Deslivros:A Vida não é Bela

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Deslivros4.png
Nuvola apps bookcase.png
Este artigo é parte do Deslivros, a sua biblioteca livre de conteúdo.

Introdução[editar]

Ao final deste livro, você será um sociopata de sucesso

Este livro não apoia o niilismo, embora a vida seja uma desgraça. Este livro também não pode ser chamado de guia de autoajuda porque a intenção deste não é ajudar e sim atrapalhar. Você já parou para pensar sobre o sentido da vida? Depois de ler este artigo, você vai descobrir que a vida não tem sentido. Há uma frase famosa do filósofo Raí, irmão de Sócrates, que resume tudo: Desconheça-te a ti mesmo, porque a vida não tem sentido. O livro não tem o objetivo de fazer você tirar sua própria vida, mas se quiser, vá em frente. Use algum método que não faça sujeira, como cianureto, cicuta ou batata-doce, pois a vida é inútil, mas isto não é desculpa para dar trabalho às faxineiras.

Capítulo 1: Tudo passa, tudo passará. Nada fica, nada ficará[editar]

O ciclo de vida normal é o seguinte: Nascer, crescer, crescer mais um pouco, estudar, trabalhar, ter filhos (opcional), envelhecer, adoecer e morrer. Às vezes o ciclo de vida termina antes: Nascer, crescer, crescer mais um pouco, estudar, trabalhar, escorregar em uma casca de banana, bater a cabeça no chão e morrer. O ciclo de vida varia conforme a pessoa: Nascer, crescer, virar emo, cortar os pulsos com uma batata frita, morrer. Para tudo há uma decisão. As únicas coisas que você não pode escolher são nascer e crescer. Às vezes você não consegue morrer e às vezes a morte surge ao acaso, sem sua decisão: Nascer, crescer, crescer mais um pouco, estudar, trabalhar, não olhar para os dois lados ao atravessar a rua, ser atropelado, morrer. Quer dizer que você não sairá vivo desta vida. Então, agora que já te demos o spoiler do final de sua vida, por que não agilizar o processo? Não estamos pedindo para você se matar. Se você quiser se matar, a decisão é sua. Quando for escrever o testamento ou a cartinha, não vá colocar a responsabilidade no livro, hein? Se perguntarem, você diz que se matou por livre e espontânea vontade.

Capítulo 2: Formando psicopatas vencedores[editar]

Você não precisa se matar, mas pode matar outras pessoas. Já sabe que, se alguém perguntar, você teve a ideia de ser um maníaco psicopata por contra própria, por livre e espontânea loucura. Caso algo dê errado, você pode voltar para o primeiro capítulo.

Capítulo 3: Eu quero ser um maníaco do bem[editar]

Você não está afim de matar pessoas? Nem de se matar? Ótimo! Tem várias formas de ser um maníaco. Você sabe que a vida é superficial demais, então, por que não quebrar com as coisas superficiais da vida? Lembre-se de que não estamos ensinando você a ser um vândalo. Se você virar um vândalo, será por sua conta e risco. E não pense em pichar o nome deste livro nos muros. Dizem que o vandalismo é uma forma de extravasar seu lado consciente, então, vá em frente.

Capítulo 4: Este livro não fala apenas de crimes[editar]

Vire um emo de classe ou devolvemos seu dinheiro

Você quer ser uma pessoa que não vê sentido na vida, mas que também não quer destruir com ela? Então você pode optar pela depressão. Pense comigo: Você não viverá para sempre. Você está aí se matando de tanto trabalhar e sabe que não sairá vivo de sua jornada pela Terra. Você sabe que sua vida não vale nem um pão queimado. Você sabe, por mais que tente, nunca deixará de ser um idiota. Então, por que não virar depressivo? a depressão é a melhor coisa da vida. Às vezes ela evolui e vira um suicídio. Se você não quer voltar para o primeiro capítulo, então não é importante esta evolução.

Capítulo 5: Ninguém me ama[editar]

Por que se matar, matar os outros, vandalizar e ficar depressivo se você pode fazer tudo isso ao mesmo tempo? Sim, basta virar emo. Você mata os outros de raiva, mata a si mesmo de vergonha (E tenta se matar também), vandaliza os bons costumes (Sem falar que ouvir música emo é uma forma de vandalizar a mente dos outros) e fica depressivo. Este livro não está ensinando você a ser emo. Se você virar emo, não vai culpar o livro, meu chapa!

Capítulo 6: Vai te catar, xarope[editar]

Se você leu o livro e ainda conseguiu ver um sentido para a vida, vai plantar batata! Vai ler Branca de Neve porque este livro não te pertence mais.

Dedicatória[editar]

Robert I. Diotta, autor deste livro e de outros worst sellers dedica este livro ao seu cachorro, Gengis Cão, seu único amigo nesta vida, e o carcereiro Joe, que lhe serviu o pãozinho antes da injeção letal.