Desnotícias:Brasil cruza muro de Ochoa

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

FIFA WORLD CUP 2018.png Esta desnotícia é parte do projeto DesCopa Russia. Na Rússia, a Copa se informa sobre VOCÊ!

SARRADA, Prússia sem P - Estádio Samara Morgan

Brasil versus México foi um jogo que prometia, com as duas torcidas disputando para quem gritava mais alto Cquote1.png Eeeeeeeeeh PUTO! Cquote2.png no estádio e irritava mais a FIFA e com um juiz assistente de vídeo italiano (possivelmente o mesmo contra a Suíça) justamente para que o Buáaaaaasil tivesse uma desculpa caso fosse eliminado. O primeiro tempo foi entediante: as duas equipes se estudaram tanto que repetiram de ano, enquanto o segundo tempo foi basicamente pressão brasileira e gol de Cai-Cai. Mesmo ele não tendo feito quase nada no jogo, fora do campo foi idolatrado pela Globo enquanto era carregado novamente por outro jogador da seleção (que faz cerca de 90% do trabalho). O jogo não ia terminar com mais nada, até que Roberto Firmino faz o segundo pra eliminar os mexicanos, que voltam à vida de tentar fugir para os Estados Unidos em clima de fúria das gangues mexicanas do narcotráfico.

Primeiro tempo[editar]

O jogo começa com o México tentando dar uns lançamentos e o Brasil indo para a área do México enquanto tentava cavar algumas faltas como de sempre, mas nunca dava certo e deixava o México livre para alguns ataques. Mas isso foi por apenas dois minutos, já que a seleção treinada por Jaiminho, o carteiro queria evitar a fadiga e saiu um pouco da zona de ataque, deixando o Brasil cavar mais faltas em tentativas fracassadas de atacar o gol de Ochoa. Enquanto isso, o juiz não se decidia para qual time ele jogava, já que desviava algumas bolas a favor do Brasil e outras pro México.

Depois disso foi uma repetição do começo do primeiro tempo, com México atacando e o Brasil se defendendo, e nada progredia no jogo a não ser o sono de quem assistia. O melhor do jogo era simplesmente a torcida do México, que ao notar a incompetência brasileira em tentar cavar faltas fora da área em vez de dar algum tipo de chute, simplesmente gritavam "olé" a cada toque de bola, enquanto reclamavam da chatice do jogo para que o mesmo se transformasse em uma luta de UFC, mas sem sucesso.

Após isso, até o México se cansou do jogo e dormiu tanto que deixou o Brasil tentar atacar, mas deu em nada, já que possuía o paredão, Ochoa. O jogo se estendeu até as duas equipes simplesmente não fazerem mais coisa alguma em campo pelo medo de perder (pois vencer seria perigoso). O juiz, mostrando que também estava cansado do jogo, nem deu acréscimos e terminou o primeiro tempo.

Segundo tempo[editar]

O México de Jaiminho trocou defensores para colocar uma pressão no Brasil, mas acabou dando tudo errado por evitar a fadiga no ataque e o jogo virou uma pressão do Brasil, que deu em nada. Até a hora em que, numa jogada de corrida de Willian pela esquerda, ele deu um dibre em um jogador mexicano e um cruzamento forte até chegar em NeyVAR, que tinha o trabalho de não ser um Deivid da vida e só colocou o pé para fazer o gol. Depois disso o jogo foi entrando cada vez mais no ritmo do primeiro tempo e com as duas equipes chutando nos dois goleiros, enquanto davam alguns contra-ataques que resultavam em exatamente nada.

Jaiminho precisou marcar consulta pra ser atendido e foi trocado pelo treinador que é a cara do Seu Madruga, o qual colocou mais jogadores de ataque para tentar o empate. Infelizmente, ou felizmente, tudo o que o México conseguiu foi dar chutes para fora e rezar enquanto Ochoa fazia "milagres" em chutes que iam diretamente na cara do goleiro mexicano. Em uma dividida, Neymar combina com um mexicano para pisar em seu pé a fim de evitar o (possível) jogo contra a seleção do "joga bonito" da Europa e começa a fazer cera. Logo quando isso é mostrado, Galvão começa a chorar (de fato), colocando a culpa no mesmo árbitro de vídeo italiano. O jogo então fica nesse resumo:

Não é de hoje que o México é eliminado nas oitavas de final.
  • Brasil tenta fazer uma jogada
  • Jogador qualquer do Brasil toca para o Neymar
  • Neymar tenta cavar uma falta
  • Juiz é dibrado e dá falta/Juiz manda Neymar parar de frescura
    • Neymar cobra a falta e manda para o Rio Volga ou para as mãos de Ochoa
  • México pega a bola
  • México lança a bola em um jogador posicionado atrás de Fagner
  • México logo perde a bola ou manda para tiro de meta
  • Volte ao primeiro passo

O jogo começa a ficar entediante de novo, já que o México broxava na área antes de chegar (pera, não é o Peru que está jogando) e fica em nada, porém ocorre um contra-ataque parecido com o primeiro gol, Neymar começa a correr pra caralho e dá outro cruzamento pra ninguém, mas Roberto Firmino chega antes e também coloca o pé para ampliar o placar pra seleção Canarinho. O time do México ficou abalado pelos dois gols e continuou a fazer nada (como em todo o jogo) até acabar a partida.


Fontes[editar]