Descobrimento da América

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Luteroaaaa.jpg Este artigo é relacionado à história.

Não estranhe a pederastia da Grécia Antiga. Tá bom, só um pouco.


Rambo.jpg Bem-vindo à selva!

Este artigo é sobre algo ou alguém localizado no meio do mato e vai te levar para o Lado Verde Escuro da Força. Se vandalizares, Rambo vai descarregar a metralhadora no meio da tua fuça!

Cquote1.png Puta merda! Isso aqui tá um bordel! Mas a gente nem precisa botar no papel! Cquote2.png
Cristóvão Colombo ao chegar na América

Cquote1.png Esse Colombo está doido da cabeça que eu vou dar meus fundos para uma navegação que poderá nos prejudicar e tirar muitas vidas! Cquote2.png
O Rei da Espanha sobre viagens de Colombo
Cquote1.png Eu já disse que é para mandar mais homens para lá! Não podemos perder as terras preciosas que estão me deixando rico! Cquote2.png
O Rei da Espanha após as viagens de Colombo
Cquote1.png Eu roubei seus créditos Colombo, MWAHAHAHAHAHA!! Cquote2.png
Américo Vespúcio sobre ter seu nome em homenagem a descoberta à América pelo Cristóvão
Cquote1.png Chegamos bem antes do Colombo! Cquote2.png
Chineses sobre América
Cquote1.png Nós também!! Cquote2.png
Vikings sobre América
Cquote1.png E nós descobrimos a América muito, mas muito antes de todos vocês aí juntos. Cquote2.png
Índios sobre América

Espanhóis e portugueses estavam de olho nas Índias quando aportaram na América...

A história do descobrimento da América começou há muito tempo numa galáxia distante, em centenas de milhares de anos, quando Deus provocou a grande imundação; Noé havia recebido a missão de repovoar o planeta para um mundo melhor, e para isso criou a Arca de Noé, onde ele e seus animais deveriam esperar o fim do dilúvio e, então, repovoar o mundo. Entretanto, Noé esqueceu de construir banheiros na arca, e com o passar do tempo já não se aguentava mais o cheiro de bosta que seus animais faziam. Assim ele resolveu pedir a Deus que se livrasse daquilo tudo... Deus atendeu o pedido e jogou aquele monte de merda para bem longe. Noé prometera a Deus que um dia iria procurar todo esse monte de merda, e procurou, procurou, mas nunca encontrou...
Você lerá a seguir... Como esse monte de merda foi descoberto!

Criação da América[editar]

América antes de ser descoberta.

Tudo começou no princípio, quando havia Deus e o Caos; naquela época tudo era caos, e tudo era nada, só havia Deus e vice-versa. Entendeu, jovem aprendiz? Para a melhor compreensão, utilize como exemplo o seu quarto, onde a bagunça impera, tudo acaba se tornando a mesma porcaria e você não consegue mais arrumar e esse tudo vira porra nenhuma. Mas é nesse momento que entra Deus, conseguindo organizar tudo, mostrando a diferença entre ele e os meros mortais. Enfim, seria Deus então uma empregada doméstica? E o que isso tem a ver afinal? Continue lendo, companheiro.
Após a organização desse caos, sempre sobrava algo que não servia para nada, cuja finalidade é o lixo, mas como não havia nada além daquele tudo, Deus não sabia onde socar aquilo... E enfiar no bolso seria desagradável, muito desagradável. Ele então necessitava de um destino para aquilo. Por isso ele o amassou com o seu cuspe, tornando o pó em barro e assim achou um local para jogar; no meio de um rio de... nada, no Planeta Terra.
Ele jogou tudo ali e deixou por um bom tempo. Contudo, após milhares, milhões de anos, Deus notou a burrada que havia feito: Misturou a parte civilizada com o seu lixo interestelar. Ele então dividiu a massa terrestre, torcendo para que os habitantes nunca encontrassem a sua cagada. Para ajudar mais ainda ele fundou sua própria filial e fez com que ela propagasse através dos tempos que depois de Portugal não havia mais porra nenhuma, além de um abismo que tragaria qualquer coisa que ousasse por lá passar (Mas isso é o que a Igreja quer que você, alienado fanático religioso, acredite).

