Dirk Kuyt

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Marco Naty dentes.jpg Este artigo é sobre algo ou alguém com falta de beleza!

Não nos responsabilizaremos por qualquer dano em sua visão ou vontade de continuar a viver.
Alguma foto da Dilma Rousseff comendo figo pode estar neste artigo.

Dirk Kuyt
Kuytgoonies.jpg
Bugou, reseta aí
Nascimento 22 de Julho de 1980
Bandeira dos Países Baixos Países Baixos
Ocupação Assustar criancinhas e brasileiros
Influências Sloth
Vícios Fumar folha de bananeira

Cquote1.png Pôôôô, esse anãozinho conseguiu ganhar de cabeça do volante que tem 1.75cm? *Entra o merchan* Cquote2.png
Milton Neves sobre a pequena estatura de 1.84cm de Dirk Kuyt
Dirk Kuyt (22 de Julho de 1980) foi um futebolista holandês, cuja cara pegou fogo e apagaram na pedrada.

Tanto na Seleção Holandesa quanto no Liverpool, equipe em que ficou a maior parte da carreira, a função de Kuyt era a mesma, ficar aberto pela meia-direita, correr pra caralho, driblar algum brutamontes defensor e cruzar, o problema é que o Sloth é como cachorro castrado, não sabe cruzar.

Nos momentos em que suas equipes precisam de gols, ele deixa de ser um ponta e vira atacante mesmo, daqueles de área pra brigar lá no meio com os zagueiros. Foi assim que ele escorou a bola pra Sneijder meter gol na Seleção Brasileira na Copa de 2010, fazendo com que a alegria pro povo só viesse em 2014, ou não.

Vida[editar]

Nasceu na Holanda, filho de um casal de maconheiros que não deixou de bolar um baseado durante a gestação, por isso a cara do nosso amigo ficou assim, meio bugada.

Na infância, era zoado por geral por causa da cara de mamão macho, e nem podia se defender, pois era um frango sem músculos. A única forma que encontrou pra humilhar os valentões era aprender a bater uma bola, pois se assim até o Amaral ganhou o respeito de geral e conseguiu comer várias minas gostosas, ele também poderia.

Após muitos treinos, Kuyt aprendeu o básico do futebol, passando a jogar na várzea como atacante, pois a sua cara feia assustava até os zagueiros gigantes. Assim ele conseguia fazer muitos gols, o que chamou a atenção de uma equipe local bem bosta, quase amadora, chamada Utrecht. Não podendo desperdiçar a oportunidade, Kuyt aceitou a proposta de jogar por uma cesta básica, e passou a defender as cores do clube.

Carreira[editar]

Utrecht

Em suas primeiras partidas por sua nova equipe, Kuyt mostrou que era um jogador diferenciado, pois conseguia dominar uma bola e acertar passes de dois metros, algo que seus companheiros de noventa quilos não conseguiam. Sua habilidade era comparável a do grande Finazzi, pois atuava como um cone do ataque, metendo gol pra caralho.

Após alguns meses de boas atuações, vários gols impedidos e muitos cruzamentos pra anão, Kuyt estranhava que não recebia propostas de clubes minimamente decentes, que possuíam pelo menos um CT. Isso era porque os dirigentes dos melhores clubes da Holanda nem sabiam que o Utrecht existia, mas após mais alguns anos (e muitas orações) um olheiro perdido do Feyenoord viu uma partida do et, achou ele promissor, e mandou uma proposta pra ele.

Agora com algo bom em mãos, podendo dedicar-se exclusivamente para o futebol e não mais precisando fazer bicos como monstro em festas infantis, Kuyt foi pras categorias de base de uma das principais equipes do país, pra ser vice do Fenerbahçe.

Feyenoord

Kuyt, o da direita, fazendo cosplay do Sloth do Goonies.

Kuyt chegou no Feyenoord em 2003, pois a equipe passava por uma reformulação, leia, geral se mandou porque eles não tinham dinheiro pra pagar os salários milionários. Não tendo ninguém pra botar como atacante, papel que estava sendo exercido pelo roupeiro da equipe, o treinador, papel que estava sendo exercido pelo vendedor de algodão doce, escalou Kuyt como titular, botando seu futuro nos pés dele.

A aposta surtiu efeito, jogando como atacante impedido, Kuyt ficava na banheira e fazia vários gols ilegais, que os bandeirinhas não anulavam porque estavam com pena da situação do Feyenoord. Após algumas boas partidas, que salvaram a equipe do rebaixamento no estadual, algo que até pouco tempo era improvável, Kuyt ganhou a braçadeira de capitão feita com material reciclável, e virou o dono da equipe, o que não significava muita coisa.

