Cumari

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Eu vou falar com o promotor! Cquote2.png
Cumarino reivindicando seus direitos
Cquote1.png A festa do Rosário é muito boa! Cquote2.png
Cumarino mentindo
Cquote1.png To indo lá no banco Cquote2.png
Cumarino referindo-se aos Correios
Cquote1.png Onde fica isso?!? É Minas ou São Paulo? Cquote2.png
Pergunta de quem nunca ouviu falar de Cumari
Cquote1.png Anhanguera pelo ou menos tem rio Cquote2.png
Cidadão de Anhanguera sobre Cumari

Cumari é um povoado goiano muito dos toscos. É triste por não ser do Triângulo Mineiro e, portanto, uma aldeia pobre de miserável; é uma merda de lugar, que só não é pior, porque é vizinho de outras merdas de municípios como Anhanguera e Gayandira, por exemplo.

História[editar]

A moderníssima estação ferroviária de Cumari.

A cidade foi fundada em 1947 (além de velha, a cidade é morta). Tantos anos de história e nada de bom para se contar...

Para constar, a cidade é infestada de mosquitos e constantemente fica em estado de sítio com os mosquitos transmissores de leishimaniose, malária e febre amarela. É um vuco-vuco, as pessoas adoentadas e o carro fumaça jogando o veneno nas casas da galera.

Economia[editar]

Dizem que é a terra do pequi e arroz, mas há anos não produz safra alguma. A maioria dos agricultores vivem em associações (quando não estão nos botecos), porque não sabem o que querem da vida! E essa história de pimenta de Cumari é pura balela, já que não se encontra a tal pimenta na cidade inteira; quando acha é cara pra porra e não passa de pimenta comum.

A maior renda gerada é proveniente dos moradores que trabalham em Catalão; o maior empregador da cidade é a prefeitura. Nem a própria população incentiva o comercio local, já que a grande maioria faz compras em Catalão.

Geografia[editar]

Cidade feia no meio do cerrado. Tudo em Cumari é escroto e muito feio, parece aquelas cidades do sertão do Nordeste, cobertas pela poeira, onde o povo passa fome e a caatinga domina.

População[editar]

Cidade pequena, de uns 3.000 habitantes (queêêê? tem isso tudo mesmo?), todos uns fofoqueiros malditos. A fofoca corre solta na cidade, o bom é que eles se preocupam tanto com os outros que esquecem-se da própria vida. Os filhos acostumam-se a sofrer desde cedo, porque é uma cidade que não tem nada a oferecer. A desgraça é tanta que mal tem escola e hospital é estória.

Os cidadãos cumarinos são tão ignorantes que vão à promotoria para resolver desde briguinhas de vizinhos, até a própria vida. O "promotor" é uma espécie de deidade capaz de resolver todos problemas da cidade.

Quem é de Cumari ainda é caracterizado por sua capacidade de sobrevive a qualquer doença ou seja lá o que o diabo apresente.

As mulheres da cidade são criadas pra casar e ter filhos (não precisa nem ter condições para isso, o governo dá a cesta). Geralmente as mocinhas ficam grávidas cedo; com dezoito anos já estão casadas e com filhos no braço, cuidando dos afazeres domésticos, verdadeiras Amélias (quanta falta de cultura).

Os homens, os que trabalham com seus pais, só passam a ter vida própria depois que recebem a herança e, enquanto o pai não bate as botas, nunca passam de peões. Existem algumas exceções, que são os filhos de latifundiários, que mudam de cidade para estudar e nunca mais voltam... Também fazer o que num sertão desses...

Transportes[editar]

A estrada, que outrora era de terra, foi asfaltada; no entanto, é absurda a quantidade de buracos na época das chuvas. A estrada é composta de buracos que levam a um buraco (Cumari) no meio do nada!

Apesar de ficar a 100km de Berlandia (capital do Triângulo Mineiro), o acesso é meio complicado, coisa típica de regiões do submundo. O desenvolvimento ainda não chegou à cidade. Existem teorias que afirmam que Cumari foi fechada para originar um país próprio, porque a desgraça é tanta, que parece uma outra dimensão.

Mas cuidado! Vá sempre de carro, pois a cidade fica tão no cu do mundo, que não tem nem horário de ônibus, seja em linhas internas, como externas. Se você não tiver carro, ficará ilhado nesse fim de mundo e correrá o risco de se tornar um cidadão cumarino.

Comunicações[editar]

Outro ponto muito favorável da cidade é que se você quiser tirar umas férias (sumir do mapa), Cumari é o lugar ideal. Até pouco tempo, nem celular existia (os habitantes estão admirados com esta tecnologia). A novidade é a chegada do sinal da Vivo, mas esqueça o 3g. Se seu celular for de outra operadora você nem precisará desligá-lo...

Turismo[editar]

Cidade que não tem shopping, não tem cinema e não tem hotel (tem uma pensão muito desorganizada), não tem nem motel (tem MATEL e a arquibancada do "estádio" do Cumari Futebol Clube), ou seja, uma bosta. Só existem botecos mesmo pra encher a cara. Tem alguns habitantes que se embebedam todos os dias nos points da cidade.

Se for para Cumari, fique nos latifúndios da vida. Quem sabe pode dar a sorte de cair em um casarão. Alguns lugares ainda usam escravos, que podem proporcionar um bom serviço de quarto. Você ainda vai ter a honra de ser transportado no túnel do tempo até 1880, quando os goianos ainda matavam os índios da região por pequis.

E jamais visite o tal do Ribeirão! Lá é o rola-bosta da cidade de Catalão, todos os dejetos mais sinistros vão parar diretamente nos quintais do povo de Cumari. E imaginar que tem gente que pratica o nado e a pesca nesse Tietê goiano...

Gastronomia[editar]

Impossível não saborear os lanches da praça (seja qual for, todos tem o mesmo gosto), as coxinhas (gordurosas, frias e murchas) o pastel (transbordando óleo velho) e o espetinho (de gato, criado com restos de espetinhos).