Índia? Quem?[editar]

A América permaneceu esquecida na maior parte do tempo, porém excluindo-se irrelevantes carinhas que ou atravessaram o Estreito de Bering a pé na época (e olha que ir por ali é tão perigoso quanto andar nas proximidades da Favela da Rocinha com uma nota de cem reais na mão), ou fizeram umas canoinhas com aquelas árvores gigantes que dão em Tuvalu Ulterior, assim enfrentarando a fúria do Oceano Pacífico rumo ao nada. Eles nem desconfiavam do outro continente, só foram para lá de bobos alegres mesmo.
Nos séculos seguintes, no mundo civilizado (ou não), diversos impérios se levantaram, mandaram, caíram, tudo de novo, e acabaram sendo pisoteados pela incansável passada do tempo. Na Europa, sempre houve babação de ovo pelos incríveis produtos do oriente - leia Índia. Desde aquela época a China só produzia tranqueirinhas falsificadas sem valor algum.

Um dos vários mercadores turcos metendo o nariz no Caminho das Índias.

Esse puxassaquismo dos produtos indianos no velho continente atiçou a ganância árabe/turca, como se precisasse de muito para isso, logo mentendo aquele enorme nariz de turco na história. Eles decidiram tirar uma casquinha da grana e intermediar as compras da Europa medieval com o Extremo Oriente, utilizando uma tal de Rota da Seda. O problema é que eles superfaturavam encareciam todos esses preços, praticamente fodendo com as economias dos pobres senhores feudais.
Com esse dilema os europeus decidiram que iriam comercializar diretamente com os indianos. Contudo o caminho terrestre estava fechado pelos árabes e seus homens-bomba. A solução era ir por água, de navio, contornando a África. Muitos faziam esse caminho, inclusive um tal de Regatas Flamengo Vasco da Gama que até levou um poeminha de grátis, um livreco chamado Os Lusíadas.
Esse comércio com as Índias tornou-se tão interessante que atualmente chegaram ao cúmulo de lançarem até uma documentação novela. Mas tudo o que interessava era arranjar formas mais rápidas de chegar até lá, e como foguetes eram coisa do dimonho (o negócio tinha de ser com paus naus). A partir de estudos de experiêntes com base nessas viagens, eles propuseram que a Terra era redonda e que assim seria melhor ir para oeste para chegar no leste, proposição em total desacordo com a verdade da época. Além disso, quem é o otário que vai para o leste e vira a proa do navio para oeste?

O Planeta é Redondo ou Achatado?[editar]

É assim que os Europeus viam o Planeta Terra na era Colonial.

Não dá para se falar de Grandes Navegações do século XV e XVI sem citar o grande fantasma que rondava as mentes de cada um desses bravos homens do mar que encaravam baleias brancas e ondas bem grandes sempre com um belo sorriso no rosto - isso, obviamente, quando o escorbuto permitia.
Naquela época, todos se cagavam de medo ao ouvirem falar do que possívelmente haveria em além-mar. Todos acreditavam piamente que o mundo não passava de uma bela e reta tábua de terra juntamente com o Sol, a Lua e todos os planetas, incluindo Marte e Melmac, transladando em torno, tudo num mar de perfeição, reforçado pelas teorias dos ciclos Ptolomaicos que toda vez que davam um cálculo astronômico impreciso eles jogavam mais um ciclo em qualquer lugar que dava certo (você entendeu algo?). A crença em que a Terra é redonda feito um cubo para eles era algo inadmissível, afinal a gente sempre anda reto, segundo eles. Se fosse uma esfera nós sentiríamos (infelizmente ainda não havia o Google Earth).

Naquela época era a maior prova de que o mundo é plano, e o mapa-múndi não é redondo.

Mas para um homem desbravador conheçido como Colombo o mundo era uma laranja, que daria para fazer um belo suco.

Cquote1.png Desciclopédia tem orgulho de apresentar: Quando quiser fazer um suco de qualidade, utilize o Juicer Philips Walita! Mais suco! Mais sabor! E tudo feito de uma fruta fresca! Cquote2.png
Merchan Desciclopédia

