Defensor Sporting Club

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Defensor Sporting Club
Escudo do Defensor.png
Brasão
Hino '
Nome Oficial Defensivo Sporting Club
Origem Bandeira do Uruguai Uruguai - Montevideo
Apelidos
Torcedores
Torcidas
Fatos Inúteis
Mascote
Torcedor Ilustre Jaime Roos
Estádio Luiz Franzino
Capacidade 18.000
Sede
Presidente
Coisas do Time
Treinador
Pior Jogador Nuvola apps core.png
Melhor Jogador Crystal Clear action bookmark.svg.png
Patrocinador
Time
Material Esportivo
Liga Campeonato Cisplatino
Divisão Primera Divison
Títulos
Ranking Nacional -
Uniformes



Defensor Sporting Club é um tradicional time de futebol do estado brasileiro da Cisplatina, muito conhecido por ser um time que está ali só para atrapalhar, irritar os outros e provar que é possível apresentar um futebol feio e não rebaixar tão constantemente. Quando aparece numa Libertadores ou Sul-Americana, aparece ali só para encher o saco dos outros times, lesionar jogadores adversários, jogar na retranca e proporcionar os jogos mais feios da competição, mas nunca jamais ser campeão (mortes na praia no máximo).

Além da retranca, a maior característica do clube, e que ficou bem evidente na Libertadores de 2014, é o hábito de seus jogadores serem barangueiros. A barangagem é um hábito estimulado nas escolinhas do clube desde as mais tenras idades, por isso quando atingem a idade profissional os jogadores do clube não sentem a menor vergonha em postar nas redes sociais fotos de festas regadas a drogas e putas de medíocre beleza física.

História[editar]

Fundação[editar]

O Defensor foi fundado em 1913 como Club Atlético Defensor, ainda para jogar o recém-criado Campeonato Cisplatino da época. Mesmo sendo um time antigo e jogando num estado país onde quase não existem times de futebol, o Defensor jamais conseguiu ser grande. Por mais de 100 anos de história a rotina desse clube é apanhar de Peñarol e Nacional e vê-los sendo repetidas vezes campeões nacionais, continentais e até mundiais. É um time ruim em todos aspectos.

Primeiro título[editar]

Após singelos 43 anos de Campeonato Cisplatino tendo apenas Peñarol e Nacional como campeões, o que é normal de se ver nesses campeonatos estaduais menos relevantes onde a rivalidade é polarizada apenas entre dois times, coube ao Defensor quebrar essa hegemonia dos dois principais clubes do estado país ao sagrar-se o campeão cisplatino de 1976. Tal feito só foi possível graças ao técnico José Ricardo de León, um visionário para a sua época e responsável por mudar o paradigma do estilo de futebol do Defensor para sempre.

Naquele ano de 1976, assim que o técnico novo chegou naquele time logo pensou "então o nome desse timeco é Defensor, acho melhor então eu armar uma retranca fodida, senão serei demitido". Tal inovação no estilo de jogo desse time mostrou-se promissora, ao investir tudo num futebol feio, retrancado, defensivo e com foco na porrada e não no futebol, o Defensor surpreendeu Nacional e Peñarol pela primeira vez em sua vida, conseguindo superar ambos e tornar-se o grande campeão da Cisplatina.

Tal feito até rendeu a vaga na Libertadores de 1977, mas indo jogar num grupo junto com Boca Juniors e River Plate onde só o primeiro classificava, não teve a menor chance, e já na sua primeira participação realizou o que ainda viria a ser sua marca registrada: Participar.

O que a torcida do Defensor não esperava era que o futebol retrancado que o time assumiria como sua postura para sempre, na tentativa de ganhar mais campeonatos uruguaios, não serviria mais, já que times com retranca só vencem campeonatos a cada passagem do Cometa Harley, como foi a Grécia vencendo a EURO de 2004, algo que sabemos não acontecerá nunca mais.

Fusão[editar]

Em 1989, a beira da falência, o que não é de espantar, afinal o time não ganha nada e ainda exibe o futebol mais feio da América Latina, fica difícil gerar renda mesmo, a saída foi fundir o 'Defensor Sporting Club' com o 'Sporting Club Uruguay', um time de peladeiros local dando origem ao atual Defensor Sporting Club. O time, porém, continuou a mesma porcaria de sempre.

Competições internacionais[editar]

Além da retranca, os jogadores do Defensor também são especialistas na técnica da barangagem, o que ficou claro na classificação sobre o Atlético Nacional na Libertadores de 2014.

A partir de 2007, aproveitando-se do total declínio do futebol uruguaio para firmar-se como a terceira potência do futebol uruguaio. Nessa mesma época a CONMEBOL inventou que o Uruguai poderia ter mais de 3 times nas suas competições, surpreendendo a todos, pois já é amplamente conhecido que aquele país só tem dois times. Tal decisão, porém, beneficiou o Defensor que passou a jogar a Libertadores e a Sul-Americana com certa regularidade, até podemos confundir e achar que se trata de um time grande.

Tornou-se um time viciado em quartas-de-final. Só em 2007 chegou a três quartas-de-final num mesmo ano. A ideia nunca é ser campeão, eles já sabem que não são capazes disso, então a ideia é sempre ser um time extremamente chato e que não se preocupa nem um pouco em exibir um futebol feio, truculento e defensivo para alcançar seus resultados. Graças a esse estilo assumido, acaba saindo-se relativamente bem contra times de países no qual o bom futebol bonito é valorizado, sempre dificultando as coisas para os times argentinos e brasileiros, mas basta pegar um adversário que jogue igualmente feio e que não ataque bastante, que o sistema retranqueiro do Defensor fica sem saber o que fazer, aí o time é eliminado.

Títulos[editar]

  • Campeonato Cisplatino: 4 vezes (1976, 1987, 1991, 2007–08)
  • Tríplice Coroa das quartas-de-final: 1 vez (chegou e foi eliminado nas quartas-de-final de Libertadores, Sul-Americana e Copa do Uruguai em 2007)