Dingo

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Ding-ling
Tema o adorável feroz predador!
Tema o adorável feroz predador!
Classificação científica
Reino: Animal
Filo: Acordados
Superclasse: Quadrúpedes
Classe: Mamadores
Ordem: Comedores de carne
Família: Caninos
Gênero: Cannes
Espécie: Lobo-Mau
Subespécie: Dingo
canis lupus dingus

Cquote1.png Você quis dizer: Cão-Guru? Cquote2.png
Google sobre Dingo
Cquote1.png Bingo Dingo, ohohohoho! Cquote2.png
Luigi sobre Dingo
Cquote1.png Ei, acho que estou ouvindo um dingo comer o seu bebê. Cquote2.png
Bart Simpson sobre Dingo
Cquote1.png Dingo bells, dingo bells, dingo all the way... Cquote2.png
Canção natalina sobre Dingo
Cquote1.png Mais uma tentativa falha de nos domesticar...Tsc. Cquote2.png
Lobos sobre Dingo
Cquote1.png Kawaii. *-* Cquote2.png
Otaka retardada antes de virar janta de um dingo faminto sobre Dingo
Cquote1.png Idiota! IDIOTA! Cquote2.png
Sleet de Sonic Underground sobre seu parceiro Dingo

Dingo é mais uma espécie única de animal originária da terra de Crocodilo Dundee. Trata-se de uma espécie de cão canino que habita o mato da região oceânica, ou seja, é um renomado habitante canídeo da Austrália, dividindo seu habitat com cangurus, coalas, ornitorrincos e taipans.

Sobre o animal[editar]

Assim como seu primo cão, os dingos são canídeos coadjuvantes que não passam de uma subspécie de lobo, com a única diferença de que o dingo é selvagem e não se submete aos caprichos dos humanos por ter um orgulho gigante. Apesar disso, há relatos de aborígenes que criam dingos em casa para vigiar seu terreno quando eles saem por aí em busca de carne humana para a sopa.

Um dingo preguiçoso.
Um grupo de terríveis dingos atacando uma indefesa velhinha.
Dingo incomodado com a presença de uma criança chata.

Sobre sua origem, é um verdadeiro mistério, mas desocupados e vagabundos do mundo inteiro especulam que tenham sido fruto de alguma experiência genética em algum laboratório que visava a domesticação dos ferozes lobos selvagens, mas que fracassou miseravelmente, dando origem a uma espécie de intermédio entre o cão e o lobo. Não se tem notícia alguma dos responsáveis por tais experiências, pois acredita-se que revoltados com aquilo, os dingos resolveram pôr fim aos desgraçados que fizeram aquilo com eles. Depois disso, os dingos fugiram do laboratório e desde então habitam as selvas e o mato australiano. É claro que tudo isso não passa de pura lorota, e mais a frente vamos falar mais a respeito.

Não se sabe quando os dingos chegaram na Austrália, e também pouco importa, mas acredita-se que tais cães do mato tenham chego no lugar com o estabelecimento das tribos aborígenes australianas, que trouxerem consigo cães sem espécie definida que não eram nem tão selvagens como os lobos, nem tão bonzinhos como os cães. Então, eles resolveram chamar os animais de Dingo, em homenagem a um jogo que os mesmos comumente praticavam depois das suas caçadas, que consistia em girar algumas pedrinhas enumeradas dentro de um porongo e riscar com poupa de fruta os números correspondentes em uma cartela feita de madeira de eucalipto. Posteriormente, tal prática foi aprimorada e transformada no que conhecemos hoje como bingo, muito popular em Las Vegas e em botecos de esquina.

Dingo se achando o rei do mundo.

Desde então, acredita-se que os dingos tenham desenvolvido técnicas próprias e habilidades únicas em vista de sua distância de outros canídeos e seres humanos normais que integram a gentalha. Desempenham um importante papel pra sociedade, pois são predadores natos, adorando caçar animaizinhos irritantes e crianças chatas que se perdem na savana australiana, poupando esforço das pessoas e se livrar das mesmas. Inclusive, teorias da conspiração dizem que há um complô com o intuito de importar dingos famintos da Austrália para o Brasil e soltá-los dentro dos estúdios de gravação da novela Carrossel, que além de acabar com uma porrada de seres detestáveis crianças inconvenientes, vai pôr fim de uma vez por todas à Maísa, o indivíduo mais repulsivo e irritante da face da Terra.