Com o mundo redondo era possível chegar à direita indo pela esquerda, e chegar à esquerda indo pela direita, assim como rumar ao norte, seguindo o sul, vice-versa e versa-vice. Então ele teve uma genial ideia: Cquote1.png Vou para as Índias que ficam no leste rumando para o oeste. Acreditarei que no máximo o que eu encontro é um abismo... Cquote2.png
Esse foi o pensamento do navegador; no final ele dá sorte pois apareceu uma massa de terra recheada de gente pelada, plantando chá de Ayahuasca, com tendências antropofágicas, rituais bizarros, com piercings de madeira, falando em um idioma gutural e dominados por caciques imortais. Encontrar um lugar assim foi muita sorte, pois se não houvesse essa terrinha ele teria sido engolido pelo abismo que fica após o Acre, indo parar, talvez, na ilha de Lost e tendo que encarar todos aqueles mistérios sem nenhum pé, cabeça ou qualquer outra coisa.
O que importava para o pessoal dá época é que no final essa pergunta foi respondida: O planeta é sim plano. Afinal você já viu algum mapa-múndi esférico? Não, e nem eu - nunca se esqueça que aquelas fotos espaciais são montagens comunistas que visam apenas a lavagem cerebral.

Cquote1.png Mas eu já vi aqueles globos redondos na papelaria... Cquote2.png
Você sobre mapa-múndi esférico

Ehh... Conforme já dissemos... "A verdade é o que diz a Desciclopédia, e o resto é conspiração da Wikipédia e do Foro de São Paulo."

O homem, o mito, a colomba a colombina o Cristóvão Colombo[editar]

Colombo era conhecido pela monarquia por ser muito cabeça dura.

Em 1956, nasce o filho de uma grandiosa cortesã amada por todos, batizado de Cristóvão Colombo. Mas o primeiro testemunho sobre a sua origem foi nos dado por duas vezes em 1486 no livro de contas de Pedro Diaz de Toledo quando este se referia a Colombo por "El Portugues". Alguns autores referem-no também milanês, dado haver disputas fronteiriças entre os Estados de Milão e Portugal na época de seu nascimento, embora nós saibamos que ele nasceu mesmo foi na Casa da Mãe Joana (talvez seja por isso que é dificil saber se ele tem uma dupla nacionalidade).

Ele queria mesmo era ser colombina no carnaval de Veneza.

Dos anos que passam, Colombo cresce e começa a estudar livros proibidos pela Igreja Católica como os do Leonardo Da pra Vinci e dos supermodernos Cervantes & Santo Agostinho, tendo uma mente bem diferente da dos outros europeus que naquela época acreditavam muito em Chuck Norris Deus, e que tudo estava ligado apenas a Bíblia sagrada. Então ele começa a observar a natureza; a maçã que caía de um galho de uma árvore, o navio que descia sobre os Oceanos após estarem longe pra caralho, a anatomia da vizinha gostosa... Passou então a fazer muitas navegações pela Europa toda, com suas caravelas desbravando o Reno, o Tâmisa e o Tietê. Mesmo assim ele não tava satisfeito com apenas isso. Queria mais. Talvez um rolê no Parque aquático do Gugu.
Cristóvão Colombo decidiu então ir quebrar o tabu de que éramos limitados apenas aos reinos (chamado naquela época arcaica) grudados sobre as Terras, onde começou a organizar uma grande viagem indo ao infinito e além dos Oceanos para provar que existiria Terras além do desconhecido. Mas o único problema nisso é que Colombo não tinha sequer dinheiro para o buzão no bolso pra essas tão colossais viagens que estava afim de empreender.

Arranjando fundos[editar]

A princípio ele pensou em se prostituir... Mas com medo de ir pro inferno por praticar sodomia, foi pedir ajuda para os reis de qualquer país europeu aleatório (no caso o pessoal lá da Espanha). Os reis da terra da paella não se mostraram muito afim da ideia, mas Colombo estava realmente com vontade de se perder no mar e experimentar o abismo do fim do mundo... quem sabe?
Colombo então foi desafiado a convencer uma assembleia repleta de padres sanguinários da inquisição espanhola e nobres que só estavam por lá visando comer alguma coisa que provavelmente seria servida, algum canapé, ou até mesmo um pão duro com manteiga sebosa, afinal o que vier de graça é sempre lucro.
Colombo então passou a dissertar sua tese de mundos laranjais e histórias de que se você for para a direita chegará a esquerda para a população. Mas o pessoal estava cético em relação a isso e, na verdade, estavam de saco cheio de um cara falando sobre suposições geográficas. Travou-se então o seguinte embate de ideias, entre o navegador e o rei:

Com um Rei desses nunca dava para argumentar nada...
  • Colombo: Redondo!
  • Rei: Chato!
  • Colombo: Redondo!
  • Rei: Chato!
  • Colombo: Redondo!
  • Rei: Chato!
  • Colombo: Redondo!
  • Rei: Chato!
  • Colombo: Redondo!
  • Rei: Chato!
  • Colombo: Redondo!
  • Rei: Chato!

