Desnotícias:Egito mostra que é possível a Árabia Saudita fazer gols

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

FIFA WORLD CUP 2018.png Esta desnotícia é parte do projeto DesCopa Russia. Na Rússia, a Copa se informa sobre VOCÊ!

VOLTOU O GADO, Vodkaland -

O Egito colocou um goleiro de 45 anos (o mais velho) por pensar que a Árabia Saudita não conseguia fazer gol nem em tamanha velharia (acabou não dando certo).

Em um jogo de comadres com as duas seleções lutando para não ser a mais pior do Grupo A, Árabia Saudita e Egito batalham em um jogo muitíssimo importante (já que foi feito no mesmo horário que Rússia e Uruguai) e que pode decidir se Salah desapontará tanto quanto Messi ou Lewandowski. O primeiro tempo foi decidido por Salah fazendo um gol de cobertura e pela defesa do Egito (a qual já se mostrou incompetente por causa dum gol contra durante o jogo com a Rússia), que faz dois pênaltis bestas esperando que o ataque saudita seja péssimo, mas não dá certo na segunda vez e acaba sofrendo o empate.

No segundo tempo, Egito e Árabia Saudita realmente fizeram o jogo esperado entre essas duas equipes, com lançamentos errados, vários toques horríveis padrão Brasileirão, além de vários chutes isolados pro gandula ir buscar lá no Rio Volga (quando não eram meros recuos para o goleiro), com vários contra-ataques sem perigo das duas equipes na metade para o final do segundo tempo. Até que, durante um ataque sofrido da Arábia Saudita no último momento, com uma bola quase perdida entre os zagueiros, Salem acha a bola do nada e consegue mandar para o gol egípcio, dando uma pequena alegria de pobre para a Arábia Saudita.

Primeiro tempo[editar]

Começou com as duas equipes se estudando e não sabendo o que fazer com a bola, por vários minutos dando três ou quatro toques na bola, chegando ao campo do adversário e depois dando um lançamento do tipo "corre cotia na casa da tia" sem qualquer precisão, perdendo a bola ou dando tiros de meta pro goleiro adversário.

Era um jogo considerado ofensivo para os narradores envolvidos no jogo, que não sabiam se é porque os dois estavam no ataque e não faziam nada além de perder a bola ou porque foi ofensivo ao telespectador de tão ruim que estava. Até o momento em que, de um jogo de toques errados, acabou virando um jogo com poucas faltas, repleto de cruzamentos mal-feitos e arrancadas que dão em nada.

O jogo ia nesse ritmo, porém no instante em que uma arrancada que não deu errado por parte da seleção egípcia, a bola magicamente aparece para Salah (em vez de ir para um atacante desconhecido) e ele consegue encobrir o goleiro saudita, abrindo o placar para o Egito. Salah teve uma outra chance por incompetência do bandeirinha, que estava dormindo ao assistir esse jogo, mas dessa vez isolou pra fora.

Depois do gol do Egito, o jogo voltou a ficar em péssimo ritmo de novo, com mais cruzamentos errados e com uma Árabia Saudita mais confusa do que nunca, já que tentava dar uns chutes sem direção e vários cruzamentos horripilantes, enquanto o Egito era muito dependente do seu único jogador, (S)Allah. O time ficava na estratégia de roubar a bola de um atacante ou meio-campista saudita, ir um pouco pra frente e tocar para o Salah, enquanto o mesmo conseguia deixar atacantes irrelevantes egípcios na cara do gol que isolavam bola após bola.

Houve um momento surpreendente em que a Árabia Saudita, mesmo sem poder isolar as bolas, conseguiu até mandar pro gol, mas sem sucesso. O Egito, com um gesto bondoso para ajudar seus "cumpanhêros" sauditas, mandou um zagueiro resolver fingir que era goleiro e fazer um pênalti tosco, que até o VAR confirmou, já que não deram resposta e estavam dormindo. A Árabia Saudita mostrou que realmente não conseguia fazer gols (até o Panamá conseguiu) porque perdeu o pênalti para um goleiro de 45 anos (ver foto acima), mas os sauditas puderam comemorar que pelo menos não isolaram a bola, ao contrário de Messi, Cueva e um jogador islandês aí que estou com preguiça de escrever o nome.

O Egito ainda não estava inconformado com a incompetência saudita em fazer gols e cometeu outro pênalti duvidoso, mas como o juiz não sabia o que fazer, resolveu arregar pro VAR, o artilheiro da Copa, já que os dois acabaram puxando a camisa. Mas o atacante saudita, esperto como ele só, acabou caindo no chão para dar mais impressão. Depois de algum tempo, ao se confundir com a seleção mais chorona do campeonato, a comissão do VAR decidiu recusar o pênalti, mas o juiz cagou pra opinião da quadrilha e deu o pênalti mesmo assim, pois até ele queria rir mais um pouco da seleção canarinho. Dessa vez o atacante saudita não isolou ou bateu o pênalti recuando para o goleiro, e acabou marcando o gol com Salmão. Para evitar algum tipo de confusão, além do jogo ficar possivelmente mais bombástico, o juiz colombiano decidiu acabar com o primeiro tempo.

Segundo tempo[editar]

Salah pensando como carregar sua seleção, sem sucesso.

Voltam os jogadores e o segundo tempo começa igual ao primeiro tempo: a Árabia pressionava e sonhava em tocar a bola até chegar na zona de ataque, pra depois fazer nada com ela até entregá-la para os zagueiros egípcios, ou tentava simular mais um pênalti para querer pedir música. O Egito conseguia manter a bola, porém não sabia o que fazer com a mesma, já que a Árabia tinha 8 jogadores para marcar o Salah e perdia a bola com dois a quatro toques antes do meio-campo. Houve uma pressão mais forte da Árabia Saudita mas sem tipo algum de perigo, até que alguns jogadores sauditas resolveram isolar bola após bola.

O Egito, cagando para vencer e apenas se importando em conseguir o tal terceiro lugar, não atacava o gol da Arábia Saudita e sofria pressões constantemente, esperando que a Arábia fosse a mesma dos dois últimos jogos no segundo tempo, aquela que não fazia gols (e nem nada), além de levar gols contra e ter uma péssima defesa. Salah teve outra chance para deixar o Egito na frente, ajudado novamente pelo bandeirinha que estava novamente dormindo no jogo em um impedimento claro; mas seguindo o espírito do segundo tempo de jogo, ele preferiu dar mais um recuo para o goleiro saudita do que um chute decente.

Cquote1.png Vamos assistir mais tarde o jogo entre Espanha e Tunísia... Irã! Cquote2.png
Narrador do jogo mostrando que estava cansado de ver o segundo tempo desse jogo

A Árabia Saudita, cansada de tentar dar contra-ataques sem perigo algum para a defesa egípcia, resolveu abrir sua primeira retranca, já pensando em não ficar sem pontos, enquanto o Egito atacava sem parar porém não conseguia nada. Depois disso, a Árabia tentou dar uns contra-ataques para não deixar o jogo mais sem graça do que já estava, até que, no último ataque da Árabia Saudita, Além pegou uma bola de primeira nos 49 minutos de jogo, dando a vitória para a Arábia Saudita.


Fontes[editar]