O nome[editar]

Dingo é um animal com diversos nomes, ainda mais por viver em um país com diferentes tribos de canibais aborígenes, cujos quais possuem mais de 78 dialetos cada um e em cada dialeto, ele possuir um nome diferente. Porém, o termo universal é "Dingo". Apesar disso, é muito conhecido também como "cão do mato" na Austrália, e também como "cão selvagem" por poodles de peruas. Já seu nome científico é "Canis lupus dingo", mas como ninguém sabe disso a não ser os cientistas, vamos ficar com "dingo" mesmo. Também existem pessoas que gostam de chamá-lo de "lobo australiano", mas isso é típico de ignorantes que ainda acham que o dingo é um lobo.

Descrição[editar]

Filhotes de dingo irritando uma raposa, demonstrando o quanto estão preocupados com a opinião dela.
Dingos fofocando comentando sobre a falta de honra dos cães.

Dingos, como toda espécie de canídeos, são caracaterizados por terem um narigão, dentes afiados e serem mais bonitos do que toupeiras ou ornitorrincos. Dingos também são muito semelhantes com algumas espécies de cães e algumas espécies de lobos, afinal, estão entre essas duas espécies, assim como o seu parente chacal. Não costumam gostar muito de seres humanos, e evitam se aproximar de cães domésticos, por acharem que estes perderam sua dignidade ao se venderem por um mísero saco da ração. Em contraposição a isso, cães domésticos caçoam dos dingos, pois os mesmos são obrigados a dormirem na chuva e não têm como serem levados ao médico quando pegam sarna ou pulgas.

Dingos são caracterizados também por possuírem uma cabeça grande e um focinho tremendamente pontudo, muitas vezes virando alvo de chacota de outros canídeos que se julgam mais bonitos, como a raposa, por exemplo, que vive os chamando de "cães alien" ou até mesmo "chupacabras". Porém, na visão de uma pessoa, dingos podem ser considerados animais robustos, com pelo laranja, bonitos e que vivem cheios de pose, o que em muitas ocasiões irrita as raposas e os poodles, que se acham os mais bonitos dos canídeos e morrem de inveja. A coloração de seu pelo costuma ser da mesma cor que uma cenoura, ou seja, laranja.

Comunicando-se com companheiros de espécie[editar]

Todo parente do lobo, dos cães aos lobisomens, tem uma linguagem própria. E com o dingo não poderia ser diferente.

Impondo terror respeito com esta sua expressão, não há trouxa ninguém que ouse se aproximar de suas coisas.

Um dos mais consagrados tipos de ruído pronunciados por cachorrídeos é o famoso latido. É uma afirmação absurdamente imbecil e típica de jumentos que não cursaram o Ensino Fundamental dizer que dingos não latem. Dingos latem sim, porém, eles são mais calmos e evitam de "conversar" muito. São raras as vezes que um dingo late, mas não inexistentes. Porém, a grande diferença é que o latido dos dingos é mais baixo e muito menos irritante do que aquele barulho chato que aqueles vira-latas barraqueiros ficam fazendo em frente à sua casa em plena madrugada e acordando a vizinhança toda sem deixar ninguém dormir.

Coro organizado de dingos gravando o seu mais novo CD de New Age.

Outra forma de comunicação é o também popular uivo. Nesse caso, são o legado de seus ancestrais lobos. Porém, a diferença é que ao invés do mesmo uivo monótono comum em alcateias e matilhas, dingos possuem mais de 20 uivos diferentes, em diferentes tons e intensidades. Essa peculiar característica motivou inúmeros artistas de New Age a gravar coletâneas e mais coletâneas com o uivo dos dingos e o canto dos pássaros. Ah, e é claro, a adoração de plantas, minerais, duendes e fadas.