(após 3 dias)

  • Colombo: Redondo!
  • Rei: Chato!
  • Colombo: Redondo!
  • Rei: Chato!
  • Colombo: Redondo, como uma laranja!
  • Rei: Chato, como uma panqueca!
  • Colombo: Redondo, como uma maçã!
  • Rei: Chato, como você!

Após muito, muito, muito, muito, muito,... Muito, muito, muito tempo de discussão produtiva o Colombo e o rei não chegaram a nenhum acordo ou conclusão, ao menos a de que o Coringa é um grande filho da puta.

A rainha[editar]

...Já a velha Rainha foi bem mais fácil convencê-la a dar seus fundos.

Como não arranjou nada com o rei, Colombo teve que se contentar com o completo esquecimento histórico. Isso se a rainha mau-comida da Espanha não tivesse simpatizado com a carinha, e outras coisinhas do nosso adorado e querido Cristóvão Pombinha.
A rainha propôs ao marujo que ela bancaria a viagem em troca de várias requisições, todas censuradas pela censura chinesa de figurarem aqui, por seu caráter anti-revolucionário poder trair o ideal revolucionário, véio!
Ela, a rainha, Isabel, a Católica que bela alcunha, não?. Viu que a ideia do Colombo poderia render algo se desse certo. E, se não desse em porcaria nenhuma, como uma boa católica ela o mandaria para o berço-de-Judas, tornando assim obrigatório o retorno satisfatório de Colombo. A sorte havia sido lançada, os dados do destino jogados, o possível descobrimento da América estava em progresso e, como todos sabem, "uma vez elaborada a merda a única coisa a ser feita é dar a descarga". Só havia um problema; não se sabe onde os espanhóis arranjariam um tufão capaz de afundar um continente...

A Viagem de Cristóvão Colombo[editar]

A poderosa embarcação de Colombo em luta contra as poderosas tempestades da Natureza sobre o Mar

Para iniciar sua aventura. Cristóvão Colombo precisava de uma ótima tripulação... Mas como ninguém era maluco de se meter em uma loucura dessas, um terço de sua tripulação foi selecionada em um hospício, outra parte foi selecionada em um bar e outra parte foi selecionada entre os leitores da Desciclopédia.

Cquote1.png Iremos conhecer as Indias pelo outro lado! Cquote2.png
Cristóvon Colombo
Cquote1.png Hmmm... Indias? Pelo outro lado? Vou comprar mais lubrificante! Cquote2.png
Tarado da tripulação

Esse diálogo explica mais ou menos como a tripulação topou tamanha loucura... Ou não.

Em seguida... Planejaram a rota marítima que seria usada:

Cquote1.png Mas Sr. Colombo, a rota mais segura é a utilizada pelo Vasco da Gama! Porque não vamos usá-la? Cquote2.png
Marujo sobre a rota maritima
Cquote1.png Porque eu sou flamengo! Cquote2.png
Cristóvon Colombo

Assim foi decidido que a rota utilizada seria uma que eles ainda descobririam, tornado a viagem mais emocionante, contudo ninguém estava afim de encarar o desconhecido, isso só era legal nos filmes comerciais produzidos pela gangue do Obama, na vida real a coisa era bem diferente, destemidos marujos também se cagam em situações aterradoras.

Levaram equipamentos extremamente necessários como: Alimento, laranja para evitar o escoburto, cordas, armas, boneca inflável (Afinal vão ficar sem ver mulher por muito tempo) e o mais importante muito vinho para se o mundo for chato mesmo e isso tudo for o fim.
Os europeus não sabiam que seres estariam esperando-os nas Índias...

Cquote1.png Euf concordof! Maf euf recomendof umaf cervefinhaf! Cquote2.png
Lula sobre o equipamento mais importante

No entanto o vinho acabou logo após a partida, ninguém aguentou...

