#Bolsonaro2018 卐卐卐

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
(Redirecionado de Direita)
Ir para: navegação, pesquisa
Aviso importante: Politicagem aqui NÃO, cazzo!
A Desciclopédia é um site de humor, logo, NINGUÉM aqui se importa com sua opinião sobre o Renan Calheiros, o Sarney ou a Confederação do Equador. Seja engraçado e não apenas idiota.
Nazifascist.jpg Este artigo foi tomado por fascistas!

Na Itália e na Alemanha, os Camisas Negras e Pardas amam o fascismo e exterminam você, seu comunista!
60px-Bouncywikilogo.gif
A nossa sátira autorizada, a Wikipédia, tem um artigo sobre: Direita política.
Típico direitista.

Cquote1.png Você quis dizer: Moral e bons costumes? Cquote2.png
Google sobre Direita política
Cquote1.png Experimente também: Meritocracia Cquote2.png
Sugestão do Google para Direita política
Cquote1.png E aí galerinha do twitter xD Cquote2.png
Um direitista vandalizando este artigo.

Direita política é o conjunto de ideias físico-químicas políticas que exaltam e estimulam sexualmente a desigualdade social entre pessoas, principalmente as que são pobres, negras e pagãs. A direita vive a tentar justificar a malandragem e a mentalidade correta e tradicionalista arcaica de conservadores folgados exibindo a superioridade da cultura ocidental e odeia banqueiros, por incrível que pareça.

Ideologias e formas de governo[editar]

Conservadorismo[editar]

Típico fascista conservador.

O supra sumo da ignorância, o conservadorismo surgiu apenas para justificar o fato de ricos limparem a bunda com o dinheiro enquanto os pobres se ferram, como acontece em Cuba.

O conservador é uma pessoa cuja opinião foi totalmente fermentada em cima da [[revista Vêsga Veja]], o que os faz pensar que comunistas comem criancinhas e que existe uma conspiração mundial gay. Pai de família, ele quer que a filha seja virgem para sempre enquanto não se importa que o filho coma dez mulheres por dia. É a prostituta dos EUA, pois assim como a esquerda, não vive sem coca-cola e internet e tenta imitar o conservadorismo estadunidense, apesar de se dizer patriota: gostam dearmas de fogo, têm em casa e dizem ser um instrumento de defesa, mas são loucos para descarregarem um pente inteiro naqueles neguinhos que passam o dia inteiro na rua.

Liberalismo[editar]

Ronald Reagan, o homem que colocou em prática as ideias de liberar geral.

Cquote1.png Você quis dizer: Capitalismo? Cquote2.png
Google sobre Direita política

Inventado por Adam Smith, o iluminati, o liberalismo afirma que o trabalhador tem tudo o que precisa e que o governo quer retirar os direitos dele. Mesmo com a Coca-Cola dominando o Brasil e levando as marcas locais refris à Madri falência, um liberal insiste em dizer que está tudo bem, pois só querem saber de ganhar dinheiro com os pobres se ferrando na bosta.

Num dia desses, Milton Friedman, o zé droguinha, estudou alguns escritos de Ludwig von Mises, o antissocial. Tais escritos continham as chaves para a aniquilação do comunismo, inclusive o sombrio raciocínio lógico que refutou o socialismo. Por vias do presidente americano Ronald Reagan, o ator, e da primeira-ministra inglesa Margaret Thatcher, o instrumento de tortura, o neoliberalismo tomou proporções mundiais, metas mundiais foram traçadas, resultando em privatizações que desregularam os mercados no mundo todo e deram liberdade total ao indivíduo, além de servir como arma para a destruição da URSS, como se as técnicas mágicas de Kung Fu implantadas por Mikhail Gorbatchev, o lunático.

Don Berlusconi analizando a melhor forma derrubar a direita.

Resumindo: um bando de desocupados que não tinha porra nenhuma a mais para fazer resolveu provar para o mundo que eram melhores e mais eficientes que os comunistas ressuscitando o liberalismo para fazer as pessoas ficarem cada vez mais ricas, o que ocasionaria a destruição da humanidade, já que tal sistema econômico é baseado num jogo de soma zero, o que significa que quanto mais alguém é rico, mais pobre outra é.

