Deslivros:On the Mafagafians and other Essays

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Nuvola apps bookcase.png
Este artigo é parte do Deslivros, a sua biblioteca livre de conteúdo.


Livro escrito em 1995 por Doutor Roberto para classificar todas as variações dos Mafagafos. Foi Chuck Norris quem coletou as espécies, afinal ainda não existem registros de ser humano que tenha tocado a pele supostamente macia e felpuda de um Mafagafo e sobrevivido. O livro mantém o título em inglês (que poderia ser traduzido para Mafagafos São Criaturas do Capeta) mesmo nas edições em português devido a uma exigência da Oscar Wilde Foundation, instituição científica britânica que financiou as pesquisas de Doutor Roberto.

Tabela de conteúdo

[editar] Capítulos

Os mafagafos são conhecidos por seu olhar assustador e mortífero
O livro é dividido nos seguintes capítulos:
  1. Agradecimentos (A Chuck Norris, é claro).
  2. Intróito - Sobre a origem dos mafagafos.
  3. Classificação dos Mafagafos (Tradicionais, Mutantes, Simbióticos, Estereótipos e Daguerreótipos).
  4. Anatomia de Mafagafos (aqui encontram-se controvérsias, pois é inacabado o capítulo).
  5. Outros Ensaios (breves ensaios sobre o chupa-cabras, mulas-sem-cabeça, boitatás, saci-pererês e bolas de fogo).
  6. Referências Bibliográficas (Com 385 páginas de referências bibliográfica, incluíndo gibis, livros diversos e filmes de fricção ficção científica).


[editar] Breve resumo da obra para você que tem preguiça de ir à biblioteca da sua cidade

[editar] A Origem dos mafagafos

Bob Esponja O Terrível! é um mafagafo. Cuidado, eles são experts em se disfarçar. Note como ele planeja devorar a inocente retardada estrela-do-mar

Segundo Dr. Roberto, a principal dificuldade em se descobrir a origem da criatura foi a inexistência de fósseis, já que os mafagafos são tão vorazes que conseguem se autodevorar-se a si mesmos no momento de sua morte. Entretanto, antigas lendas japonesas permitem traçar o surgimento mafagafal no país nipônico.

Pinturas e escritos budistas arcaicos apontam o vale do rio Teboto Noku, no sul do país, como o local mais provável do surgimento da feroz criatura. Especula-se se ele seria produto de geração espontânea ou do cruzamento de espécies japonesas primitivas. Sua estrutura óssea indica a possibilidade de uma caixa de sapatos ao longo do processo de cruza, mas os mafagafos são muito fechados e não costumam falar sobre sua família.

Dali, as criaturas migraram para a China em navios comerciais e, de lá, começaram a atacar as plantações de arroz, feijão e rolinhos primavera. Como na época (por volta do século V a.C.) a densidade populacional era menor que a de Rondônia, foi fácil para os mafagafos se espalharem pelos sete continentes que existiam então.

[editar] Classificação dos Mafagafos

  1. Tradicionais: A mais comum de todas. Tem olhos vermelhos e pêlos branquinhos pelagem marrom e olhos negros assustadores que causam pânico e desespero, além de uma irresistível vontade de comprar chaveiros. São encontradas no mundo inteiro, em cantos escuros, becos úmidos e buracos sinistros|
  2. Mutantes: Fruto de cruzamentos de mafagafos tradicionais com animais de outras espécies. Entre as mais comuns estão o mafagafo pássaro, que habita preponderantemente as florestas de pinheiros do Acre e o mafagafo amarelo, interpretado pelo desenho animado Bob Esponja Calças Quadradas. No mundo real, tais mafagafos normalmente não conseguem chegar ao segundo minuto de vida, já que a cor amarela é uma das poucas coisas capazes de matar um mafagafo instantaneamente e sua própria existência seria um paradoxo.
  3. Simbióticos, Estereótipos e Daguerreótipos: jamais foram avistados, mas foram postos por Doutor Roberto em sua obra porque ele não queria deixá-la incompleta. Foram descritos pela primeira vez pelo poeta português Luís de Camões em seu livro póstumo De Cuba a Aruba -- pela América comendo sandubas. Especula-se que eles vivam escondidos na Ilha de Natal Ano-Novo Páscoa.

[editar] Anatomia dos Mafagafos

Mais um dos múltiplos disfarces de um mafagafo.
Este capítulo não foi concluído porque os mafagafos que eram mantidos em jaulas de concreto no subterrâneo de um laboratório submarino no fundo da Fossa das Marianas, no Oceano Pacífico, a quase 11 mil metros de profundidade, escaparam misteriosamente. Nas poucas semanas em que as criaturas permaneceram no local, foram realizados apenas os exames preliminares.