No meio das navegações, porém, muita merda aconteceu. Homens transando entre si, execuções aos Gays nos navios, revolta entre algumas pessoas só porque queriam comer um pedaço de pão menos podre, que estava quase acabando, epidemias de escorbuto e de miopia, tempestades perigosas que faziam com que algumas embarcações de Crstóvão Colombo balançassem mais que traseiro de dançarina de funk e, por vezes, afundando naus... Enfim, não tava nada bom, as pessoas já estavam se revoltando contra Cristóvão porque não estavam descobrindo nada ou tinham medo de cair no fim do Mundo, porque algumas pessoas pensavam que a Terra era achatada como aquele Rei fanfarrão.

Cristóvão apenas sobreviveu durante o resto da viagem, temendo ter a cabeça rachada pelos seus subordinados Colombo passou a viagem inteira trajado com sua armadura de batalha medieval, tudo bem ele perdeu 99% da mobilidade, mas estava protegidinho para qualquer motim que tivesse. Logo depois dessas brigas infantis (ou não) terminarem, finalmente eles começaram a ver Terra sobre o meio dos Oceanos. Seria uma ilusão de seu marinheiro bêbado?
Os europeus nem tinham ideia do que lhes esperava.

Cquote1.png Bêbadoo coooom o queeeê? Ooo... Viiinhoooo acaboooouuu (hirc) haá umaaas duaaas (hirc) semaaanaas... Cquote2.png
Marinheiro da tripulação antes de desmaiar.

É Terra! Descobrimos a Terra![editar]

Sim, depois de muitos vômitos, navios perdidos na fúria de Poseidon e de execuções a homens que tentavam fazer Colombo e suas tropas irem ao lado Rosa da Força, eles encontraram uma Ilha toda verde, onde por lá, a princípio achavam que era a Índia. Contudo ao aportarem na Terra, eles foram recepcionados por alguns seres de pele vermelha que tinham dúvidas de que eram os caras brancos, deuses ou seres branquelos e estranhos, como ET's do Panamá.

Colombo era um bom descobridor! Depois de descobrir a américa, ele descobre a batata da Desciclopédia.

Cquote1.png Terra a vista! Eu vejo algumas pessoas... São mulheres! Meu Deus, elas estão peladas! Cquote2.png
Marujo

Cquote1.png Deixa eu veeeeer! Cquote2.png
Outros marujos


Por estarem muito tempo sem ver mulheres, principalmente sem roupa. É bem previsivel o que ocorreu...
Depois da confusão, Colombo mandou que sinalizassem ao seu navio para que os demais ancorassem-no e pusessem-se a explorar, enquanto ele averiguava a nova Terra, onde por lá descobriu-se muito verde, muitas mulheres gostosas e, principalmente, muito pau, que possuía várias utilidades na Europa, no tingimento de roupas, na construção de barcos e naus, e, também, na fabricação dos mais variados vibradores.
Colombo ensinou a alguns das tribos a falar o inglês arcaico, língua que nem ele falava, mas quis pagar de bonzão. Falavam da Europa, das suas tecnologias e do seu modo cristão de viver, mas sem mencionar das perseguições às bruxas, as torturas e matanças que aplicavam sobre os que não veneravam a Igreja Católica, entre outros hábitos tipicamente cristãos, contudo só acabou ganhando simpatia dos Chefes da Tribo após citações a antropofagia, o sucesso foi tanto a ponto deles oferecerem as filhas para serem esposas do Colombo, desde que entregassem as suas tecnologias e "luxúrias" que tinham no seu país. Colombo aceitou mas disse que deveriam aceitar o Deus dele como o único para que ganhassem tudo isso. Colombo aos poucos foi conquistando mais informações culturais para trocarem, pra que assim consigam o melhor de benefícios em ambos seus povos e os da tribo.

Eis que então, vieram muitos mais navios e desta vez armados com soldados munidos de facões na abertura dos dentes para que pudessem escravizar os índios de lá (eles estavam em continente americano mesmo?). Colombo esperadamente, antes, fez com que já construíssem as primeiras Catedrais e castelos feitos de madeira para que caso os índios tentassem atacá-lo pudessem se defender. Então, eis que o objetivo foi feito. Os soldados começaram a matar os índios e escravizar suas mulheres e crianças. Porém, alguns índios já havia percebido que as tropas de Colombo não eram muito pacifistas começaram a criar pequenos clãs e atacando os homens pelas matas, já que se fossem em lutas em solo abertos seriam todos fuzilados por só possuirem arco e flechas como armas. Essas brigas ficaram tensas, Colombo tentou acalmar os lados, mas a merda já estava feita. Só restava pegar o churrasquinho de criança indígena e assistir ao espetáculo.

