D. Manuel II

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
PortugalDJoãoscary.jpg Manuel, vê-me dois cäcətinhos, o pá!

Æstə ärtigo é purtugäish, gajo. Élə comə cacətinho cum bəcalhau, tuma um ishtränho vinho, adora cumpetir cum a Ishpänha e tem um bigodão.

Se vəndalizarish, um bäenfiquista vai atrás də tua mãe

Cquote1.png PEDE PRA SAIR! PEDE PRA SAIR! Cquote2.png
Capitão Nascimento sobre cargo de D. Manuel II

Cquote1.png Senhor! Eu desisto!! Cquote2.png
D. Manuel II sobre comentário acima

Dom Manuel II foi famoso como poser e pela sua boca que parece com a de uma mulher

Dom Manuel II foi o último Rei de Portugal, na época em que ser monarca já não era tão kawaii assim. Ele era filho do Rei D. Carlos I e Dona Amélia, e nasceu em Lisboa, no mesmo dia da proclamação da Ditadura Democrática do Brasil, já prenunciando que não demoraria muito para pedir pra sair.

Na Praça do Comércio, em Lisboa, um republicano emo tarado matou à fuzil seu pai, o Rei, e seu irmão mais velho, príncipe D. Luís Filipe. No trono, Manuel mostrou-se preocupado com as questões sociais, chegando à benevolente marca de quinze pães dormidos doados para os pobres em apenas um mês. Além disso, mostrou-se um grande conquistador, pegando geral em Portugal e, inclusive, no estrangeiro. Os tabloides da época mostraram um caso do monarca português com Gaby Deslys, uma famosa puta atriz francesa. O enrosco não durou muito tempo, e ele teve de se casar, quando já não era mais rei, e naturalmente, deixara de ser um partido interessante.

Quando viram a coisa preta, sua mãe e ele abandonaram o Palácio de Queluz, passam uma noite no Palácio de Mafra e embracaram no iate real Dona Amélia rumo ao exílio no porto da Ericeira, mais exactamente na Praia dos Pescadores.

Primeiro navegaram até rochedo de Gibraltar, e depois, directo para os braços da mãe Inglaterra.

Zica[editar]

Nas vésperas do golpe de Estado, D. Manuel II recebeu a visita do presidente do Brasil, Hermes da Fonseca. Segue diálogo no jantar no palácio

Manuel: Ai, Hermezinho, este negócio de República é uma boa?

Hermes: É ótimo, por quê?

Manuel: Porque estou a ver aqui da janela que está a vir um bando de republicanos ferozes e armados aqui a atacar o palácio.

Estima-se que tenham sido as boas vibrações do mandatário brasileiro que deram azar ao rei.

Precedido por
D. Carlos I
Rei de Portugal e Algarves
1908 - 1910
Sucedido por
Salazar


v d e h
Grandes Padeiros de Portugal