A Divina Comédia - Paraíso - Canto XXXI

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Paraíso
Este deslivro pertence ao Paraíso de Dante.


O Canto XXXI continua narrando o Empíreo onde Dante continua gozando das delícias do Apartamento de Deus, no terraço, com vista para tudo, muitos frufrus ocorrem.

Análise do Canto[editar]

Beatriz ocupa seu lugar na Rosa - vv. 1-51

Beatriz toma seu lugar na Rosa sob festejos de dançarinas de Cancan.

Lá estava Dante todo alegre com a luz, amor, caridade, felicidade, pétalas de rosas, plumas de gansos, dançarinas de cancan, PlayStation 5, e tudo mais o que fazia do Empíreo o local mais indescritivelmente fashion que Dante encontrou em sua jornada.

Beatriz é carregada por patos silvestres que a carregam até seu lugar na Rosa.

Dr. Roberto - vv. 52-78

Quando Dante se vira para poder ver sua guia, bela, sensual e caliente Beatriz, qual seu espanto ao ver um ancião em seu costumeiro lugar. "OMG! Seria Beatriz uma cilada?" Dante pensa em desespero, é acalmado pois, aquele era Dr. Roberto que em toda sua sabedoria suprema olha bem para Dante, e com um sorriso enigmático profere as palavras: "...".

Prece a Beatriz - vv. 79-93

Dante faz uma oração a Beatriz: "Ave, Beatriz, tesuda, a Virgindade não é convosco. Gostosa sois vós entre as mulheres, e benditos são os vossos seios, tão cheios e gostosos. Santa Beatriz, mãe da cabeça do meu pau, continuai a deliciar-nos a nós, onanistas, agora e na hora do sexo. Amém."

A glória de Virgem Maria - vv. 94-142

Dr. Roberto então fala: "..." e assim Dante é convidado fitar o centro da roda de anjos, onde lá no fim observa Virgem Maria, tomando chocolate quente e jogando pôquer contra alguns anjos. Santa Maria gozando no Empíreo das mordomias cedidas por Deus àqueles que se dedicaram à vida beatifica.

Paraíso
<<Canto XXX Canto XXXI Canto XXXII>>




A Divina Comédia
Sumário - Prefácio - Índice
Inferno
I - II - III - IV - V - VI - VII - VIII - IX - X - XI - XII - XIII - XIV - XV - XVI - XVII - XVIII - XIX - XX - XXI - XXII - XXIII - XXIV - XXV - XXVI - XXVII - XXVIII - XXIX - XXX - XXXI - XXXII - XXXIII - XXXIV

Purgatório
I - II - III - IV - V - VI - VII - VIII - IX - X - XI - XII - XIII - XIV - XV - XVI - XVII - XVIII - XIX - XX - XXI - XXII - XXIII - XXIV - XXV - XXVI - XXVII - XXVIII - XXIX - XXX - XXXI - XXXII - XXXIII

Paraíso
I - II - III - IV - V - VI - VII - VIII - IX - X - XI - XII - XIII - XIV - XV - XVI - XVII - XVIII - XIX - XX - XXI - XXII - XXIII - XXIV - XXV - XXVI - XXVII - XXVIII - XXIX - XXX - XXXI - XXXII - XXXIII