Em 2005, em reconhecimento as suas bonitas atuações que contrastavam com sua cara feia, Kuyt recebeu algumas propostas para atuar em equipes medianas da Europa, mas recusou todas, pois na Holanda ele era considerado como um rei pela torcida, e a galera deixava ele passar na frente na fila do puteiro, além dos donos de boate darem bebidas grátis pro et.

Mas na temporada seguinte, o Liverpool da Inglaterra fez uma oferta irrecusável, além dos salários pagos em dia, eles ofereceram um reparo completo na nave espacial que Kuyt usou pra vir pra Terra. Não podendo recusar algo assim, ele aceitou, e mudou-se pra cidade dos Beatles.

Liverpool

O bicho é feio, mas tem várias novinhas no pente... Temos que ir pro Liverpool também.

Assim que Kuyt chegou no Loserpool, ele ganhou logo uma vaga como titular, pois a equipe estava em crise, após perder o Mundial de 2005 pra uma equipe brasileira insignificante. Por lá, fez dupla de ataque com Fernando Torres, e ficava puto, pois enquanto sua função era brigar com os zagueiros e fazer pivô, a função de Torres era bem mais simples, era só pegar as sobras, fazer gols e ficar com a fama.

Mesmo com a boa dupla de ataque, o Liverpool foi eliminado de todas as competições, sendo humilhado até por equipes da terceira divisão inglesa. Precisando reformular o esquema antes que os dirigentes pedissem sua cabeça, Rafael Benítez desarmou a retranca e passou a atacar em busca de gols mesmo, num esquema kamikaze, montando uma estrategia com dois caras abertos e três atacantes avançados. Assim, coube a Kuyt a função de ser um dos abertos, correndo pra caralho e fazendo os cruzamentos pros atacantes.

O problema é que Kuyt, apesar de fazer bem a parte da corrida, nunca aprendeu como cruzar uma bola, e fazia vários cruzamentos pra anão, daqueles que consagram zagueiro, e por isso o esquema armado foi uma bosta que não surtiu efeito algum, e o Liverpool continuava perdendo.

Após muitos ânus vendo o time brigar lá na metade da tabela, nunca almejando nada de importante, os dirigentes pacientes do inglesão perderam a paciência, e mandaram Benítez embora, botando o Senhor Waldemar no lugar, pois era um homem de confiança nossa no momento. Agora sob o comando de um bom treinador, que o botou novamente como centroavante, Kuyt voltou a render bem, fazendo os seus golzinhos impedidos.

Fenerbahçe

Transferiu-se para o clube turco em 2013, sendo um dos poucos estrangeiros do time que não são ou eram brasileiros (hoje em dia os brasileiros preferem jogar na Ucrânia por causa da vodka, loiras e custo de vida melhor, para eles é claro). Ele ganhou muitos títulos nacionais e chegou à marca de 250 gols na carreira (parabains, e foda-se).

Feyenoord

Um bom filho à casa torna, e não foi diferente pra Kuyt. Com a promessa de só se aposentar quando ganhar um título relevante, Kuyt mofou no banco do time holandês até ganhar uma Eredivisie em 2017 e encerrar de vez sua combalida carreira.

Seleção Holandesa

Neste dia não teve alegria pro povo brasileiro, só suco de laranja feito por Felipe Melo.

Na Seleção Holandesa, Kuyt jogou na Copa de 2010, tendo sido convocado pelas suas atuações como atacante de área, mas como o técnico Bert van Marwijk não botava mais do que um atacante em sua equipe, vaga esta ocupada por Van Persie, Kuyt acabou tendo que ir pra meia-direita se quisesse ficar entre os titulares. E assim o fez, fazendo vários nadas nas primeiras partidas, na verdade o seu único lance na Copa inteira foi a escorada de cabeça pra Sneijder virar o jogo pra cima do Brasil e foder com os canarinhos, que não levaram alegria pro seu povo neste dia, deixando o hexa pra 2014, ou não.

Na final, Kuyt, assim como seus companheiros, respeitou a tradição de seu país, e foram vice mais uma vez, desta vez para a Seleção Espanhola, que ganhou com um golzinho chorado de Iniesta.

Após comemorar mais um vice de seu país, Kuyt continuou defendendo o seu país, sempre pela ponta direita, mas no resto dos campeonatos foi só decepção. Na Euro 2012 se machucou e perdeu a vaga de titular para o semi-idoso Arjen Robben e o garoto Ibrahim Afellay. Na Copa de 2014, ele teve que jogar em tudo que é posição, por falta de jogadores à altura. Jogou de meia-lateral, atacante, centroavante, lateral esquerdo, massagista e gândula, mas mesmo assim a Holanda parou nas semifinais contra a Seleção Argentina e teve se contentar em golear o Brasil na disputa pelo bronze. Desiludido com os rumos da laranjinha, Kuyt anunciou sua aposentadoria da seleção, dando espaço pros mais jovens e bonitos.