Com base nisso, foram reunidos todos os conhecimentos que se tem atualmente sobre os mafagafos. Sabe-se que eles:

  • São ferozes
  • Têm pêlos
  • Têm dois olhos apenas (mafagafos não defecam)
  • Têm dois braços e duas pernas
  • Têm uma boca enorme, sempre aberta e cheia de dentes afiados
  • Podem ter entre 30 cm e 30 m de altura

O que não é nada que você já não sabia, na verdade. Só que, com um embribotanicopsiconeurologista tão conceituado como Doutor Roberto falando, parece bem mais completo e verídico, não acha?


[editar] Outros Ensaios

Este capítulo, na verdade, é apenas encheção de lingüiça para compensar a ausência de páginas causada pelo fato de o capítulo anterior não estar completo. Assim, Dr. Roberto tenta, sem muito sucesso, relacionar os mafagafos com outras criaturas lendárias e folclóricas como o Saci Pererê, o Boitatá e o Político Honesto. É um capítulo muito apreciado por fãs de Wicca, entretanto.

Enchendo linguiça, Dr Roberto colocou uma seção sobre tais bichos:

[editar] Boitatás
Pobres pessoas assustadas com o tamanho da cobra pegando fogo

Criatura do Acre, também chamado de "grande-cobra-do-norte-com-fogo-nas-ventas" (ou ainda boigagá) é personalizada como uma cobra de fogo anunciada nas festas juninas: "Óia a cobra... é mentira!"

Cquote1.png É uma cilada Bino!! Cquote2.png
Pedro sobre Boitatá
Cquote1.png Ela pega fogo Cquote2.png
Capitão Óbvio sobre Boitatá

[editar] Mula Sem cabeça
Mula sem cabeça sendo montada por Chuck Norris no auge de seus 12 anos. Pintura sobre óleo Sec V a.C.

Incrível figura lendária (amiga do boitatá) solta fogo pelo pescoço, não tendo cabeça. Perdidamente maluca fica cavalgando a uns mil por hora nas noites de lua cheia. Conta-se que todos que estão diante da mesma podem morrer atropelados. Apenas Chuck Norris consegue montar (Carece de fontes)

Mula sem cabeça, segundo o Google.

Cquote1.png Ela também pega fogo Cquote2.png
Capitão Óbvio sobre Mula sem cabeça
Cquote1.png Sem cabeça? Você perdeu a cabeça? Você não é uma mula, você é uma fanfarrona Cquote2.png
Capitão Nascimento sobre Mula sem cabeça
Cquote1.png Uma lenda da pesada aprontando de montão nas madrugadas de lua cheia Cquote2.png
Narrador da sessão da tarde sobre Mula sem cabeça
Cquote1.png Você traiu o movimento eqüino, véio Cquote2.png
Dado Dolabela sobre Mula sem cabeça

[editar] Saci Pererê
Com vocês, o Saci!
Saci

Cquote1.png Eu saci a dez mil anos atrás Cquote2.png
Raul Seixas sobre Saci Pererê
Hábil jogador de Futebol. Famoso por seus gols de bicicleta, chamados, lendariamente de "gols sacis".

[editar] Políticos Honestos

Exemplo de políticos honestos. Certamente uma lenda urbana.

Cquote1.png Isso non ecziste! Cquote2.png
Padre Quevedo sobre Político honesto
Cquote1.png Uma piada! Cquote2.png
Capitão Óbvio sobre Político honesto
Cquote1.png Eu votei nele Cquote2.png
Carla Perez sobre Político honesto
Cquote1.png ixu mi DeXaaaa TrisTIIII, RoBou MeU PIruLiTU Cquote2.png
Emo sobre Político honesto
Cquote1.png No fei de nadaf Cquote2.png
Lula sobre Político honesto
Cquote1.png Desperta as mais sensações mais primitivas Cquote2.png
Roberto Jefferson sobre Algum políticuzinho

Exemplo de político honesto
Outro exemplo de político muito honesto...

[editar] Repercussão do livro

On the Mafagafians and other Essays teve ampla repercussão na comunidade biológica mundial, tendo merecido capa das principais publicações científicas ao redor do globo. Doutor Roberto chegou a ser indicado mais uma vez para o Prêmio Nobel de Biologia, mas recusou o prêmio por achá-lo "muito pop".

Cquote1.png ...! Cquote2.png
Doutor Roberto gentilmente agradecendo a indicação, mas declinando do prêmio

[editar] Ver Também

Ferramentas pessoais
Ver e modificar namespaces

Variantes
Visualizações
Ações
Navegação
Colaboração
Votações
(F)Utilidades
Novidades
Redes sociais
Correlatos
Ferramentas