Desnotícias:Menino nigeriano é suspeito de matar o presidente da Argélia

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Desnoticias logo.png

Este artigo é parte do Desnotícias, a sua fonte de ignorância 24 horas por dia.

1136805474 0.jpg

VÉLHO BABAOVO, Nigéria


Em Vélho Babaovo, Nigéria, A polícia nigeriana começa investigação sobre o assassinato de Bar Bar, presidente da Argélia, que já se prolongou por 1 mês. O principal suspeito era um menino da aldeia de Kiabo, o menino se chamava Bilau Pekeno.

Bilau Pekeno foi visto, em 1 de junho, perto da casa de veraneio de Bar Bar, testemunhas que não querem ser identificadas disseram que viram o menino nos fundos da casa de veraneio enquanto Bar Bar estava na piscina, o menino gritou "Karmy õne shashon!" ("Morra viado doido!" em português) e disparou 40 tiros, com um revolver calibre 60, que, desses 40 tiros, 30 tiros acertaram o mordomo da casa e os outros 10 acertaram o testículo esquerdo do presidente, Bar Bar morreu na hora.


Em 25 de junho, a polícia chegou a casa de Bilau Pekeno, entrando e interrogando a mãe de Bilau (a mãe era uma prostituta treinada para folar com motumbos enquanto o pai era um motumbo) e depois interrogaram Bilau, o menino negou o crime. Dia seguinte, Bilau Pekeno foi preso por traficar dióxido de paracetamol em seu aniversário de 11 anos; ao ser interrogado, Bilau disse que deu um tapa na pantera e, com um estilingue, matou as galinhas de Bar Bar, essa versão não convenceu a polícia, que manteu Bilau Pekeno em regime semi-aberto até 14 de julho, dia em que foi marcada a audiência de Bilau em júri popular.



Fontes[editar]