Deslivros:Como terminar de cagar um toletão

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Deslivros4.png
Nuvola apps bookcase.png
Este artigo é parte do Deslivros, a sua biblioteca livre de conteúdo.

Este deslivro é parte do acervo de desmanuais Nuclear-explosion.jpg

Nuvola apps atlantik.png Coloque mais dados aqui. Como terminar de cagar um toletão merece!

Aqui poderiam estar mais dados relevantes, em vez dessa merda. Esclareça os fatos, melhore a redação e assim salve uma alma do purgatório.
Seja útil uma vez na vida e contribua para este artigo ou seção melhorar: edite-a

AVISO: Esse artigo foi vandalizado. Isso mesmo, algum viadinho sem costume ferrou metade do artigo. Se alguém possui o original, conserte esse defunto

Então você se encontra na casa da sua sogra numa das situações mais dramáticas que um ser humano com intestino grosso possa se encontrar, não é mesmo? Você foi cagar e, de repente, a circunferência do tolete a se eliminar é maior do que a circunferência do seu furico? Essa tragédia desafia as leis da física; não há explicações racionais e, portanto, não há métodos profiláticos. Por algum bizarro mecanismo, para completar, o cu tem a homossexual tendência de empurrar o quibe para dentro, mesmo contra a sua vontade. Infelizmente, meu amigo, é um caminho com passagem só de ida, que pode ter consequências irreversíveis –para você e para o seu ... talvez até mesmo para a privada, que pode ficar inutilizada, dependendo do tamanho da “bisnaga”...

Quando a tragédia é inevitável...[editar]

Primeiro Passo – o Dichave: Lembre-se: a calma é inimiga da perfeição. Mens sana, corpore sanu, é o que diz o ditado. Estabeleça uma conexão espiritual com seu cu. Portanto, quando sentir que a porta dos fundos está sendo solicitada, é porque estará; mas não se apresse em eliminar seus detritos intestinais. Aja com calma, naturalmente, deixe transparecer apenas um pouco de desconforto diante dos presentes, como se fosse receber uma visita indesejável (embora, no caso, esteja se despedindo de uma...). Se alguém suspeitar de algo... de alguma protuberância antinatural, diga apenas que você está desenvolvendo uma mutação para algum tipo de canídeo, ou que você se esqueceu de tirar o consolo utilizado na noite anterior; são todas desculpas perfeitamente cabíveis, que evitarão o constrangimento que o preocupava, apesar de poder gerar outros constrangimentos.

Segundo Passo – Abra-te, Sésamo!: Se não está acostumado a exercitar as pregas anais, vulgo “dar o cu”, então aqui começa o seu drama. Terá que encontrar algum jeito mágico para extrair algo sólido por algo que lhe é bem menor, em comparação. Não use todo seu fôlego de uma vez; guarde para tentativas sucessivas. Você pode até usar a mão, mas tome cuidado, já que um erro na execução do plano pode deixar apenas um pedaço de cocô para fora, prejudicando a força da gravidade. E não adianta balançar o rabo do macaco, sob risco de sofrer da mesma calamidade.

Terceiro Passo - Limpando a Latrina: Aqui começa o trabalho mais árduo -e também o mais nojento. Mas, se você já conseguiu chegar até aqui, conseguirá seguir adiante. Dê 10 voltas com a mão no papel higiênico, de modo que ela fique completamente recoberta e invulnerável. É possível que sua bunda melada de merda atravesse umas seis camadas de papel higiênico, mas improvável que ela passe disso. Quando for se limpar, vale a dica, também é bom dar uma conferida nas redondezas; não raro, nesse tipo peculiar de eliminação intestinal, a cagada se alastra para áreas vizinhas. Na hora da descarga, aproveite o barulho para espalhar um desodorante pelo banheiro; assim você evitará que alguém se assuste com a "tragédia" a ponto de desmaiar, se ousar adentrar o recinto nas 24 horas imediatamente posteriores ao seu "feito".