D. Maria II

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Brasilia1.jpg Imposto é roubo

Aí, mermão, este artigo aqui, ó, é brasileiro, tá ligado? Só fala de futebol, come feijoada, exporta diplomatas e prostitutas, puxa o saco de políticos e de picaretas em geral, paga imposto pra caralho e põe a culpa no governo pela dificuldade de conseguir a mais nova versão do PlayStation ou do iPhone.

A raina é derrubada por D. Miguel
D. Maria II foi rainha de Portugal após a morte de D. João VI. Ela se tornou rainha porque calhou de D. Pedro I, Imperador do Brasil ter virado Rei de Portugal ao mesmo tempo. Ora, D. Pedro preferiu o Brasil, que era muito mais maneiro, e abdicou para a filha, que é a tal da D. Maria II.

Porém seu tio malvado, D. Miguel, que deveria se casar com a sobrinha, deu um golpe de estado e jogou a pirralha num navio que deveria ter sido afundado (só não foi afundado por incompetência da Marinha Portuguesa da época). D. Maria voltou chorando para o Brasil. D. Pedro I ficou tão puto da vida que resolveu tomar uns gorós para se aliviar. Isso gerou a Noite das Garrafadas e os ciúmes dos brasileiros que viam muitos portugueses na corte e ficaram meio cabreiros. No final, D. Pedro I foi exotado de Brasil, amaldiçoando que os brasileiros um dia teriam novamente um outro governante alcóolatra. Sem ter o que fazer, voltou a Portugal para dar uma surra no irmão e recuperar o trono para a filha.

D. Maria foi a primeira a governar o reino lusitano sem o Brasil. Em função disso, não aconteceu nada de mais em seu reinado.


Precedido por
D. Pedro IV
Rainha de Portugal e Algarves (mas agora sem o Brasil)
1834 - 1853
Sucedido por
D. Pedro V
v d e h
Grandes Padeiros de Portugal