A Colonização[editar]

Um típico colonizador dando uma colonizada!

Depois de uma profunda análise dos europeus no território americano, principalmente no das americanas, eles viram que era necessário colonizar o local, para conseguir aproveitar tudo o que havia na região desde as grandes riquezas naturais como ouro, prata e adamantium, quanto a riqueza biológica, a biopirataria estava super em moda na época, todos queriam ter um desses bizarros bichos tropicais como totó de estimação para as crianças.

O processo de colonização foi muito tumultuado, super sangrento, banhado a sangue, lágrimas e muito chantilly. As primeiras colônias na América eram espanholas, isso teoricamente, já que haviam meia dúzia de espanhóis com trocentos indígenas servindo de escravos para os espanhóis ficarem coçando o saco.

Um dos principais motivos, além de riquezas fáceis, que levou a expanção a colonização Americana.

Os conflitos nesse período colonial acabaram surgindo, não por causa do trabalho humilhante e excessivo, mas sim pelos hábitos espanhóis de falar alto e ficar vermelhos enquanto o fazem, aquilo assustava os pobres nativos, imagine um cara branquelo, peludo e com uma arma começando a falar em um tom elevando e tendo a coloração da pele indo rumo ao escarlate, era assustador, tanto que os índios utilizavam o europeu da tez vermelha em vez do já afamado boi-da-cara preta.

O temor inspirado pelo jeito espanhol e pelo péssimo hábito deles de tomar banho uma vez por semana sob um Sol de 45° tornavam o convívio insuportável, o trabalho era o de menos, mas a tez rubra era uma visão digna de Loki, o deus maligno da crença dos habitantes. Vai me dizer que não sabia que foram os vikings que trombaram na América primeiro?

A colonização da América de uma forma geral foi muito sangrenta, principalmente, na América Espanhola onde Darth Cortés e e Hannibal Pizarro Lecter reduziram a gosmas sanguinolentas as duas grandes civilizações do continente que, por sua vez, eram extremamente pacíficas, afinal é normal arrancar corações de pessoas todas as noites ou empalar a qualquer um que encher o saco.

O choque cultural foi o grande problema da colonização, os habitantes e os exploradores não chegavam a um consenso, os europeus colocavam a televisão no canal de notícias, o pessoal da América do Norte e central preferia novela e o pessoal da América de baixo adorava a ESPN, e como havia uma única TV, a solução só pode ser decidida após muito, muito, muito sangue.

O final de Colombo[editar]

Imagem final do Cristóvão já recompensado pelas suas grande conquistas e descobertas

Colombo no final de sua vida morreu, por mais inacreditável que pareça foi isso o que ocorreu, o pobre bateu as botas, contudo nesse momento ele estava pobre, esquecido, viu seu continente receber o nome um outro navegante fanfarrão italiano. O final de Colombo na América foi algo bem estranho.

Ele foi obrigado a voltar a Espanha e prestar contas, sim já haviam governos corruptos adeptos a técnica do caixa-dois na Idade Moderna, Colombo não escapou da Polícia Federal, logo descobriu-se que ele possuía várias contas na Ilha de Man e no Uruguai, algumas em que ele usava o nome do próprio cachorrinho de estimação.

Com tais problemas com o Imposto de Renda, Colombo acabou sendo retirado da América por ação de uma panelinha que visava dominar a região, o genovês foi obrigado a se retirar da América, findando seu ciclo no Novo Continente, ou não. Alguns dizem que ele baixou num terreiro lá da rua de baixo, mas nada confirmado.

Países que tentaram tirar uma lasquinha da descoberta[editar]

Diversos países após a descoberta da América, viram que algo tão grande quanto cu de puta coração de mãe poderia ser repartido com eles, apenas com eles, outros eram extremamente mal-vistos, ou seja, toda a Europa queria a América, mas não reparti-la, iniciando uma corrida tão doida quanto a armamentista, a espacial e aquela do Dick Vigarista.

Esse países europeus logo puseram as garrinhas de fora, queriam abocanhar a América dos espanhóis tal como você faz com o sanduíche da sua irmã pentelha, todo mundo que tinha um naviozinho estava afim de ir para o novo continente para ver se encontrava ouro, prata e índias ninfomaníacas bissexuais.