Capitalismo[editar]

Cquote1.png Capitalismo é sistema econômico! Cquote2.png
Economista sobre esta seção.

O capitalismo é definido como um sistema econômico, como foi dito pelo economista da citação acima, que se baseia no lucro, na propriedade privada, no lucro, na sacanagem e no satanismo, contudo, há controvérsias: de acordo com a corrente psicanalítica, capitalismo é uma parafilia (tinha que ser...), ou seja, um desvio do comportamento sexual, verificado exclusivamente em patrões, expresso sob a forma de prazer em foder com a vida dos empregados.

O primeiro uso da palavra "Capitalismo" foi em 1848, no Manifesto Comunista de Carlos Marques e Frederico dos Anjos, quando não encontraram um termo melhor para se referir aos garotos malvados que os espancavam na escola e roubavam (e acumulavam) o dinheiro do lanche dos dois. Em 1867, o anarquista Proudhon usou o termo capitalista para referir-se "àqueles filhos da Puta". Entretanto, a primeira pessoa que fez alusão ao significado atual da palavra, de uma forma impactante e quase sensual, foi Doutor Roberto, em 1902.

Um apoiador do capitalismo.

É o direito que todas as pessoas possuem de trabalhar a vida inteira, pagar impostos abusivos e que em um futuro breve vão acabar parando na conta de algum político, serem exploradas e receber um salário que não vai cobrir nem 10% das suas necessidades, para depois morrer por não existir mais vagas no hospital que é sustentado pelos seus impostos. Olhando para o lado positivo, você é livre para comprar qualquer carro importado que desejar. SmileySmall.png

Anarcocapitalismo[editar]

Che Guevara John Lennon quando pegou sua bazuca e exterminou a direita coxinha.

A versão moderna do Feudalismo. Atualmente, anarcocapitalistas formam um grupo de defensores de uma seita um sistema político-econômico que prega um capitalismo sem Estado. Para os ancaps, o Estado é como um bicho-papão, um ser de outro mundo, uma mistura de Darth Vader com Gargamel que quer sugar as energias de todos os seres humanos. Devido a isso, eles devem se livrar da regulação e dos impostos estatais, retornando ao mundo primitivo onde todos tenham liberdade para fazerem o que quiser, até que um dono de terras mais poderoso monte seu próprio Estado e comece tudo de novo.

É bem verdade que o anarcocapitalismo é um sistema que só existe na imaginação de economistas membros das escolas Austríaca e de Chicago. Porém, a Somália é o país que mais se aproxima do ideal. Alguns defendem que o sistema é o que mais traz progressos a esse país desde que foi adotado por lá com a queda do frágil Estado somáli. Claro que não contam os rebeldes da Somalilândia e seu novo estado, claro que não, esses são apenas fazendeiros executando seu direito de propriedade. De qualquer modo, o anarcocapitalismo traz resultados muito melhores à Somália do que a social-democracia em relação à pobre e atrasada Suécia.

Outros locais que também contam com modelos ancaps que faria o pessoal do Liber ter orgasmos múltiplos são as favelas latino-americanas, principalmente as do Rio de Janeiro. A admiração pelo modelo fluminense é tão grande que alguns líderes do partidão leia-se Juliano Torres chegam a recitar Marcelo D2 no chat do grupo. São completamente contra a ocupação das favelas pela polícia, pois isso violaria o direito de propriedade dos empresários locais.

Teocracia[editar]

As primeiras teocracias surgiram ainda na Antiguidade, quando os reis mesopotâmicos cultuavam Cthulhu, Cher e o Monstro Espaguete, obrigando o povo a seguir essa mesma crença e pagar o dízimo todo mês junto com outros impostos, sob ameaça de metralhar o lote da galera no Valhala.

