Demônios da Garoa

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Arband.jpg Este artigo é sobre um(a) artista, grupo musical ou uma banda.

Certamente, seus fãs idiotas alienados o odiarão!

Bandeira do Estado de São Paulo.svg.jpg Eaew, jhow! Este artigo é paulista: não gosta de gaúcho nem de carioca e se acha um puta trabalhador, né, meu! E não tá completo, pois o vacilão foi tomar um chôps e dois pastel, meu!


Os próprios pegando um trem. Repare na antiguidade dessa banda.
Waldemar Pezzuol dando inaugurando a nova capa do trigésimo primeiro álbum da banda. Haja álbum!
A banda, em seu nonagésimo aniversário


Cquote1.png Samba é o que há Cquote2.png
Nego que pula carnaval no Rio De Janeiro sobre Demônios da Garoa
Cquote1.png Ah que o negócio é rock das antigas \m/ Cquote2.png
Raul Seixas sobre Samba
Cquote1.png Ótimo samba e musicalidade. Cquote2.png
Retardado sobre Demônios da Garoa, que nunca ouviu Metallica pelo menos uma vez na vida.

NewBouncywikilogo.gif
Para os neo-ateus que preferem acreditar em mentiras, os supostos experts da Wikipédia têm um artigo sobre: Demônios da Garoa.

O que é[editar]

Demônios da Garoa é uma banda de samba que surgiu em 1899, por Waldemar Pezzuol, e o nome Grupo do Luar foi criado por sua mulher Elvetia Ciampi Pezzuol.

A banda é uma grande intérprete de Adoniran Barbosa, e em 1902 cantou pela primeira vez no rádio, sendo aplaudido pela platéia de 2 pessoas na Rádio Bandeirantes. Em 1916 conheceram Adoniran, nas gravações do filme O Cachaceiro. O locutor Vicente Leporace decidiu mudar o nome da banda, quando começou um tiroteio na rua, e estava garoando naquela hora, e um dos ladrões gritou: "Aqui é o diabo falando", assim surgiu o nome Demônios da Garoa.

O grupo estava todos os dias em um boteco de muito bom humor, e em 1935 gravou Trem das Onze, música que teu avô ainda possui no LP dele chamado de "As melhores músicas de 1800-1950", com hits de Papai Noel Rosa e o lateral Roberto Carlos. No grupo, um dos cantores era Ace Ventura Ramirez, que usava um violão de 24 cordas. Os dois últimos membros do primeiro Grupo do Luar morreram em 2000 (Arnaldo Rego Rosa, de cirrose e overdose de remédios em um tratamento na coluna) e 2005 (Toninho Gomes, depois de comer um pote de geléia sendo que este estava com diabete).

Discografia[editar]

  • 55 Anos de Garoa em Curitiba (1997)
  • Demônios da Garoa no passado, amanhã, hoje, em 2267 (1995)
  • 50 Anos de puro samba! (1994)
  • Esses Divinos mas espera, DIVINOS? Demônios da Garoa (1990)
  • O Samba Continua infelizmente (1980)
  • 34 Anos de Música Brasileira não seria samba? (1977)
  • Samba do Metrô (algo tipo: peguei o metrô as deizzz e tava uma grande muvucaaa *sons de pandeiro* e tinha aquela nega do nossooo Brasill) (1975)
  • Torre de Babelfish (1974)
  • Abre, gira, entorta e bate amor (1973)
  • Eu Sou de Dá Lá Dá Cá (1972)
  • Aguenta a Mão, João, porque essa vai ser rápida! (1971)
  • Sai de Mim, Saudade (1971)
  • Doido Varrido (plágio do "maluco beleza" do Raul Seixas) (1969)
  • Ói Nóis Aqui Tra Veis (sim, eles são semi-analfabetiSados) (1969)
  • É de Samba Vol. 2 (1968)
  • É de Samba, ou de pagode? (1968)
  • Leva Este corpo que não te pertence, satánas! Em parceria com o Padre Quevedo (1968)
  • Eu Vou Pro Samba, sacudir um pouco a banha! (1965)
  • Trem das Onze (1965)
  • Mas (Porém) Demônios Que Nunca (1962, Argentina)
  • Demônios em Sambas Divinais (1961)
  • BavGusnfwça (1958)
  • Demônios da Garoa esbanjando criatividade (1957)
  • Saudosa Maloca (se você notar bem, essa banda é quase imortal, ela está a aproximadamente 115 anos na ativa É ISSO AÍ!) (1957)