A Divina Comédia - Purgatório - Canto XV

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Purgatório
Este deslivro pertence ao Purgatório de Dante.


O Canto XV continua narrando o Segundo Círculo do Purgatório onde Dante encontra o temível Anjo Zeca Pimentel, e a ascensão ao Terceiro Círculo do Purgatório onde estão os iracundos se digladiando.

Análise do Canto[editar]

O Anjo Zeca Pimentel - vv. 1-39

Guardava a saída do segundo círculo um altivo anjo e seus óculos escuros reluzentes aos quais inutilmente Dante tentou fitar, aquele que vigia a entrada para o seguinte círculo com grave e pausado tom saúda: "Olá poetas! Tudo mais ou menos?"

E o seu discurso, o mensageiro tão angelical continua: "Mas que aventura a sua, que ensinamentos magníficos de moral, que obra de grande refino A Divina Comédia, eu sempre quis escrever um Poema épico assim! O.O" E de pronto Dante sente uma terrível dor de barriga, e o anjo calmamente comenta: "Ééééé, você já está a dias perambulando pelo Inferno e pelo Purgatório semf azer uma refeição sequer, não há corpo físico que resista, é normaaaal..."

E com uma de suas asas, tão belo anjo apaga um dos P da testa de Dante, aquele que representa o pecado do olho gordo e da inveja, e assim cedendo passagem para o próximo círculo, mas sem não antes aconselhar: "Posso te dar um toque? Não esqueça do purgante."

Inveja e caridade - vv. 40-81

A chegada ao Terceiro Círculo é feita ao som de What a Wonderful World. E subindo aquele caminho, Dante aproveita para perguntar a Virgílio vossa opinião sobre o pecado da inveja, respondendo-o desta forma: "O pecado do olho gordo é sem dúvida um dos mais perigosos que existe, pois busca a felicidade pessoal no desastre dos outros. Muitíssimo cuidado deste momento em diante, pois o Anjo Zeca Pimentel é famoso por seu olho gordo, e você pode estar zicado."

A barriga de Dante confirmava aquilo que Virgílio temia, será que aquela caganeira poderia acabar com a viagem dantesca?

Visões extáticas de alucinação - vv. 82-114

Turba de mulheres de TPM apedrejando um miserável no Círculo dos Iracundos.

Mas antes que Dante pudesse dizer "blurp!", ele alcança o Terceiro Círculo do Purgatório, onde é tomado por uma fortíssima alucinação.

Além de unicórnios alados, Dante também vislumbra uma doce senhorita vendedora de bagulho, e depois uma irada velha que parecia sua sogra, e mais depois ainda avista um jovem sendo apedrejado por ter roubado pão na casa do João.

Despertar de Dante - vv. 115-145

Ao seu corpo Dante torna, escutando um preocupante Virgílio: "Dante, o que há filho!? Bebestes cachaça escondido? Porque estás comportando-se como um drogado?", e Dante: "Perdão meu mestre, é culpa do Anjo Zeca Pimentel, eu vejo coisas, eu vejo gente morta!" e Virgílio: "Com que frequência?" ... Respondeu: "Todo tempo!"

Purgatório
<<Canto XIV Canto XV Canto XVI>>




A Divina Comédia
Sumário - Prefácio - Índice
Inferno
I - II - III - IV - V - VI - VII - VIII - IX - X - XI - XII - XIII - XIV - XV - XVI - XVII - XVIII - XIX - XX - XXI - XXII - XXIII - XXIV - XXV - XXVI - XXVII - XXVIII - XXIX - XXX - XXXI - XXXII - XXXIII - XXXIV

Purgatório
I - II - III - IV - V - VI - VII - VIII - IX - X - XI - XII - XIII - XIV - XV - XVI - XVII - XVIII - XIX - XX - XXI - XXII - XXIII - XXIV - XXV - XXVI - XXVII - XXVIII - XXIX - XXX - XXXI - XXXII - XXXIII

Paraíso
I - II - III - IV - V - VI - VII - VIII - IX - X - XI - XII - XIII - XIV - XV - XVI - XVII - XVIII - XIX - XX - XXI - XXII - XXIII - XXIV - XXV - XXVI - XXVII - XXVIII - XXIX - XXX - XXXI - XXXII - XXXIII