Desnotícias:Até o Panamá se recusa a perder por 7x1

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

FIFA WORLD CUP 2018.png Esta desnotícia é parte do projeto DesCopa Russia. Na Rússia, a Copa se informa sobre VOCÊ!

NICE NOVALGINA, Skavrússia - Нaиsнeиiase Нisороr

A seleção inglesa (aquela que mal sabe marcar gols) acabou metendo 6, sendo dois de pênalti e os outros resultantes de bola parada presenteadas pelos caboclos da América Central. Os ingleses nem precisaram jogar; os panamenhos já iam sofrendo gols naturalmente na medida que o jogo ia ocorrendo. A educação dos ingleses foi tamanha que eles sequer cogitaram partir para cima dos latrino-americanos, marcando todos os seis gols na base da mais pura cagada. Já os panamenhos comemoraram como título seu golzinho solitário, afinal eles não tem muito o que comemorar, então né...

Para o time capital da Europa, foi um treino para seu primeiro (e único) jogo da fase de grupos contra a Bélgica, que será outro treino, já que os adversários do Grupo H são tudo a mesma bosta e tanto faz ficar em primeiro ou segundo.

Primeiro tempo[editar]

A diferença entre ETs e White Knights

Começa o jogo, e a Inglaterra, respeitando a tradição de cagar na hora H, permite ao Panamá chegar várias vezes no ataque, acendendo um fio de esperança naquele secador mais fanático que acreditava numa possível vitória panamenha. Apesar das chances que ofereceram, foram os próprios ingleses que marcaram o primeiro gol logo aos 8 minutos, quando o time cobrou um escanteio ganho do nada. Sem precisar pular, Stones cabeceou sozinho contra uma zaga de anões panamenhos. Assim que fez o gol, a Inglaterra voltou a sua inofensividade de sempre, com os panamenhos enfiando suas bolas nas entranhas dos ingleses sempre que possível.

No meio do primeiro tempo, Torres e Fidel Castro Pablo Escobar resolveram bater cabeça na zaga e acabou que o Lingard, que tava no meio desse embolo por algum motivo, tomou na jabiraca. O árbitro, respeitando outra tradição, a de sempre apitar a favor do time da Inglaterra, marcou o penal, que foi convertido pelo artilheiro mais foleiro da história das copas, o inglês Harry Kane. Depois desse gol os ingleses se deram por satisfeitos e entregaram a bola para o bando do Panamá fazer o tempo passar (muito embora nem para isso o Panamá servia, e continuaria se esforçando para sofrer gols).

Na terceira vez que a Inglaterra pega na bola, os ingleses trocam passes a fim de perder tempo no meio de alguns caras descritos como "zagueiros" na partida de hoje, que não desarmaram nada. Lingard resolve experimentar para ver se o cara que estava lá no gol era mesmo um goleiro. A Inglaterra faz outro gol no terceiro chute a gol. O time de Lana Del Rey viu que aquilo era mesmo uma baba e resolveu que era hora de por todo mundo na artilharia na partida de hoje. O VAR, único zagueiro do Panamá, bem que tentou anular o gol deles, mas não teve jeito.

Os ETs de Panamá fazem uma faltinha de nada perto da auréola da grande área (bem longe). Os ingleses resolvem jogar dentro da área para ver no que dá; Lingard cabeceia para o gol e o goleiro fica no meio, fazendo sua primeira defesa no jogo, mas o Stone estava no rebote e marcou seu segundo no jogo.

A única forma que os limítrofes jogadores do Canal conseguiram pensar para desarmar atacantes adversários.

Quando o primeiro tempo já estava esfriando, com uma Inglaterra chegando sem muito perigo, os ditos "zagueiros" Escobar e Murilo. resolvem que é hora de praticar boliche humano e dar strike nos atacantes ingleses, entregando assim um pênalti bizonho de presente para eles. Obviamente Kane marcou seu segundo, no quinto chute a gol dos ingleses. Até agora tá de 5 a 0.

Segundo tempo[editar]

O Panamá começa o segundo tempo da mesma forma moribunda como terminou o primeiro, com um escanteio ganho dos ingleses, quando Walker achou que sabia driblar e empurrou a bola para a linha de fundo. Sorte dele que ninguém do outro lado sabia jogar bola.

A Inglaterra resolve que é hora de sair da defesa e dar seu sexto chute a gol. Foi quando Lotus-Check resolveu partir com a bola e dar um chutinho do meio da área adversária, com a bola resvalando no Kane pós-linha de impedimento. Como estava sem goleiro, a bola acabou entrando. Por essa grande contribuição no lance de gol, Kane foi nomeado o autor do gol, também como forma de homenagem da FIFA, antes que pudesse ser substituído para a entrada do superestimado Vardy do (já esquecido) Leicester.

O gol fez com que o time marcador tomasse vergonha na cara e partisse um pouco para o ataque, de forma a testar se o marcador suportava placares com dois ou mais dígitos. Foi quando o Henderson (que apesar do nome, não tem vinculo nenhum com favelas brasileiras) resolveu experimentar um chute de fora da área, errando o primeiro chute a gol da Inglaterra.

A partir de então os Incas partiram para o ataque, alçando bola na área dos inventores do esporte até achar um golzinho em meio aquela defesa inglesa que apesar do caminhão de gols, estava mais perdida que cego em tiroteio. Foram cinco minutos de extrema euforia da torcida do Canal, com ode e abraço de todos os companheiros do time ao autor do feito, Felipe Baloy (ex-jogador de times como Atlético Paranaense, para se ter uma ideia do nível), pois aquele bando não havia marcado na Copa do Mundo até então. Já as viúvas de Beckham voltaram a tratar o jogo com a mesma seriedade de sempre, trocando passes atrás da linha do meio campo sem conseguir chegar ao ataque.

A partida só acabou em 6x1 porque seria muito inconveniente para qualquer inglês o ato de imitar um alemão, enquanto o Panamá só não desejava ser tão humilhado quanto um certo país tupiniquim, então esse placar final ficou ideal para todos envolvidos.


Fontes[editar]