Desciclopédia:Convenção de títulos

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

O CONTEÚDO ABAIXO É SÉRIO!
Seja engraçado e não apenas idiota! Leia bem esse artigo antes de querer fazer merda.


Embora a Desciclopédia seja um site satírico, a padronização de títulos é extremamente essencial para manter organização e assim assegurar melhor navegabilidade pelo site. Portanto organização nos títulos dos artigos e sua categorização se faz necessário para garantir a graça do site e evitar o caos.

Lembre-se que se o título não padronizado representa uma piada imprescindível, é sempre possível utilizar-se do mecanismo do {{DISPLAYTITLE}} para modificar o nome no artigo, mas não em suas categorias.

Convenções gerais

Seja preciso e claro

  • Não use um título ambíguo exceto quando não houver outra alternativa.
Correto: Karl Marx, René Descartes, Década de 1920
Incorreto: Marx, Descartes, Anos 20 — estes só serão criados se forem redirecionamentos

Opte pelo título em extenso

  • Sabemos que você adora escrever em tiopês, mas esse não é o idioma da Desciclopédia, portanto evite siglas e abreviações.
Correto: Ass to mouth, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Resposta sensorial autônoma do meridiano, Arsenal Football Club
Incorreto: ATM, UFRJ, ASMR, Arsenal FC

Uso de maiúsculas

O software da Desciclopédia faz a distinção entre maiúsculas e minúsculas, ou seja "Convenção de títulos" é diferente de "Convenção de Títulos". A única exceção a esta regra é a primeira letra do título que é sempre interpretada como maiúscula, mesmo que escrita como minúscula (então "Convenção de títulos" é o mesmo que "convenção de títulos"). Por esta razão, é muito importante que se normalize a utilização de maiúsculas de forma a minimizar a ocorrência de artigos sobre o mesmo assunto:

  • Só a primeira letra do título deve estar em maiúsculas.
Correto: Alemanha
Incorreto: ALEMANHA
  • Só a primeira palavra de um título composto é que deve ter a primeira letra em maiúscula.
Correto: Eminência parda, Mecânica quântica
Incorreto: Eminência Parda, Mecânica Quântica
  • A regra anterior não se aplica a nomes próprios ou outras palavras que por regra sejam sempre iniciadas por maiúsculas
Correto: Xanana Gusmão, História de Angola, 4 de Julho Esporte Clube, Rede Globo
Incorreto: Xanana gusmão, História de angola, 4 de julho esporte clube, Rede globo

Lembre-se sempre de que usualmente nos referimos a um artigo através de uma ligação interna, o que ressalta a importância do título do artigo ser de tal forma que possa se integrar em uma frase. Nunca Use a Escrita de Maiúsculas no Meio de Uma Frase, o que além de feio é incorreto. VOCÊ TAMBÉM NÃO PRECISA GRITAR NO ARTIGO, a gramática agradece.

Uso de plurais em títulos

Em muitos casos, uma palavra aparece num texto no plural. No entanto, os títulos dos artigos devem usar sempre a forma singular, excepto nos casos em que a palavra seja usada apenas no plural, ou quando fizer mais sentido falar no conjunto que no indivíduo. Mais uma vez, esta convenção tem como objetivo evitar a criação de artigos duplicados. As exceções se dão pelas palavras e termos utilizados somente no plural, como óculos, bem como os nomes de povos, tribos e civilizações, como por exemplo os ianomâmis, assírios e eslavos.

Correto: Aves, Palavras cruzadas
Incorreto: Ave, Palavra cruzada

Cuidado com a utilização de alguns caracteres

  • Devido a limitações no software, alguns caracteres não podem ser usados nos títulos pois podem causar problemas. Por exemplo, os seguintes caracteres não podem ser utilizados nos títulos: # | < > { } [ ]
Correto: C Sharp
Incorreto: C#
  • Adicionalmente, um título não pode começar com um código de interwiki, formado por duas letras que representam a versão da Desciclopédia seguidas de dois pontos (:)
Incorreto: [[en:inglês]]

Iniciais maiúsculas em títulos compostos

Para o caso de nomes próprios compostos, a regra a ser utilizada é correspondente àquela definida no Formulário Ortográfico de 1943, a qual difere da adotada no Brasil pela ABNT. Desta forma, grafam-se com iniciais maiúsculas todas as palavras com exceção de artigos, preposições, conjunções e advérbios (os quais se escrevem em minúsculas). Portanto:

  • Exemplo 1:
    • Forma correta: A Liberdade É Azul
    • Forma incorreta: A liberdade é azul
    • Forma incorreta: A Liberdade é Azul
  • Exemplo 2:
    • Forma correta: Ensaio sobre a Cegueira
    • Forma incorreta: Ensaio sobre a cegueira
    • Forma incorreta: Ensaio Sobre A Cegueira

Uso de palavras estrangeiras

  • Os títulos em língua estrangeira só devem ser usados no caso de o seu uso ser mais comum do que a versão em português.
Correto: Moscou, Los Angeles
Incorreto: Moscow, Os Anjos

Tradução de nomes próprios e topônimos

Excetuando casos claramente consagrados pelo uso (em português do Brasil e em português europeu), ou devidamente verificáveis por fontes, os títulos de verbetes referentes a pessoas e topônimos deverão ser grafados segundo a sua língua de origem (excluindo os casos que requerem transliteração). Nos casos em que estas grafias apresentem caracteres não utilizados em português (exemplo: Tromsø) deverão ser criados os redirecionamentos necessários (exemplo: Tromso).