Dentre os que por aqui tentaram fincar os pezinhos, na época supracitada foram:

  • Bananaespanhola.jpg Espanha — O país original, aquele que descobriu e que, teoricamente, teria o direito nato a exterminar as populações nativas e explorar até o osso o território, foram eles os primeiros que se sujeitaram a passar meses no mar rumando ao nada, mas é melhor parar de falar por aqui, antes que o Don Juan mande todo mundo se callar.
  • Banderaportugal.png Portugal — Nesse caso os portugueses até que foram muito espertinhos, fizeram um tratado muito estranho 8 anos antes deles descobrirem o Brasil, "por acaso". O pessoal da terra do pastelzinho de Belém logo dominou a região e passou a implantar suas técnicas de produção tão avançadas quanto a padaria deles. Colonizou o país mais bizarro da América, um lugar onde dinossauros reinam e existem balas perdidas às toneladas.
    Tipos de colonizadores que vieram para a América
  • Bandeira frança.jpg França — A terra do perfume e da falta de banho, também, pôs as gordas patinhas por aqui, contudo foram lentos, dizem que eles se perderam no caminho durante a viagem ou que ficaram com medoda mesma, já que não tem uma amizade profunda com a água. Eles arranjaram meia dúzia de colônias, mas fizeram mesmo a festa na África tempos depois.
  • Flag of the Netherlands.jpg Holanda — O país da putaria permitida, procurou arranjar alguns pedacinhos de terra no Novo Mundo, conseguindo nada além de territórios pífios com a Guiana e as Antilhas, mesmo tentando invadir outros locais de outras pessoas, mesmo que desmerecedoras, o que não deu em nada, tendo-se de se contentar com a importação da maconha dos países daqui.
  • Bandeira da Inglaterra.png Inglaterra — A terra da rainha também perdeu seu tempo por aqui, criando um demônio que mais tarde dominaria o mundo, um ótimo enredo para filme de terror... Os ingleses conseguiram arranjar só umas treze colônias e a terra dos relâmpagos e da maconha, no entanto eles se empenharam em destruir a economia das colônias impondo seus produtos clandestinamente como os bons piratas que eles sempre foram.

Civilizações carinhosamente exterminadas[editar]

Um asteca, foram eles que inventaram o Carnaval, vide pandeiro e fantasia.

Dentro desse contexto de dominação sangrenta dos europeus, praticamente estuprando a pobre América, diversas civilizações que aqui habitavam foram completamente exterminadas por meios tão pacíficos quanto a sua relação com sua querida irmã caçula. No entanto essas sociedades deixaram resquícios históricos mostrando seus saudáveis hábitos de antropofagia e pedofilia, afinal em que espécie de sociedade crianças não são sacrificadas ao Sol?

Nesses povos pode-se destacar os astecas, uma sociedade muito evoluída, com saudáveis hábitos religiosos, sendo que arrancar corações em praça pública todo final de tarde era o programa favorito dos jovens casais da época, era extremamente romântico comer pipoca juntinho enquanto o sacerdote com roupas muito estranhas arrancava o coração de um prisioneiro com o mesmo ainda respirando, nesse momento sem dúvida havia um clima de amor no ar. Essa civilização acabou sendo derrotada pelo cavalheiro Cortez e sua tropa de poderosos guerreiros.

Típicas tribos cruéis e sanguinários existente na América

Outro povo cruel e sanguinariamente mandado para o saco foram os incas, eles e suas cidades cobertas de ouro, um material que para eles não valia mais que alguns chicletes, a civilização inca de uma forma muito esquisita gostava de montanhas escarpadas, altas e sem oxigenação alguma, talvez para assim terem vantagem quando jogassem futebol contra os tupinambás, ou algo assim. Os incas acabaram sucumbindo diante de um tal de Pizarro que havia adorado os pregos dourados das casas incas, o mais engraçado de tudo é que os incas foram massacrados por causa do ouro sendo que eles o dariam sem problema algum aos espanhóis.

Não convém aqui enquadrar os maias, já que os mesmos se fuderam antes mesmo da dominação espanhola, no entanto eles de presente deixaram previsões para o fim do mundo no longínquo 2012, tudo com palavras muito carinhosas. Os maias foram englobados pelos astecas, que mais tarde conheceram de pertinho o pacifismo europeu e, consequentemente, da soberba Igreja Católica Apostólica Romana.

