Desnotícias:Femistas atacam página de barbearia por não tirar buço e raspar o sovaco de uma delas

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Desnoticias logo.png

Este artigo é parte do Desnotícias, a sua fonte de ignorância 24 horas por dia.

AMERICAN WOMEN, San Paul

Hoje veio ao caso um fato velho, acontecido há mais de três anos dias e relatado somente agora. Feminista (sim, sempre elas) ficaram em rage porque uma barbearia masculina -- estabelecimento que atua apenas com gilete em barbas e sua derivação sulista -- não pôde atender uma delas, unicamente pelo único fato de não carregar um par de bolas entre as pernas, ou melhor, ser mulher (apesar de ser escrota como o saco). O caso foi caracterizado como maxismoooo, omi oprimino, respeite as mina, não passarão deixa que passamos pra vocês :3.

A "vitima" foi ao salão após um convite informal do amigo mangina, que a convidou para um passeio e que fosse em algum lugar cheio de homens, como ela estava acostumada a ir. Foi então que ele teve a idéia de levá-la para barracar no salão com a maior concentração de testosterona (e feromônios) da cidade, entrar com uma ação no juizado de pequenas causas por discriminação, racismo, homofobia, injuria, calúnia, tentativa de feminicídio e ainda aproveitar pra aparar o buço e a cabeleira no triangulo das bermudas, com o dinheiro da ação. O que ela não contava era que o estabelecimento atendesse apenas homens, o que segundo ela, era um absurdo (!).

Cquote1.png Nossa véi, um salão pras mina(sic.) é de boa, mas pros macho? Pura misoginia mano(sic.)
Vítima Orangotango feminista sobre a existência de uma barbearia masculino


O caso foi caracterizado como violência contra a mulher e a delegada da Delegacia de Polícia de Defesa da Mulher de Americana já está apurando o caso. Segundo ela, "houve abuso na relação" e os aparadores deveriam dar prioridade a jovem, por se tratar de uma mulher.

Cquote1.png Koé omi, respeita a mina ai meu! Ela foi la corta, cês(sic.) nun tinha(sic.) nem que ta dano(sic.) satisfação meu!
Delegada da Delegacia de Polícia de Defesa da Mulher de Americana em apoio a vítimista


Depois da divulgação do caso nas redes sociais, várias amantes e escravos de bucetas correram para o perfil da loja pesquisa no Google revolucionarem através de descurtidas e baixa avaliação da página. Depois da ação os donos do estabelecimento não sabem se vão continuar operando.


Fontes[editar]