Desnotícias:Empreendedor é preso por venda de Aedes do Egito sem nota fiscal

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Desnoticias logo.png

Este artigo é parte do Desnotícias, a sua fonte de ignorância 24 horas por dia.

JÁ TÁ AÍ!, Goyaz

Nesta último sexta, um comerciante foi, supostamente, mais uma das vítimas do sistema financeiro brasileiro, que pune com rigor quem não paga impostos, sendo esse o único crime que realmente dá cadeia no Brasil.

A suposta prisão do suposto comerciante deixou várias pessoas supostamente revoltadas.

Euler A. Rocha Pinto com seus 32 anos, foi preso por um servidor de Inteligência da Polícia Civil goiana portando algumas notas frias recém-sacados de sua conta corrente e frutos de sua última venda feita a uma moradora de Parauapebas, realizada através do Mercado Libre, AMIGO. No momento da prisão em flagrante, o comerciante ainda foi flagrado não-depositando uma pequena fração daquela quantia na caixinha de ano novo, o que contribuiu como agravante, segundo a delegada Paula Nabusheta.

Para o governo, o motivo da prisão foi outro. O comerciante estaria vendendo uma espécie de mosquito protegida pelo Ob.. Ibama. Segundo o órgão, a espécie faz parte das “espécies de aves símbolo do Brasil” e que, portanto, não poderia ser vendido assim, exceto para algum gringo.

Superando a crise[editar]

A crise deixou Euler A. Rocha Pinto com força para abrir seu próprio negócio, começando seu comércio primeiro no boca a boca, evoluindo depois para as vendas na internet. O vendedor começou a vender mosquitinhos em São Paulo, onde fez bastante sucesso ano passado e esse ano resolveu criar franquias no Rio, Minas Gerais, Goiás e Distrito Federal. Não obstante, o comerciante ainda abriu uma e-commerce para vender seus apetrechos do conforto de sua casa.

A prisão do comerciante deixou vários internautas revoltados.


Fontes[editar]