Diogo Portugal

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa



Cquote1.png Você quis dizer: Boy Cquote2.png
Google sobre Diogo Portugal
Cquote1.png Se for favela de primeiro mundo pode ser. Cquote2.png
Diogo Portugal em sua frase mais sábia sobre Curitiba.

Filha querida de utero e coração de Diogo.

Diogo Portugal é a mãe verdadeira do roqueiro Alexandre Magno Abrão, e também comediante. Após dar à luz, sendo hermafrodita, fez operação para mudança de sexo e ficou quase parecendo com homem, já que seu hermafroditismo prevalecia mais a porção fêmea. Sua escolha porém foi se tornar macho, inclusive conseguindo fazer voz de vileiro perfeitamente. Sua escolha de gênero nada teve a ver com o desgosto de ter um filho chorão e emo disfarçado de macho, mas sim porque achou que seria melhor para realizar seu sonho de ser comediante, coisa que fica melhor pra quem mija de pé, não sei porque mas dizem que combina mais.

Vendo crescer[editar]

Diogo imcorporando boy.

Depois que seu filho chorão e porcão cresceu e nada do que ele tentou em termos de educação deu certo, ele apenas disse a Xandinho que mamãe o amava de qualquer forma, mesmo que ele fosse um carinha metido a macho com alma de bailarino, mas achou que o filho havia herdado isso de tenar ser o que não é dele mesmo, embora ele pudesse escolher já que era macho e fêmea, por isso resolveu que não queria mais manter-se como mulher, que era o que aparentava mais e veio a ser papai e não mais mamãe. Bom de certo modo porque chorãozinho não conhecia seu papai verdadeiro, assim Diogo já mostrou o quanto era multifacetado.

Em sua função de mamãe ele ensinou Xandinho chorinho muitas coisas, uma delas é como se manter gordo e dar uma de fortão, Diogo ensinava truques como jogar uma roupa larga por sobre as banhas e tentar andar igual a um bugio para passar migué de que gordura é musculatura bem como a carência disfarçar com farsa de sou macho. Outra habilidade ensinada foi a de caçar fêmeas apenas de classe social maior que a dele, não por preconceito, mas por desafio, já que as que ele conhecia de classe mais alta, apesar de toda grana da família, eram as mais canhãozinho, portanto o desafio era encarar aquelas baranguinhas, nada parecidas com as do clipe, que por sianl são pobres, apenas por isso aceitaram participar de clipes ruins, mas foram agraciadas com beleza natural que não precisa de muita grana pra manter.

Entre essas lições e bananas para ficar forte, Diogo criou seu filhotinho Chorão, preciosidade de sua vida, mas a sua vida ainda não estava completa, havia um vazio a ser preenchido, e foi: Diogo reuniu a lembrança de todos os seus amantes que teve nos tempos que usava o lado fêmea de seu hermafroditismo e o vazio se transformou em um bando de figuras, mostradas mais com sua voz gozada.

Carreira[editar]

Diogo mostrando como se inicia uma piada.

Como não conseguem enxergar ouvir que ele seria mesmo é um ótimo dublador, Diogo tem que partir para a BOSTA da comédia stand-up, aquela desgraça de ficar tagarelando igual a um papagaio e nada mais, o que é uma tristeza, com desculpas aos papagaios que pelo menos são vistosos igual às araras. Dublagem de animação e coisas do g~enero fariam com que Diogo aproveitasse todo po seu potencial e quem ganharia também seria o publico, mas como a maioria das coisas anda fora do lugar, tipo você que deveria ser auxiliar de borboletas no primeiro vôo, é estudante.

Lembrando as borboletas, que Diogo também imita o flap flap das asas, e mesmo com aquela corpulência consegue voar durante suas apresentações de stand-up, mas essa é a única ação, já que violaria as regras da chatisse stand-up. Teve também, que deixar Curitiba porque queria algo fora do rádio, única coisa em termos de entretenimento que é feita na cidade, já que ninguém tem talento vontade para patrocinar nada além disso por aqui. Já observado que ele se daria melhor em dublagem, mas Diogo não seria tão reconhecido e ele não faz essa questão toda, mas também adquiriu o vírus e querer aparecer.

Ver também, se quiser[editar]