Desnotícias:Suíça inventa um novo tipo de empate e acaba vencendo a Sérvia sem querer

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

FIFA WORLD CUP 2018.png Esta desnotícia é parte do projeto DesCopa Russia. Na Rússia, a Copa se informa sobre VOCÊ!

CONISBERGA, Estônia - Estádio de Königsberg

Ex-Iugoslávia e Suíça fecharam a segunda rodada do grupo do Brasil. A partida na verdade foi uma demonstração de como jogam as novas seleções, tanto a da Suíça como a da Sérvia. Do lado dos suíços, cansados de empatarem por 0x0 e serem criticados por fazer jogo feio, agora se especializaram em empatar por 1x1 jogando bonito, evolução que faz seu técnico realmente acreditar que a Suíça tem alguma chance nessa copa.[1] Já a Sérvia, que durante muito tempo era chamada de "Brasil da Europa" na época da Iugoslávia, só porque praticava futebol ofensivo e cheio de catimba, exibiu um futebol que lhe rende agora o apelido de "Equador da Europa": sem criatividade e sem qualidade, somente muita raça sem objetividade. O combinado era o jogo terminar em 1x1, mas a Suíça escolheu dois bons jogadores (Xhaka e Shaqiri), algo que normalmente acontece de vez em nunca na história, daí o time suíço acabou acidentalmente ganhando por 2x1.

Nessas condições de jogo, o primeiro tempo foi dominado pela Sérvia, enquanto o segundo foi dominado pela Suíça, afinal europeu é sempre assim, gentil e oferecendo igualdade de condições pra todo mundo.

Já o brasileiro que acordou cedo pra ver o Brasil vencer de maneira sofrível em cima duma mera Costa Rica, pôde tirar uma soneca pela tarde ao se deparar com mais um jogo tedioso de dois times europeus exibindo o mais clássico e pragmático futebol europeu de fazer porra nenhuma quase que na totalidade do jogo.

Primeiro tempo[editar]

Suíça e Sérvia entraram em campo com uma grande incógnita na cabeça: com a Alemanha se esforçando pra ficar em segundo e assim pegar logo o Brasil nas oitavas, ambos os times não têm qualquer interesse em ficar em primeiro nessa chave, mas como o Brasil está tão ruim que é capaz até de ficar em segundo (forçando um europeu a jogar contra Alemanha), Sérvia e Suíça decidiram jogar por um empate de 1x1; ou seja, atacariam bastante mas não tanto assim e exibiriam qualidade mas não tanto assim. E logo aos 5 minutos de jogo o sérvio Mitrovít faz o gol de cabeça, aproveitando-se da generosidade suíça em sempre deixar alguém fazer um gol agora, antes de ir buscar um empate depois.

O problema é que os sérvios não devolveram esse fair play, e passaram o resto do primeiro tempo inteiro sem deixar a Suíça fazer o gol de empate; afinal, eles são o "Brasil da Europa", e já tinham visto que o Brasil deixa empatar só no segundo tempo. E assim foi.

Segundo tempo[editar]

Shaqiri comemora o gol fazendo gesto de ódio contra os sérvios. O símbolo de um pombo albanês, transmissor de várias doenças.

Aos 7 minutos de segundo tempo, veio o empate, com o cavaleiro mais próximo de Deus e guardião da sexta casa do zodíaco Shaka de Virgem, que acertou aquele chute de primeira de fora da área, o mesmo tipo de chutaço que 99% dos jogadores isolam pra arquibancada (e que tira os dentes de algum torcedor distraído), mas esse suíço empatou.

Percebendo que os sérvios não eram grandes coisas, os suíços perceberam que logo virariam esse jogo, então como prova de fair play (afinal são europeus e educados) decidiram fazer um pênalti claríssimo após bola cruzada na área. Mas o juiz interpretou que os dois zagueiros suíços estavam só dando um abraço amigável no sérvio, fazendo as pazes sobre as tensões da polêmica discussão a respeito do destino do Kosovo, o qual foi muito falado e babado antes do jogo.

Como a Sérvia não teve o pênalti para marcar o seu segundo gol e assinalar o destino do empate antecipado, a virada da Suíça veio no final do jogo, com Xherdan Shaqiri (o segundo jogador bom de seu time) correndo metade do campo antes de concluir com sucesso o gol. O jogo termina com a Suíça surpreendendo a todos, ganhando 3 pontos sozinha num claro empate por 2x1.


Referências

Fontes[editar]