Despoesias:Alborghetti - II

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
(Redirecionado de Deslivros:Alborghetti - II)
Ir para: navegação, pesquisa
Despoesias.png
Bocage-2bus.png

Este artigo é parte do Despoesias.

O seu Cancioneiro/Romanceiro livre de conteúdo.


Alborghetti: Sempre de bem com a vida. Recitando este poema...


Boa tarde, meu Paraná! Meu programa já começou!
Minha pauta está cheia de bandido que a PM detonou.
Bandido bom é bandido morto! É o que meu ditado diz!
Senta vagabundo no colo do capeta!
Sua morrrrrrrteeee! Me deixa muito feliz!

Tu tá no bico do corvo! Pois a polícia te escrachou!
Você é um estorvo!
Merece ir pro bico do corvo!
Uma pena que ninguém te matou!

Direitos Humanos é o cacete! Que um monte de bicha inventou!
Tá com pena de bandido?! Leva pra casa!
Ele vai comer teu pai, tua mãe, tua filha, e fuder tudo o que te restou!

Bandido tem mais é que levar surra! Ser empalado com uma vassouura!
Eu fico puto da cabeça com isso! Porque não pega o estuprador e corta sua cenoura?!
Pooooorrraaaa!!! Pooooorrraaaa!!! Pooooorrraaaa!!! Eu fico puto com isso!
Matar! Matar! Matar! Matar marginal! Este devia ser o seu compromisso!

Eu não aguento! Eu não agueeeeento ver tudo isso!
Vou enfiar meu cassetete nesses putos! Até gritarem de montão!
Esses filhos da puta tem que morrer na cadeia! Na cadeia!!!
Depois de apanhar! Ser empalado! E mulher virar! Para que nunca se esqueça disso!



Um beijo na sua alma, meu querido cidadão do Paraná!