Disgaea

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Desgraça
Beauty queen etna.jpg
Capa de uma história interessante de Disgaea
Gênero RPG
Desenvolvedor Nippon Ichi Software
Publicador Vários, depende o país
Plataforma de origem Playstation 2
Primeiro lançamento Disgaea: Hour of Darkness (2003)
Último lançamento Disgaea 5: Alliance of Vengeance (2015)

Disgaea é uma série de jogos com mensagens subliminares de satanismo e putaria, cheia de demônios e mulheres usando trajes indecentes. Na verdade, nem é tão subliminar assim, mas como os gráficos são fofinhos e os personagens têm uma aparência infantil, qualquer desavisado pensa que o público alvo são as crianças. Poderia até ser, mas quem realmente curte jogar essas porcarias são os pré-adolescentes que estão recém descobrindo o universo mágico da masturbação e ficam excitados com qualquer merda, incluindo o elenco feminino lolicon que está presente em Disgaea.

Jogabilidade[editar]

Como em todo jogo de RPG, o jogador tem objetivos a serem cumpridos através de missões cujo resultado influenciará no rumo que a história vai tomar. Quer dizer, influencia mais ou menos, já que na verdade todos os finais já estão pré-programados. Mesmo assim, Disgaea teve sua jogabilidade muito elogiada por ser mais complexa do que o esperado, afinal, todos pensavam ser um joguinho besta feito para criancinhas. Os gráficos e a trilha sonora também fizeram sucesso, mesmo sendo uma suruba escrota de personagens em 2D e cenários 3D, tudo isso embalado ao som de músicas emo indie ao fundo.

Enredo[editar]

Crystal Clear app xmag.pngVer artigo principal: Disgaea: Hour of Darkness
Uma cena secreta em que as garotas aparecem de biquíni na praia. É isso o que você queria ver, não é?

A historinha se passa em Neverland Netherworld, um mundo habitado por demônios, cujo príncipe Laharl foi envenenado por Etna, uma demon girl retardada, e passou cerca de dois anos adormecido, até que ela teve a boa vontade de acordá-lo para informar que seu pai, o rei Krinchevskov (ou algo parecido) morreu por ter se engasgado enquanto comia um bolo. Sim, isso é muito escroto e parece até uma das piadas forçadas às quais você já deve estar acostumado de ler aqui na Desciclopédia, mas pior que o enredo realmente é assim mesmo.

Laharl agora precisará ser submetido a um rigoroso treinamento, por livre e espontânea pressão, para tornar-se digno de ser o novo rei dos demônios e substituir seu falecido pai. Convenhamos que não deve ser muito difícil superar as habilidades de um idiota que morreu comendo bolo...

Auxiliado por Etna, Laharl parte em sua jornada, mas durante a epopeia eles acabam conhecendo Flonne, uma angel girl que foi enviada à Terra para matar Krinchevskov. Como segue o típico estereótipo das loiras burras, ela é tão incompetente que chegou ao Netherworld com dois anos de atraso, estando o rei já falecido. Sem nada melhor para fazer, antes de retornar ao céu Flonne desenvolve uma obsessão por Laharl e desembesta que irá conquistá-lo, sendo que o dito cujo está cagando e andando para ela.

Recepção[editar]

O primeiro jogo da série fez um sucesso inexplicável entre os otaku, o que rendeu fama e notoriedade à até então desconhecida produtora Nippon Ichi. Desde então, os jogos de Disgaea começaram a pipocar ao longo dos anos, gerando inclusive adaptações para outras mídias, como anime, mangá e livro. As personagens femininas colecionam uma legião de admiradores doentes e tarados, principalmente Etna, que mesmo sem ter peito nem bunda é uma das mais homenageadas manualmente, se é que você me entende.

v d e h
Disgaea logo.png