cubatão que, se explodir, dizima toda a Baixada Santista e mais um pouco;
  • Depois do Grande Incêndio da Vila São José, alguns moradores passaram a cuspir fogo;
  • Cubatão é uma cidade tão pequena e afastada que qualquer hora é hora e qualquer lugar é lugar. Você vê gente trepando na igreja, na praça da igreja, no centro, na calçada e nas ruas atrás dos prédios;
  • Depois que a COSIPA foi vendida para a Usiminas, vários orcs se rebelaram e dizimaram o pequeno povoado do bairro São Marcos, e por isso não se vê muita coisa ali além de destroços.