Outros seres igualmente escorraçados pelos europeus sedentos por sangue, ouro e mulheres, abre-se aqui um parentêses sedentos por dinheiro e garotas, não te lembra alguém? Os europeus após já devastarem o próprio território, também, estavam afim de acabar com os de outros, além das civilizações citadas várias outras foram reduzidos a poeira enquanto os padres recitavam aquele versículo enfadonho do Cquote1.png Do pó tu veios, ao pó tu voltarás. Cquote2.png Os índios não entenderam nada disso, mas compreenderam muito bem o sentido das carabinas e espingardas.

Exemplo de prédio dos povos americanos, eles prezavam pela inutilidade, para que serve uma pirâmide?

No Brasil pode-se ressaltar a incrível campanha de Tomás Turbando com o objetivo de exterminar as sociedades primitivas do Acre que teimavam em idolatrar falsos deuses como o grande espírito do tomate e Odin. Essa foi a mais sanguinária das exterminações em massa da história da colonização, deixando até os armênios quietinhos, o processo foi tão violento que grávidas iam para o campo de batalha, pariam os filhos por lá e os pequenos já nasciam empunhados com uma garrafa de vidro quebrada e iam para a luta. O conflito foi tão intenso que até foi apagado dos anais, e vaginais também, da história, no final tiveram até que chamar os Superamigos para resolver o impasse.

Assim foi o início da colonização na região, tudo resumindo-se a índios decapitados, índias estupradas, mesticinhos correndo por aí, europeus enriquecendo, astecas levando chumbo no traseiro, tudo numa harmonia que não difere muito hoje do que vê-se na América latina.

No que deu tudo isso[editar]

Bem, deu uma grande, volumosa, gigantesca, e por que não, redundante merda. A América após a descoberta tornou-se o sonho dos que queriam mudar de vida e vinham para cá e só se fudiam mais ainda, virou um lucrativo negócio, uma fonte de matéria-prima e mulheres fáceis.

Algumas colônias tiveram um destino pior que outras, não que alguma tenha virado algo que presta, mas existiram vários caminhos para cada um desses países que depois de alguns séculos conseguiram se livrar do carrapato sanguessuga que viraram as metrópoles, que não faziam nada além de mamar nas tetas desgastadas das colônias.

Cquote1.png Ora pois, o que será de nós sem as colônias? Cquote2.png
Português sobre independências.

O futuro da América.

Aqui vai uma breve descrição do futuro do continente:

  • Bandeira do Canadá Canadá Depois de ser colonizado pelos malditos franceses foi englobado pelos Estados Unidos, sendo hoje o produtor oficial de bacon e Maconha do hemisfério Norte.
  • Bandeira dos Estados Unidos Estados Unidos Após se livrar da Rainha, se uniram aos Lordes Sith eles partiram para o domínio mundial espalhando o terror e a guerra por todo o globo terrestre.
  • Bandeira do México México O país mais detonado da colonização, viu os espanhóis transformarem o império asteca em poeira interestelar, perdeu, posteriormente seu território para o grande irmão, até hoje é imperializado e deixado de lado por todos, além de ser obrigado a produzir novelas de baixa categoria para mover a economia.
  • Bandeira da Venezuela Venezuela País que traiu o ideal capitalista do mercantilismo, indo para o lado populista da força, atualmente é governado por um exprotagonista de um seriado mexicano.
  • Bandeira da Colômbia Colômbia País que deixou de exportar matéria-prima para a Espanha para se tornar refém das FARC e exportador mundial de cocaína da melhor qualidade.
  • Bandeira do Brasil Brasil Terra de ninguém, trocou o domínio de velhinhos portugueses decrépitos pelo domínio de dinossauros políticos de 1800 e algo, quando só haviam coroneis e platelmintos habitando a região.

Isso são apenas os países que mais deram certo, ou seja, nem são os que viraram a merda propriamente dita, como o Haiti ou El Salvador. Apenas para finalizar com um balanço a descoberta do continente, ver o passado para entender o presente, apartir dos dados deduz-se que... Seria melhor se os navios do Colombo tivessem naufragado ou ido para o destino correto.

Ver também[editar]

Diamante.gif O Desafio dos Artigos da Desciclopédia Diamante.gif
Edições: 1 - 2 - 3