Desciclopédia Discussão:Mídia

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

não poderia colocar alguns úsuarios também,não é sempre que esses administradores estão,falar nisso o que aconteceu com o Rothmans Flodyano ele sumiuUsuário:R3n4to/ass 14h17min de 1 de setembro de 2009 (BRT)

ele abandonou esse lixo agora ele le a wikipedia.o comentário precedente deveria ter sido assinado por 200.234.50.77 (discussão • contrib.)

Que bom! Gabriel Desciclo (discussão|contribs) 15h23min de 24 de junho de 2010 (BRT)

Antigo conteúdo do artigo governo brasileiro[editar]

O Brasil possui o governo mais burro do mundo! A Desciclopédia Wikipédia já foi citada como fonte bibliográfica em documentos oficiais dos poderes executivo, legislativo e judiciário do brasileiros.

Parabéns pelo reconhecimento! Já somos referência científica!
Comportamento natural quando um cidadão lembra que a Wikipédia foi confundida com a Desciclopédia.

Poder executivo[editar]

O documento Plano Territorial de Desenvolvimento Rural Sustentável, realizado pelo Instituto Samaritano de Políticas Públicas Albert Sweitzer, com apoio do Ministério do Desenvolvimento Agrário, através da Secretaria de Desenvolvimento Territorial, a parte que fala do município de Santo Afonso (Mato Grosso) é baseada na Desciclopédia:

  • Cidade de história antiga e tradicional, é mais uma dentre os 500 povoados matogrossenses que surgiu graças à corrida de garimpeiros ávidos por ouro e diamante. Após algumas décadas de agressão contínua ao solo, desmatamento na fauna e flora nativa e poluição dos mananciais e lençóis freáticos com os produtos da garimpagem, aquele pequeno poço de merda foi abandonado pelos garimpeiros que com o fim das pedras preciosas na região, foram procurar outro lugar para arrasar. Sobrou apenas um pequeno e humilde povoado cheio de descendentes daquelas meretrizes do século XIX que não tinham onde cair mortas e deram continuidade ao vilarejo. Santo Afonso foi uma das cidades onde passou a famosa Comissão Rondon, um grupo de malucos que saiu construindo telégrafos no interior do Brasil. Até hoje aqueles telégrafos do Marechal Rondon ainda são usados para comunicação com o mundo exterior. Em 1959 ocorreu uma ocupação definitiva de Santo Afonso, quando grande parte de suas terras foi grilada e “[d]oada” ilegalmente para diversos fazendeiros paulistas e paranaenses que fizeram o favor de terminar o serviço que os garimpeiros haviam começado séculos antes, e desmataram os últimos resquícios de floresta nativa para criarem um pasto para seus bois gordos e vacas loucas. Atualmente não passa de um município que ninguém conhece, e só faz número entre as cidades ao redor de Cuiabá. Cidade que sobreviveu graças à décadas graças ao garimpo do diamante. Com o fim dos recursos minerais foi a vez do extrativismo vegetal de seringueiras e ipecacuanha. Da seringueira tiravam o leite do pau para fabricar borracha e da ipecacuanha tiravam de sua flor uma substância alucinógena psicotrópica que era muito popular e vendida na fronteira com o Paraguai em formato de um “ecstasy” conhecido popularmente como tesão das vacas. Mas até essa abundância vegetal foi extraída até a sua última folha, e hoje restam apenas os pastos do gado de corte.
(páginas 32 e 33)

Ordem dos Advogados do Brasil[editar]

Quando, em 2009, um advogado japonês se candidatou a desembargador pelo Tribunal de Justiça, o conselheiro Horacio Neto rejeitou seu pedido por considerar um achincalhe o fato de Yung ter dado, como referência, ter sido advogado do Consulado do Domínio de Melchizedek. Segundo Horacio Neto, este domínio seria um estado pós-moderno, paraíso fiscal e que ocupava uma região do Território Australiano da Antártica. A fonte usada pelo conselheiro, porém, foi a Desciclopédia.

