Desnotícias:No duelo ibérico deu Espanha

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Trophees-16.gif Esta desnotícia é parte do projeto DesCopa, sua fonte de ignorância sobre o Mundial

CIDADE DO MEU CABO, África do Sul - Portugal e Espanha se reencontraram mais uma vez na Cidade do Cabo séculos depois de Vasco da Gama e Fernão de Magalhães, dessa vez para jogar uma das peladas mais esperadas das oitavas de final da Copa do Mundo de 2010.

Cquote1.png CHUPA AGORA MANUEL! Cquote2.png
David Villa

A Espanha bateu o record de maior quantidade de passes de calcanhar num mesmo jogo, totalizando mais de 8000 ao todo. Com menos de 1 minuto de jogo a Espanha já tinha feito três passes de calcanhar. Menos de 5 minutos já teve 3 chutes espanhóis perigosos, só de ver esse início já dava para saber quem iria ganhar. E os portugueses lá atordoados, não são acostumados a irem tão longe numa Copa do Mundo, praticamente não passaram do meio de campo.

Portugal conseguiu equilibrar mais quando se tocou que deveria ficar na retranca, e o restante do primeiro tempo passou assistindo a Espanha trocar passes na intermediária do seu ataque. Os portugas até se aventuraram no ataque, mas nada muito concreto.

O segundo tempo continuou a mesma coisa, com a Espanha mais perigosa jogando ao seu estilo com paciência, o gol espanhol era questão de tempo. E finalmente veio após puro pase de Xavi que deixou Villa ê um jogo frente a frente com o goleiro português Eduardo que mais uma vez entre tantas belas defesas no jogo agarrou - Pio! Piriiiiiigo! - Mas no rebote Villa marcou o gol.

Aos 24 minutos Sergio Ramos ainda levou periiiiiiiiiiiiiigo para o gol português.

O 1 a 0 já era suficiente para classificar. Como a Espanha botou fé que os portugueses eram incompetentes o suficiente para empatar e Espanha apenas administrou. Portugal levou o gol, mas parecia que tinha feito, porque continuou jogando a mesma retranca e falta de ofensividade de todo o jogo. O placar final não poderia ser diferente, 1 a 0 para Espanha.


Fontes[editar]