Demervaldo Batista da Silva

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Din.jpg Demervaldo Batista da Silva é mais um dos
POLÍTICO$ DO BRA$IL

E já comprou votos com cesta-básica.

Aviso importante: Politicagem aqui NÃO, cazzo!
A Desciclopédia é um site de humor, logo, NINGUÉM aqui se importa com sua opinião sobre a moral pública, a TV Pública ou as mulheres públicas. Seja engraçado e não apenas idiota.
Demervaldo demonstrando sua sabedoria universal.

Demervaldo Batista da Silva (Em algum buraco do Paraná, c. 1948) é um famoso vereador da cidade de Campo Mourão, no Paraná, que é conhecido por suas habilidades quase infinitas, como falar vários idiomas, ser o ciclista galáctico e também ser um climatologista ultragenial ao descobrir a causa real do aquecimento global (gozado que sem querer rimei tudo com "al", acho que vou passar mal).

Origem[editar]

Demervaldo nasceu numa fazenda de plantadores de cacau café e boi, com uma habilidade fora do normal, pois que já sabia ler e escrever LOGO que nasceu, e entrou na escola já com esse saber, o que o fez subir várias séries, com 12 anos já era suplente de professor de português e com 16 anos já era formado em licenciatura de ciências. Com esse saber revolucionário faria Isaac Newton morrer de inveja e enfiar a maçã que caiu em sua cabeça no próprio cu de raiva.

A jornada épica para mudar o clima do Brasil[editar]

Nas horas vagas Demê costuma ficar na praça principal da cidade como um genuíno pregador dizendo coisas como "sabe por que o Yoshi morreu no elevador? Por causa da pressão do povo!"

Demervaldo começou sua jornada por baixo, pois ele é, como alega de si mesmo, "muito humilde, filho de fazendeiros", mas logo conseguiu se tornar vereador com seu discurso genial de poder transformar a agricultura de sua cidade a níveis revolucionários, com uma técnica aprendida com a japonesada chamada de "arroz molhado". Essa receita fabulosa revelou-se surpreendente, e assim ele decidiu levar o projeto pro Brasil inteiro, criando um projeto lei (sic) chamado "Brasil com Irrigação", mas tal qual a lei da Cura Gay, precisou de um nome chamativo pro projeto lei engatar, e assim chamou de "Brasil Molhado", o que foi um grande sucesso.

Logo o mesmo foi conhecido no país inteiro com suas viagens ao longo do país, para conseguir divulgar a lei mandada e encabeçada por ele, passada por juízes e promotores, tendo passado (ao vivo, frise-se) pelo Rio e Niterói, com autorização expressa do King Size do Rio de Janeiro para usar o serviço das barcas. Quando ele foi pro Nordeste, passando por Roraima (que alguns tolos geógrafos falam ser no Norte, por pura burrice e desserviço dos mesmos), ele descobriu o motivo que por vezes chovia e relampejava estranhamente em Paraná: Os roraimenses viviam ligando aparelhagens e torneiras que causavam o aquecimento global. Alarmado com sua descoberta, ele rapidamente montou um projeto de lei para mudar o clima do Brasil, que deve consistir em impedir o desastre causado por essas aparelhagens de Roraima e salvar a nação inteira. Veja abaixo a entrevista dele, em que ele utiliza-se se sua sabedoria multiforme e sua habilidade poliglota ante o repórter, habilidade essa que usou para ensinar Joel Santana anos antes a falar ingrês fluentemente.

P.S.: Ignore aquela mina no fundo rindo do mestre.

O Ciclista Galáctico[editar]

Por que usar apenas esse frágil capacete pra andar de moto, digo, de bicicleta? A maior proteção tá no BONÉ!

Demervaldo, já como DEPUTADO e na internet como [email protected], continuou com seu projeto ambicioso, agora usando uma burra (não uma mula nem a sua mãe e sim uma bicicleta, pros íntimos) no meio da rua de toda a Paraná e com uma carrocinha a tiracolo, sempre bem protegido por um capacete de motociclista e um boné (sim, um boné, tudo junto), inspirado no seu herói predileto, o Surfista Prateado, a trabalhar em postes, usando o capacete para não levar choques dos raios solares e assim levar a irrigação pro Brasil inteiro. Agora com parceria da cidade de Piabirú, pois eis que ele tornar-se-ia o novo vice-prefeito da cidade, patrocinado também pelo Banco do Brasil da cidade e por Dilma e Temer e Nelson ou Marla Túrick (?), que deram a ele uma caminhonete F-4000 ano 68 (eu acho que é isso) faixa amarela de placa AIV 6844.

Para evitar gastos excessivos e desequilíbrios da natureza, ele vende mudas baratíssimas, como de castanha-do-pará a 60 pilas e de acerola "a rainha do pomar" a 160 contos. Tudo isso pra pagar mais duas caminhonetes, já que seu salário de solteiro viúvo e aposentado não são suficientes para tanto. Ele revelou que também está necessitado de uma namorada, pois que nada mais justo para um ser jovial e genial como o mesmo. Veja seu apelo num programa de namoro da TV, inclusive com o telefone que ele não pode usar porque ele não pode pagar ainda, mas a conta corrente já tá aí pra você o contactar:

Curiosidades[editar]

Broom icon.svg
Tua mãe desencoraja seções de curiosidades, mas nós não ligamos a mínima! Sob as políticas da Desciclopédia
Mas bem que esta seção pode ser aproveitada integrando-se piadas decentes às seções mais adequadas.
Cada curiosidade pode render uns bons parágrafos, então faça direito!


  • Ele canta música gospel de primeira;
  • Ele também sabe a primeira, segunda e terceira geração da língua nippon, que é a língua da japonesada, cantando fluentemente como um artista autentico de J-Pop na área de contabilidade (lembrem-se sempre que é dessa área apenas!)

Cquote1.png A gente tem que ser ao vivo o que a gente é de verdade! Cquote2.png
Demervaldo sobre si mesmo

Cquote1.png Eu vô depender do povo que me ajuda, por causa que é o seguinte - muita gente é muita abelha que faz o mel. Cquote2.png
Demervaldo sobre o povo

Ver também[editar]


Caninha2.JPG Cquote1.png Ê-iê-iê-iê... Cquote2.png

Este artigo tem cheiro de porre! O autor está caído na calçada, gorfando álcool puro. Melhore este artigo e ganhará 6 litros de uísque, mas se vandalizar, será obrigado a tomar Devassa quente!

Din.jpg Demervaldo Batista da Silva é mais um dos
POLÍTICO$ DO BRA$IL

E já comprou votos com cesta-básica.