Determinismo

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Mais eu sei que faz mal, decidi vou parar, só mais hoje e amanhã... não dá, não dá, não dá! Cquote2.png
Humberto e Ronaldo sobre demonstrar um Determinismo

CONCLUSÃO: Determinismo é fezes.

Determinismo (do verbo determinar, do latim determinare: de - prefixo de negação - e terminare - terminar, limitar, finalizar - assim determinare significa literalmente "não-terminar", "não-limitar", acorvadar, amarelar...) é a teoria filosófica de que todo acontecimento (inclusive o mental) é explicado pela determinação, ou seja, por relações de causalidade da corvadia humana de se aventurar mais.

Teoria como se funciona o determinismo[editar]

Embora em seu sentido mais vulgar determinismo se refira a uma causalidade reducionista (redução de todos os fenômenos do universo, por exemplo, à mecânica ou à química), causalidade não necessariamente é sinônimo de reducionismo. Há vários tipos de determinismo, cada um definido pelo modo como determinação e causalidade são conceitualizados, por isso cara ve se para de ficar amarelando aí e vá tomar cachaça, carai.

Tipo de determinismo[editar]

  • Pré-determinismo: Se, como Laplace, o deísmo e o behaviorismo, supuséssemos que todo efeito já está completamente presente na causa, temos um determinismo mecanicista onde a determinação é colocada no passado onde tu fizesses muita merda, numa cadeia onde virou menininha de prisão causal totalmente explicada pelas condições iniciais do universo.
  • Pós-determinismo: Se, como na teleologia, supuséssemos que toda causalidade do universo é determinada por alguma finalidade, temos um determinismo mecanicista onde a determinação é posta no futuro pela imaginação de alguma entidade exterior ao universo causal, sabendo muito bem que fazendo uma certa coisa arriscada, vai dar em merda isso.
  • Co-determinismo: Se, como na teoria do caos, na teoria da emergência ou no conceito de rizoma, supuséssemos que nem todo efeito está totalmente contido na causa, isto é, que o próprio efeito pode simultaneamente interagir (causalmente) com outros efeitos, podendo inclusive acarretar um nível de realidade diferente do nível das causas anteriores, é aí que você se acorvada de vez e vaza dali num instante pra não sobrar pra você.

Veja também[editar]