Desnotícias:Inglaterra joga como Inglaterra, Croácia joga como Croácia, então coube ao Mick Jagger decidir a classificação croata

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

FIFA WORLD CUP 2018.png Esta desnotícia é parte do projeto DesCopa Russia. Na Rússia, a Copa se informa sobre VOCÊ!

MOSCOVO, Ruskia - Estádio Mijanimim

Mick Jagger comparece ao jogo para definir a classificação croata. Jagger pode ser investigado pela Interpol por suposta ligação com casas de apostas. Mais uma vez, o santo do astro foi mais forte que o de todo o elenco, comissão técnica e os 53 milhões de ingleses juntos...

Mais um jogo da Copa do Mundo nos fez perder um capítulo de Belíssima na programação vespertina da Globo, até por isso preferiu-se anunciar exaustivamente os capítulos finais de Onde Nascem os Fortes, o acerto de contas entre famílias em Segundo Sol para encher o saco do Roger Chinelinho porque a ex maria-chuteira dele está nessa novela, um inocente que pode pagar por um crime que não cometeu em Malhação e a estreia da nova temporada de The Voice Brasil. Quanto ao jogo, foi uma boa semifinal de Eurocopa, com muitos cruzamentos e gols feitos na cagada, com a classificação da Croácia no final.

Alguém esqueceu de avisar aos jovens jogadores ingleses que a tradição da Inglaterra é ser eliminada logo nas oitavas de final; isso evita decepções grandes demais, pois não combina com eles ir tão longe assim numa Copa do Mundo. Ninguém sabe explicar como, mas a Croácia agora chega à primeira final de Copa do Mundo de sua história, bem credenciada para conquistar um honroso vice.

Primeiro tempo[editar]

O jogo começou do jeito que a Inglaterra gosta, com gol de bola parada! Visivelmente incapazes de fazerem gol através de jogadas com bola rolando, os ingleses fizeram lá seu gol, aproveitando sobretudo o fato de que faz parte das regras ganhar e ser campeão jogando futebol feio (vide Itália de 2006), e que basta mesmo é marcar gols: assim, logo aos 5 minutos de jogo, um inglês com nome de francês fez o gol de falta, deixando os ingleses na frente do placar. Depois do gol fortuito, os ingleses enceraram o jogo como se faltassem 2 minutos para acabar a partida, com jogadores dividindo e deitando em seguida, como se o preparador físico inglês fosse alguém contratado da Série B do Brasileirão.

A Croácia por muitos minutos foi apenas a Croácia, indo só na base do desespero para o ataque, enquanto os ingleses procuravam ampliar o placar através de uma viadagem ensaiada chamada de "trenzinho inglês", momento no qual uns 5 jogadores ingleses se acoplam na área antes do escanteio ser batido. Os ingleses estavam tão viciados nessa jogada que, ao chegarem perto da área croata, muitas vezes faziam questão de premeditadamente chutar em cima dos zagueiros adversários só pra ganhar o escanteio.

A Inglaterra tinha de tentar pelo alto mesmo, porque se viesse por jogada no chão, os atacantes ingleses só arrematavam com chutes telegrafados facilmente interceptáveis pelos zagueiros croatas (a intenção era ganhar escanteios mesmo após o corte da zaga croata). Até o badalado Harry Kane errava gols, a melhor oportunidade de matar o jogo estava nos pés dele, ao ficar cara a cara com o goleiro Subasic e com os zagueiros à 3 metros de distância, só que ele telegrafou o chute e facilitou a defesa do arqueiro croata. Mas isso não espantava ninguém porque fazer gol de categoria não é sua principal característica; ele só sabe fazer gols sem querer e de pênalti, sendo uma versão inglesa do Henrique Dourado. Como não houve pênaltis e ele estava tentando e querendo fazer gols (não abrindo a possibilidade de fazer um gol sem querer) o craque inglês passou em branco na partida.