Com a criação das religiões monoteístas, novas teocracias surgiram no mundo e começaram a ganhar a forma atual, ou seja, fazer todo mundo acreditar em Deus e não menos importante, dar o dízimo, senão vai para o inferno. Judeus, cristãos e muçulmanos aprenderam rapidamente a seguir a mesma fórmula para manipular as massas, ganhar dinheiro e permanecer no governo durante vários séculos, só mudando mesmo o nome do Deus em cada religião, mas mantendo o princípio ativo da fórmula E O MESMO DEUS!!.

Durante a Idade Média, a Europa vivia numa teocracia comandada pela Igreja Católica, que monopolizava a cobrança de dízimos, promovia guerras contra seus inimigos e mandava até nos reis, para ver como a situação estava feia. Por essas e outras o período medieval já foi muitas vezes chamado de Idade das Trevas. Para piorar, os árabes também seguiam uma teocracia, e de outra religião. Tente juntar um fundamentalista cristão e um fundamentalista islâmico e verá um flamewar um guerra santa, conhecida também como Palavras Cruzadas.

A direita no Brasil[editar]

Um político de direita...

Cquote1.png Não existe direita no Brasil! Cquote2.png
Olavo de Carvalho sobre esta seção.

A direita no Brasil é um exemplo de como não agir em crises políticas e intelectuais, tanto é que é o único país do mundo onde pobre pode ser de direita. Políticos PMDBistas de centro-esquerda direita, a Rede Globo e a demoníaca revista anti-esquerdista Vêsga Veja são as grandes armas dos direitosos, uma vez que governam o país a anos e são formadores de opinião, conduzindo seus cidadãos em direção à luz do conhecimento e da verdade pura e conseguindo hipnotizar convencer a classe trabalhadora de que o pobre é feliz mesmo que não tenha dinheiro pra comprar papel higiênico como na Venezuela, que o Lula fez pacto com o capeta mesmo sendo católico e que a causa dos problemas sociais é a interferência do estado na economia. Evidentemente, tais armas sempre passam uma ideia distorcida da realidade, nunca explorando a fundo. Por exemplo: se virem uma caveira em uma garrafa quando um brasileiro morre no exterior, a culpa é da polícia, mas quando um mendigo morre de fome na rodovia, a culpa é do Fome Zero. Nem se procurou estudar a desigualdade social, os fatores isolados e outras coisas absurdas mais.

...e outro de direita no Brasil.

A direita no Brasil não possui nenhum escrúpulo ou senso do ridículo, sempre justificando a matança nas favelas e beijando rolas coturnos dos PMs, pois gozam ao verem qualquer homem bruto preto pobre com um tiro de fuzil na cara. Sentem saudades da ditadura e negam até a morte que a maioria dos problemas do país atualmente possuem raízes nas políticas keynesianas adotadas pelos milicos. Os direitosos estão presos ainda na Guerra Fria e usam a ameaça de um inexistente golpe comunista articulado pelo Foro de São Paulo que representa uma ameaça à democracia e aos bons costumes cristãos da família tradicional brasileira para justificar suas sociopatias.

Nos últimos anos, a direita tem tido cada vez mais lideranças estranhas e bizarras, como Marco Feliciano, mais conhecido como Pastor Ryu, um gay fiscal de cu que ataca outros gays, Olavo de Carvalho, astrólogo e sofista charlatão com problemas psiquiátricos, e Silas Malafaia, um escritor estelionatário e cafetão de pastores que faz sexo com meninos. [1]

Cidadão de bem[editar]

O lixo da classe média, o cidadão de bem é de certa forma o conservador previamente dito.

  • kit de bem:
  1. 1 livro do Olavo de Carvalho (qualquer um, tanto faz).
  2. 1 assinatura de Vêsga Veja (para ler o Mainardi e poder ter opinião).
  3. 1 foto autografada do Pinochet.
  4. 1 coleção de DVD's com o melhor de Arnold Schwarzenegger, Bruce Willis e Chuck Norris.
  5. 1 Pau-de-arara de mogno envernizado (a gente nunca sabe quando vai trazer trabalho para casa).
  6. 1 assinatura da Biblioteca do Exército.
  7. 1 Artigo guardado que defenda Fernando Collor.

Ver também[editar]


Mirror2.jpg Conheça também a versão oposta de Direita política no Mundo do Contra:

Espelhonomdc.jpg