Delfim Moreira (Minas Gerais)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Va-a-merda-porra-(Luiz-Carlos-Alborghetti).gif Este artigo pretende ser ofensivo!
Se não se sentiu ofendido, edite-o até se ofender.
E se você se sentiu ofendido, VÁ A MERDA, PORRA!!!


Wikisplode.gif
Para aqueles sem senso de humor, os espertalhões da Wikipédia têm um artigo (pouco confiável) sobre: Delfim Moreira (Minas Gerais).

Cquote1.png Você quis dizer: Fim do mundo Cquote2.png
Google sobre Delfim Moreira (Minas Gerais)
Cquote1.png Certa vez passei por lá e soltei um pum Cquote2.png
Chuck Norris sobre a origem do buraco onde foi erguida Delfim Moreira
Cquote1.png Não sei, só sei que foi assim Cquote2.png
Chicó sobre surgimento de Delfim Moreira
Cquote1.png Você quis dizer Itajubá Velho. Cquote2.png
Marmelópolis sobre Delfim Moreira
Cquote1.png Os imigrantes vieram da Bahia e fundaram a cidade Cquote2.png
Gilberto Gil sobre Delfim Moreira
Cquote1.png Eu não dei fim no mundo Cquote2.png
Carla Perez sobre Delfim Moreira
Cquote1.png Um homem sem religião é como um peixe sem bicicleta. Cquote2.png
Mirso refletindo sobre a vida

Delfim Moreira
Roge.gif
Bandeira oficial da cidade
Localização Em algum lugar perto de Itajubá.
Línguas Oficiais Mineirês e Caipirês;
Prefeito Faz diferença?
População Mais ou menos 8006 habitantes - mais que Marmelópolis, que é o que importa.
Área Total Muito grande porém quase toda desértica(Maior que Marmelopolis!!).
Gentílico Delfinense.
Foto panorâmica da roça.

Delfim Moreira é uma cidade sul-mineira que faz fronteira com Óz, o Acre e com o mar, porém a única coisa que seus próprios habitantes sabem é que faz fronteira com Itajubá, destino da única estrada utilizada pelos delfinenses.

Lazer e esportes

Algumas das atividades mais praticadas são o levantamento de enxada e de copos. Nada se compara, porém, ao “xô Satanás” das igrejas evangélicas, atividade muito apreciada por metade da população delfinense, que frequenta essas igrejas. Entre os jovens, a atividade mais praticada é a corrida, realizada por eles quando saem da E.E.Marquês de Sapucaí e correm atrás de seus ônibus.

Genética

Devido ao altíssimo índice de relacionamentos consanguíneos (afinal, na cidade, quase todo mundo é primo um do outro), surgiram sérias alterações genéticas nos delfinenses, entre elas, o fato de pouquíssimos delfinenses terem mais de 1,60m de altura (e quando tem, terem
Típico morador Delfinense
exagerados 2,10 de altura e por aí vai), além de uma falha genética que faz com que metade dos delfinenses pronunciem palavras como flor, placenta, ou claridade como “fror”, “pracenta” e (pasmem) “craridade"!!!

Mulheres

No caso das mulheres, a maioria possui belos rostos mas são desfavorecidas em certos aspectos anatômicos essenciais. Muitas se casam antes de atingir a puberdade a maioridade, como forma de não precisar trabalhar nem estudar ficarem livres da repressão sexual e autoritarismo dos pais. Por engravidarem cedo, possuem alta propensão a obesidade depois do casamento, contrastando com seus conjugues, que geralmente possuem menos de 60 kg. Entre as jovens, aumentou exponencialmente os casos de rasgação de velcro, o que demonstra que os Delfinenses não estão "muito bem da bola" que a cidade vem se tornando mais tolerante a diversidade..

Homens

São feios como o Satanás do avesso, mas magros e definidos devido a labuta na roça intensa atividade física que o meio propicia. Não costumam engordar após o casamento, devido ao efeito inibidor do apetite causado pelo alcoolismo. A maioria pode ser vista nos bares e festas da região, já que a presença feminina nesses ambientes é raríssima.

Roge

É o nome da escola de técnicas roçeiras da cidade, onde os alunos aprendem a manusear sofisticados instrumentos tecnológicos como enxadas e cavadeiras, além de como tocar nas genitálias dos animais dando a isso o nome de técnicas pecuárias. Acredita-se que seus alunos não são seres humanos normais, visto que conseguem estudar o dia inteiro e fazer festas todos os dias, dormindo em média 2 horas por noite, além de beberem somente álcool ao invés de água e utilizarem blusas e calças jeans em dias de sol, inclusive fora da escola. Acredita-se, inclusive, que o uniforme da escola esteja integrado a pele dos estranhos seres, motivo pelo qual eles andam de uniforme mesmo no domingo e longe da escola.

Bairros

Nada é mais incompreensível que o nome dado aos bairros de Delfim Moreira. São nomes estranhos e que não possuem nenhuma ligação com suas verdadeiras características. Dessa forma, simplesmente não se criam bodes no bairro Barba de Bode (tão pouco os homens usam cavanhaque), só há evangélicos no Santa Cruz (e nenhuma cruz), impossível andar de salto no barro que faz no Salto, não tem água limpa no Água Limpa, e definitivamente nenhum bairro é tão pobre quanto o Vila Rica.

Nomes

È muito comum entre os cidadãos delfinenses que os pais deem aos filhos nomes cujo eles próprios são incapazes de pronunciar, como Wesley (“Vem cá Ésly”) Cláudio (a) ( Que foi isso Cráudio), etc. Piores são, porém, os nomes que derivam desses, resultando em inúmeros e inacreditáveis “Craudinelson”(Claudinelson), Eslitom (Weslinton), e outras derivações.

Domínio Cotiano

De uns tempos para cá, a cidade vinha sendo dominada por pessoas anônimas, em sua maioria assassinos, corruptos e músicos, originados em Cotia que utilizavam técnicas de dominação e subjugação da população, tais como alugar todas as casas e tentar atropelar habitantes da cidade com suas caminhonetes. Segundo seus estudos de previsão, dentro de 4 anos (até 2013) eles dominariam a cidade, já que não haveria mais condições para os Delfinenses sobreviverem. Algumas de suas táticas eram:

  • Alto custo de vida;
  • Mudança da religião oficial da cidade;
  • Retorno a ditadura;
  • Alta taxa de atropelamentos;
  • Compra de todo território municipal (inclusive os bairros);
  • Controle dos eventos;
  • Assassinato de revoltosos.

Infelizmente para eles, seus planos não puderam ser levados adiante por ser economicamente inviável, afinal que vantagem alguém pode levar em conquistar um lugar como Delfim!!! devido ao clima siberiano e área topográfica de acesso impossível difícil acesso da cidade. Apenas delfinenses nativos são capazes de sobreviver ao meio, de forma que os cotianos tem debandado aos poucos do território da cidade.

Cquote1.png O QUE ELES ESTÃO PENSANDO: VIVEM FALANDO NO JORNAL DA CIDADE QUE A CIDADE É PACATA E TRANQUILA, QUE AQUI HÁ PAZ E TUDO MAIS, MAS PRA ELES DEVE TA UMA BELEZA MESMO ANDANDO IGUAL LOUCOS !!! Cquote2.png
Delfinense sobre Cotianos