Nomes próprios

Todos os artigos de biografias, sejam personagens fictícios ou personalidades reais, devem estar no formato ocidental nome + último sobrenome. Portanto nomes orientais, normalmente escritos após o sobrenome, devem ser ocidentalizados. E àqueles que possuem múltiplos sobrenomes, utiliza-se apenas o sobrenome principal após o nome.

Exemplos
Urameshi Yusuke fica Yusuke Urameshi
Miyamoto Shigeru fica Shigeru Miyamoto
Miguel Gregorio Antonio Ignacio Hidalgo y Costilla Gallaga Mondarte Villaseñor fica Miguel Hidalgo
Olavo Brás Martins dos Guimarães Bilac fica Olavo Bilac

Exceções ocorrem para nomes artísticos (ou nomes pelos quais determinada pessoa são amplamente conhecidas).

Exemplos
Dora Varga fica Aletta Ocean
Ana Maria Maffeis fica Ana Maria Braga

Exceções também ocorrem quando o formato nome+último sobrenome resultam num nome comum que pode ser facilmente confundido com humor privado a primeira vista.

Exemplos
Ronaldo de Lima fica Ronaldo Luís Nazário de Lima

Seres vivos

Quando Carolus Linnaeus instituiu o nome científico, ele não o fez a toa, mas para que a nomenclatura dos animais não se tornasse uma grande palhaçada de qualquer um chamando os animais como bem quiserem. Portanto todos artigos dos clados superiores (Reino, Filo, Classe, Ordem, Família e Gênero) devem vir com o título necessariamente no nome científico e não no nome comum, sendo criado, claro, o redirecionamento do nome comum ao nome científico.

A exceção, porém, fica para os artigos de espécies, nestes casos os artigos devem necessariamente ter o título de seu nome comum. Alguns animais as vezes possuem nome comum apenas em outro idioma e não possui tradução oficial para o português, mas traduzir livremente para o português é aceito nestes casos.

Outra exceção são para artigos de grupos de animais parafiléticos, ou seja, quando determinado artigo fala de vários clados ao mesmo tempo e não pode ser movido para nenhum nome científico específico sob o risco de perder sua amplitude, como é o caso de pato e águia (pois pato pode ser qualquer uma das subfamílias Dendrocygninae, Anatinae, Merginae, Oxyurinae e tantas outras; e águia pode ser qualquer uma das famílias Pandionidae, Accipitridae e outras).

Nunca se esqueça, o nome das espécies animais sempre são ortograficamente ligadas por hífen quando há mais de uma palavra.

Exemplos
Hiena fica Hyaenidae por se tratar de uma ordem que reúne os animais conhecidos como hienas.
Hiena-malhada fica com o título do nome comum por se referir à uma espécie de hiena em específico, e não crocuta crocuta, o seu nome científico.
Barata fica Blattaria por se tratar de uma ordem que reúne os animais conhecidos como baratas.
Barata-americana fica com o título do nome comum por se referir à uma espécie de barata em específico, e não periplaneta americana, o seu nome científico.
Baleia fica Mysticeti por se tratar da sub-ordem que reúne os animais conhecidos como baleias.
Baleia-azul fica com o título do nome comum por se referir à uma espécie de baleia em específico, e não balaenoptera musculus, o seu nome científico.


Dryocopus javensis, embora não tenha uma tradução oficial para português, em inglês é conhecido como "white-bellied woodpecker" e pode (não sendo obrigatório nesses casos), portanto, ter uma tradução livre para pica-pau-de-barriga-branca
Latrodectus corallinus tem seu título como nome científico porque não possui nome comum nem em português ou qualquer outro idioma.

Para os vegetais não é necessário haver dois artigos distintos, um para a árvore e outro para o fruto. Nesses casos pode-se mesclar os conteúdos, dando preferência ao título do fruto.

Exemplos
Jaca, ao invés de jaqueira.
Abacate, ao invés de abacateiro.

Obras de arte

Toda obra artística deve estar com seu título no idioma de origem apenas se não houver tradução oficial para o português do Brasil. Existindo a tradução para português dar-se-á preferência ao título em português (inclusive de filmes, diferenciando da convenção de títulos vista na Wikipédia). Incluem-se portanto filmes, quadros, esculturas, livros e monumentos, exceptuando-se jogos de videogame que devem sempre vir em seu idioma de origem.

Exemplos
Filme: Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge ao invés de The Dark Knight Rises;
Quadro: Dama com Arminho ao invés de Dama con l'ermellino;
Livro: A República ao invés de Politeía;
Monumento: Torre Eiffel ao invés de Tour Eiffel;
Jogo de videogame: Middle-earth: Shadow of Mordor ao invés de Terra-Média: Sombras de Mordor.

O CONTEÚDO ACIMA É SÉRIO

Seja engraçado e não apenas idiota! Leia bem esse artigo antes de querer fazer merda.