  • Não bastasse essas verificações, é bom que se informe a este Nobre Conselho que o Domínio de Melchizedek se apresenta em sua "home page" na internet (www.mechizedek.com) como um estado pós moderno, um estado na internet, de reconhecimento ‘eclesiástico’ (não há notícias da igreja que o reconheceu, embora haja rumores não confirmados, também presentes na rede mundial de computadores de que teria ele sido criado para servir como paraíso fiscal por religiosos dissidentes de conhecida igreja brasileira) que requereu pequena área de terra a Antártida e que afirma administrar 500 acres de terra na ilha não povoada de Taongi, no longínquo Pacífico Norte! Para se solicitar cidadania e passaporte do Domínio de Melchizedek, basta clicar no ícone eletrônico correspondente a essa bizarra naturalização!

Entenda o caso[editar]

Horacio Neto e sua secretária gostosa: Cquote1.png - Vem apagar meu fogo, Doutor Horacio. Você trabalha demais. Se você não quiser, o Ricardão quer. Cquote2.png

Um advogado japonês não se conforma com o fato de ter rejeitada sua inscrição para concorrer a uma vaga de desembargador no Tribunal de Justiça de São Paulo pelo quinto constitucional. O pedido foi negado pela Comissão de Inscrição do Quinto Constitucional da OAB. O advogado recorreu. Ao analisar o caso, o conselheiro Horacio Neto entendeu que o pedido de inscrição foi uma tentativa de achincalhe às referidas instituições, um desrespeito à profissão de advogado. Horacio Neto também votou no sentido de encaminhar o recurso ao Tribunal de Ética e Disciplina da OAB para ver se o advogado agiu com falta de ética ao apresentar o pedido de inscrição. O conselheiro pediu, ainda, que fosse registado um boletim de ocorrência na delegacia de polícia do bairro.

O motivo de tanta indignação foi o contrato de prestação de serviço apresentado pelo advogado como um dos requisitos exigidos pela OAB para se inscrever na lista. O advogado levou à OAB um contrato de prestação de serviço e honorários advocatícios, de 1996, assinado pelo Consulado do Domínio de Melchizedek. Horacio Neto foi procurar o que era o Domínio de Melchizedek no Google na Wikipédia, porque é senhor moderno e não usa mais as velhas enciclopédias de papel. Mas o burro nobre advogado que lutou pelas Diretas Já, confundiu a Desciclopédia com a Wikipédia. O conselheiro foi adiante. Procurou na lista telefônica se havia um Domínio de Melchizedek. Não encontrou o endereço.

Para o conselheiro, o advogado postulante à vaga na lista que irá escolher o desembargador do Tribunal de Justiça instruiu o pedido com um único documento tosco, injurídico, imperfeito, quiçá fraudulento, formalizado por uma representação diplomática inexistente em nosso país, firmado por um cidadão estrangeiro, não regularmente identificado, que se auto intitula adido comercial de uma nação virtual sem representação no Brasil, por intermédio do qual qual fica o requerente nomeado advogado para assuntos inexistentes e impossíveis de se verificar e de se comprovar!.

O conselheiro da OAB disse, ainda, que ao procurar no sistema processual do Tribunal de Justiça, não encontrou uma única ação em que o advogado defenda o consulado, mas é mentira! A Desciclopédia encontrou, no sistema de buscas, várias ações em que o advogado representa empresas em processos de execução e indenização, por exemplo, não só no Tribunal de Justiça de São Paulo, como nos Tribunais Superiores.

O que devemos aprender com isso?[editar]


Transcrevi o conteúdo acima que não tinha nada a ver com a antiga página, para esta discussão, apenas para fins de registro já que os fatos mostrados acima já estão devidamente linkados na página principal desta discussão. Jozeba4 250ianO 13h01min de 11 de fevereiro de 2017 (BRST)