A Divina Comédia - Paraíso - Canto XIV

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Paraíso
Este deslivro pertence ao Paraíso de Dante.


O Canto XIV narra o final do Céu do Sol onde Salomão ainda dá dicas de como não cair em ciladas. Também narra a ascensão ao Céu de Marte onde estão os espíritos dos que mataram em nome da Igreja (tipo o Van Helsing).

Análise do Canto[editar]

Salomão fala da ressurreição e da luminosidade dos espíritos após ela - vv. 1-81

Beatriz pede que se esclareça mais uma dúvida à Dante. É óbvio que isso não passou de um migué para esclarecer uma própria dúvida sem se passar por burra, e ainda colocar pressão sobre Dante.

Salomão é aquele que fala, ele prega sobre a imortalidade da alma, da cegueira daqueles que choram a morte de seus entes queridos que mal sabem para onde se vai depois de morto. Após a desencarnação o espírito é besuntado em óleo vegetal e mergulhado numa grande frigideira por Deus para arder em fogo como um reles pedaço de carvão, e sair de lá purificado. Obviamente não dá para entender essa explicação sem antes fumar uma, mas tudo faz parecer que não passa de uma metáfora.

Dante novamente olha para Beatriz a qual repara os faróis acesos, o que leva Dante a um extremo êxtase mais formoso que um encontro com um Ornitorrinco Alado Azul Atirador de Elite do Norte da África do Sul que Xinga Muito no Twitter no final de um arco-íris de três cores só.

Ascensão ao Céu de Marte: Visão da Cruz - vv. 82-132

Jesus soltando um ZA WARUDO para se despregar da cruz.

Enquanto Dante, como todo bom nerd, se mantinha estonteado pela beleza de Beatriz, foi teletransportado para o Céu de Marte onde vivem os espíritos daqueles que guerrearam pela , ou seja, o lar dos caçadores de vampiros, caçadores de lobisomens e similares em geral.

Nesse local Dante tem a visão de um Ninjesus pregado numa cruz gigante, cercado de anjos tocando harpas e liras. Como um daqueles teatrinhos de Páscoa, no instante de sua pregação na cruz Jesus encena despregando-se e batendo em todos soldados romanos enquanto levita, solta raios pelos olhos, cria clones dele para bater mais, solta hadoukens, e encerra soltando o seu secretão JESUS ZA WARUDO (como acha que ele transformou água em vinho? Foi efeito desse golpe). Mas tudo isso só para demonstrar que Jesus deixou-se ser morto, ele já sabia mesmo que ia voltar pro Céu.

Novamente Dante não evita dar uma olhada para os peitos de Beatriz antes de encerrar o capítulo.

Paraíso
<<Canto XIII Canto XIV Canto XV>>




A Divina Comédia
Sumário - Prefácio - Índice
Inferno
I - II - III - IV - V - VI - VII - VIII - IX - X - XI - XII - XIII - XIV - XV - XVI - XVII - XVIII - XIX - XX - XXI - XXII - XXIII - XXIV - XXV - XXVI - XXVII - XXVIII - XXIX - XXX - XXXI - XXXII - XXXIII - XXXIV

Purgatório
I - II - III - IV - V - VI - VII - VIII - IX - X - XI - XII - XIII - XIV - XV - XVI - XVII - XVIII - XIX - XX - XXI - XXII - XXIII - XXIV - XXV - XXVI - XXVII - XXVIII - XXIX - XXX - XXXI - XXXII - XXXIII

Paraíso
I - II - III - IV - V - VI - VII - VIII - IX - X - XI - XII - XIII - XIV - XV - XVI - XVII - XVIII - XIX - XX - XXI - XXII - XXIII - XXIV - XXV - XXVI - XXVII - XXVIII - XXIX - XXX - XXXI - XXXII - XXXIII