Porém, a maior parte dos sons emitidos pelos dingos são os rosnados, vociferações, ranger de dentes, resmungos e esbravejamentos no geral. Isso nos leva a crer que dingos são animais bastante mau-humorados às vezes, ou no mínimo, bipolares. Aparentemente, dingos são egoístas e estão sempre tentando espantar qualquer um que chegue perto pra bem longe das coisas que lhes pertencem, pois odeiam dividir as coisas.

Comportamento[editar]

Dingo ao avistar uma presa. Pode ser qualquer coisa, até mesmo você!

Dingos são animais que trabalham normalmente solitários e de acordo com o tempo. Como diz aquele velho ditado: muito ajuda quem não atrapalha. Se estiver frio, eles saem de dia, se estiver quente, eles saem à noite. Quando não estão caçando, estão procurando por forasteiros ou invasores, sempre preparados para arrancar um pedaço do dito cujo e mostrar quem é que manda na parada.

Dingo macho seduzindo uma dingo fêmea com o olhar.

Dingos costumam se alimentar de animais mais fracos do que eles, como todo predador esperto. Entre sua dieta estão coelhos, wallabies, cusus, gado bovino, ratos, cangurus, gansos, vombates, lagartos, javalis, coalas, peixes, gambás, caranguejos, equidnas, bandicotas, frutas, legumes, eucaliptos, diabos da Tasmânia, anacondas, pinguins, focas, besouros, ornitorrincos, baleias, chupacabras, macacos ratos da Sumatra, velociraptors e fedelhos crianças chatas. Quando um dingo está com fome pode ser assemelhado a um tailandês: come a primeira coisa que se mexer em sua frente.

Apesar de serem vistos normalmente sozinhos, dingos são bastante sociáveis, principalmente no período da reprodução, onde vão de fêmea em fêmea para tentarem tirar uma casquinha. Assim como os chineses, dingos se reproduzem apenas uma vez por ano. Apesar disso, os dingos machos são ativos sexualmente durante o tempo todo. Porém, diferentemente de vadias como a sua prima ou a sua vizinha, as fêmea permitem que os machos copulem com elas apenas uma vez por ano. Se a fêmea estiver de bom humor, talvez deixe mais algumas vezes, mas é bem difícil, já que dingos fêmeas costumam estar sempre de TPM.

Domesticação[editar]

O Abominável Dingo das Neves!

Apesar de estes animais serem selvagens e não irem muito com a cara de pessoas, a domesticação não é impossível. Para conseguir domesticar um dingo, você vai precisar de uma pokébola e um Houndoom de preferência. Se conseguir derrotar o dingo numa batalha, não perca tempo e arremesse o mais rápido possível sua pokébola nele. Então é só esperar que ele seja capturado e levá-lo pra casa. Uma vez domesticado, o dingo será fiel como um cão, afinal, querendo ou não, fidelidade e respeito ainda são fortes marcas dos caninos, que diferentemente dos felinos, não querem dominar seus donos. Mas cuidado, se seu Houndoom foi treinado por alguém do mesmo nível que o tal de Ash Ketchum, o dingo irá estraçalhá-lo sem dó nem piedade e de sobra vai acabar com você e chamar seus companheiros de bando para te devorarem numa grande ceia.

Ver também[editar]

v d e h


Dingo é o melhor amigo do homem, e também:

PeterFurryGabriel.jpg


CachorroCachorro-do-matoCachorro-vinagreCão-guaxinimChacalChacal-de-dorso-negroChacal-douradoChacal-egípcioCoioteDingoFenecoGraxaimLobisomemLoboLobo-abissínioLobo-cinzentoLobo-de-honshuLobo-etíopeLobo-guaráLobo-ibéricoLobo-italianoLobo pré-históricoLobo-vermelhoMabecoOtócionRaposaRaposa-cinzenta-argentinaRaposa-coloradaRaposa-das-FalklandRaposa-do-árticoRaposa-do-caboRaposa-do-campoRaposa-orelhudaRaposa-vermelha