Desnotícias:Manuela d'Ávila tem sua pré-candidatura a presidência pelo PCdoB cancelada por ser branca demais

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Desnoticias logo.png

Este artigo é parte do Desnotícias, a sua fonte de ignorância 24 horas por dia.

BRAS ILHA, Bananalândia

Manuela D'Ávila em material preparado para a sua campanha abortada para a presidência.

Depois de se tornar símbolo sexual pelo PC do B, conseguindo inclusive galgar a posição de aspirante a presidência da República das Bananas, a modelo, política e cosplay de atriz global Manuela D'Ávila tem a sua pré-candidatura impugnada pelo seu partido.

A motivação para isso segundo o diretório nacional do partido seria o fato de a Manuela D'Ávila, a despeito de ser mulher, feminista e simpatizante dos ideais comunistas de comer criancinhas e coisas do tipo, seria branca demais para representar o partido frente a população brasileira.

O anúncio pegou a todos de surpresa, menos aos militantes da União dos Negros Nazistas e de vertentes do Movimento Negro, que em nota afirmaram importante o avanço do partido no sentido de levar quadros negros para cotas mais altas de protagonismo frente a população brasileira de lacaios prontos para estarem a serviço de um bem maior.

Consta que a União da Juventude Solipsista teria aplaudido a decisão, dado que isso daria uma maior representatividade a uma candidatura do partido, há muito desgastado por ser mero satélite do lulismo, mas apresentava resistências ao nome da pin-up Manuela por ela ser originária dos Estados Unidos do Sul e pela mesma nem de longe ter o padrão de beleza colocado como exemplar pelo movimento negro em geral.

Foi informado em nota que o partido estaria cogitando o lançamento das pré-candidaturas de Poliana Kamalu, de Jessicão e da Preta Gil, sendo que a preferência no momento tem sido por essa última, dado que a mesma, além de representar a população negra, ainda representaria um avanço contra a Gordofobia, um dos males trazidos pelos arautos do "políticamente incorreto" ao debate político.


Fontes[editar]