Desnotícias:Diretores decidem não renovar contrato da produtora de House of Jato

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Desnoticias logo.png

Este artigo é parte do Desnotícias, a sua fonte de ignorância 24 horas por dia.

CU RITIBA, Brejil

Fã da série na porta dos set de gravação, em Curitiba.

Na manhã de hoje, os fãs da série mais aclamada do horário nobre da televisão brasileira receberam a triste notícia de que a série House of Jato corre o sério risco de não continuar na próxima temporada. A notícia, publicada em primeiríssima mão pela página oficial da Desciclopédia no Caralivro foi confirmada na noite de ontem pelos co-produtores da série.

A série que campeã de audiência em países como a Argentina, Angola, Colômbia, Bolívia, Equador, Moçambique e Panamá, começou a ser escrita em meados de 2013 e só começou a ser filmada no ano passado.

Mesmo com duas temporadas e liderança isolada na audiência da faixa que vai das 20 até as 21h, a série política não agradava a cúpula da diretoria, que queria algo mais romântico. Algumas fontes dizem que o diretor-chefe mandou suspender porque o cunho homoafetivo no programa estava muito forte, pois tinham cenas que os agentes dedavam (literalmente) o Presidente da República, o que segundo os diretores, estaria no limite além do tolerável.

Resumo dos últimos capítulos[editar]

No último episódio que foi ao ar, o porquinho da índia que faz o papel de mordomo da mansão do presidente tinha ido preso por conspirar contra a nação e finalmente encontraria um antigo algoz, o antigo de uma casa de prostituição de Brasília onde o mordomo trabalhava antes de conspirar contra o gangster-pai e ir trabalhar na mansão de Elias. Em outra fronte, Moro e seu adversário pessoal confrontavam em troca da prisão do adversário e da liberdade própria, respectivamente.

Com o fim da série, ambas as cenas se encerram em aberto. Os fãs querem saber se Cunha finalmente ganhará um amante a altura de Cláudia Cruz na prisão e também quem irá vencer no duelo Lula x Moro.


Fontes[editar]