Show do intervalo[editar]

Num jogo tão parelho, com duas seleções candidatíssimas a serem eliminadas, coube ao Mick Jagger definir a eliminação inglesa e a classificação croata. O jogador do time adversário para o qual ele torce numa partida apareceu no meio da transmissão da Globo, pegando Luis Roberto, Júnior ex-Capacete e Roger Chinelinho de surpresa. A fim de evitar o encaminhamento dos mesmos tweets oferecidos ao Galvão na transmissão do jogo de ontem pelo filho e pela ex-maria-guitarra do astro do azar e olho gordo, Luis Roberto desconversou quando perguntado pelo Roger se Jagger influenciaria no resultado do jogo.

No fim, não deu outra. Assim que o mundo tomou conta de sua existência, a energia elétrica russa oscilou por dois minutos e uma aura sobrenatural tomou conta do estádio antes que o time inglês retornasse ao campo, dessa vez devidamente amaldiçoado, tanto que nem o Sterling teve a oportunidade de perder gols feitos na segunda etapa como de costume.

Segundo tempo[editar]

Quando os meses de treinamento com Mestre Miyagi mostram o seu bom resultado.

Para o segundo tempo, a Inglaterra voltou determinada a não fazer gols e segurar o resultado, dedicando-se a fazer porra nenhuma. Cumpriu o seu objetivo parcialmente, ao não fazer gols, mas tomando um de empate. A Croácia só não empatou mais cedo porque estava visivelmente com medo de finalizar: às vezes chegava na cara do gol, mas ao invés de finalizar, arriscava alguma firula ou cruzamento rasteiro mal feito (ironicamente, o gol de empate ainda viria a surgir assim).

A tática de apostar só em cruzamentos parecia a receita perfeita para a Croácia perder logo o jogo, mas não é que deu certo? Num desses cruzamentos que normalmente dariam em nada, Perisíte decidiu inovar e ir de voadora na bola (ao invés de tentar de cabeça e errar, como estava sendo até então). Gol que deixou o goleiro Pink Floyd vermelho de tão puto.

Com o gol, a Croácia passou a dominar o jogo, enquanto a Inglaterra tentava fazer de conta que era time grande, mas obedecendo apenas o lema "time grande não dá chutão pra frente", o que resultava em ingleses entregando bolas na defesa aos montes, enquanto os croatas abusavam nas quantidades excessivas de chutões pra fora, encaminhando o jogo para um empate no tempo normal.

Nos últimos 25 minutos do tempo regulamentar, Modric consagrou-se como o melhor jogador da Inglaterra, toda bola que passava por seu pé era certeza de um bom contra-ataque inglês.

Prorrogação[editar]

Mandzukic foi comemorar o gol com seu fotógrafo favorito, o que despertou ciúmes dos demais profissionais da imprensa e também de seus colegas de time.
Cquote1.png Onde ele ajudou nosso time!? Cquote2.png
Disparou Raquítico, causando um racha no elenco antes mesmo da final

Com dois times completamente exaustos, os 30 minutos de prorrogação serviram apenas para torturar os jogadores mesmo. A Inglaterra ainda tentava seus gols só com cruzamentos, quase conseguindo um gol que foi salvo por Versalico em cima da linha.

O que se percebeu é que, depois de superar a maldição de nunca ter vencido uma disputa por pênaltis numa Copa do Mundo quando passou pela Colômbia nas oitavas, os ingleses estavam decididos a segurar o empate e tentar vencer nos pênaltis. Eles só não contavam com o oportunismo de Mandzuquít, que aproveitou que os zagueiros ingleses estavam arrumando o cabelinho e não acompanharam uma bola sobrando. O croata concluiu mais um gol e virou a partida.

Aí foi aquele desespero de final de jogo. Os ingleses não sabem fazer catimba direito... Alguém esqueceu de explicar para o Trippier que se faz cera só quando se está ganhando, enquanto os croatas só enrolaram o jogo para levar o jogo até o fim e se classificarem.


Fontes[editar]