Divórcio

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Juiz.jpg Certifico, a quem interessar possa e para os devidos fins, que este artigo trata de assuntos chatos jurídicos

Data venia, se você tiver alguma informação adicional a trazer aos autos, protocole uma petição solicitando a juntada de uma procuração que outorgue a você poderes para tanto, ou clique aqui.
Wikisplode.gif
Para os neo-ateus que preferem acreditar em mentiras, os supostos experts da Wikipédia têm um artigo sobre: Divórcio.
Não, isso não é um divórcio. Apenas o velhote aí falhou no ato.

Cquote1.png Você quis dizer: respawn Cquote2.png
Google sobre Divórcio
Cquote1.png Divórcio é liberdade!!! Cquote2.png
Você sobre sua mulher, quando você pediu o divórcio.
Cquote1.png Divórcio é prejuízo Cquote2.png
Você sobre sua mulher, pouco depois do divórcio assinado. É que ela ficou com 50% dos seus bens, além de uma pensão vitalícia BEM gorda. Gorda tipo: mais gorda do que ela e sua ex-sogra juntas.
Cquote1.png Já entrei pro Guiness Book. Cquote2.png
Gretchen sobre quantidade de divórcios
Cquote1.png Tou chegando lá! Cquote2.png
Fábio Jr. sobre o mesmo da citação acima
Cquote1.png Pague o aluguel, digo digo, minha PENSÃO! Cquote2.png
Sua ex-mulher sobre o dinheiro que agora não te pertence mais e sim a ela. Pague o dízimo dela LOGO ou você irá pro inferno xadrez...
Cquote1.png Eu garanto que com bons honorários você pode tomar TUDO que esse vagabundo tem... Cquote2.png
Advogado sobre querer pegar de honorários aproximadamente apenas 75% desse TUDO que ele falou que iria pra você.

O divórcio (do latim divortium, derivado de divertĕre que significa “se divertir pra cacete”) é quando duas pessoas (ou mais, se estivermos falando em poligamia) decidem dar uma banana uma pra outra após anos de casamento e falam “enfim sós!”, só que com um sentido bem diverso ao de duas pessoas num motel prontas pra virarem uma só. É uma das três maneiras de dissolver um casamento, além da morte de um dos cônjuges. Bem, eu copiei essa frase da Wikipédia e não entendi o sentido. É que se são TRÊS maneiras, cadê a terceira?

O processo que leva ao divórcio pode envolver diversas questões como partilha (ou roubo mesmo) de bens, poder paternal (ou seja, quem vai criar os muleques na Bolsa Família), pensão alimentícia (e é aí que a porca enche o bucho - não, ela não torce o rabo), entre outras picuinhas que sempre um divórcio gera. Além é claro da parte mais importante, especialmente se for um casamento de gente famosa (e até mesmo se for uma subcelebridade): os HOLOFOTES. Você acha que casamento atrai atenção da imprensa faminta? Ok, ok, mas um divórcio SEMPRE esquenta mais.

Depois que mudaram a lei do divórcio, tornando-o imediato caso o outro solicite, A PORRA FICOU SÉRIA!

O divórcio pode ser causado por diversas causas causadoras, entre elas: trairagem, vontade de tomar o dinheiro do outro, trairagem, descobrir que um dos cônjuges é profissional do sexo ou ator pornô, trairagem, vontade de dar o golpe do baú, descobrir que um dos cônjuges gosta da outra fruta (no caso de casais que já curtem a outra fruta, é quando descobrem o contrário), trairagem, frescurite aguda de uma ou ambas as partes, vontade de experimentar novas aventuras, trairagem, trairagem, cansaço de ver a cara de bunda do parceiro, cansaço de sentir o bafo ou o peido do parceiro, trairagem, vagabundagem, ver que o parceiro está cada dia mais gordo e pançudo, pressão da filha duma puta da sogra que fica destilando o veneno de naja dela, trairagem, putaria, falta do que fazer, querer aparecer pra mídia e por fim, aquilo que é o pior motivo, mas quase sempre esquecido, que é a trairagem. Resumindo toda essa ENORME frase inútil: tudo é culpa da trairagem.

Normalmente se consegue divórcio num tribunal, que é a coisa mais chata do universo, só perdendo pra épica batalha entre um Metapod e uma Magikarp. Apesar disso em alguns países, como Portugal e Brasil, existe o chamado "divórcio amigável", que na realidade é só uma lenda urbana pior do que acreditar em Papai Noel, haja vista que todo divórcio acaba em merda jogada no ventilador central.

Os bens do casal no meio do divórcio são divididos de forma a respeitar como o casamento começou. No final das contas isso significa que os bens serão disputados no tapa, nas agressões verbais e em casos extremos (que correspondem a 90% deles) na base da bala. Os países em que essa prática é mais comum são Estados Unidos, Tumor Leste e Reino da Cocada Preta, com 78635% de casamentos terminados dessa maneira. Em contrapartida os lugares onde o divórcio menos ocorre são o Céu e o Inferno. No primeiro porque ninguém casa mesmo. No segundo, é porque o tormento começa pelo casal não poder se separar de maneira nenhuma. MWAHAHAHAHAHA!

Divórcio no Brasil[editar]

Gretchen e seu 2541265º casamento - e consequentemente seu 2541265º futuro divórcio. Note a cara de preocupado do empresário que está casando com ela ao perceber que CERTAMENTE aquilo vai terminar em merda. E em PENSÃO!

No Brasil o divórcio só passou a existir de facto em 1977. Antes disso só tinha mesmo como opção viver sendo chamado de traíra e o outro de corno. Bem, isso ainda é verdade, óbvio, mas ao menos hoje em dia é oficial, sem ser NECESSARIAMENTE uma traição. Apesar que qualquer idiota sabe que foi mesmo, foda-se. Desde 2007 o divórcio inclusive se tornou ainda mais fácil, bastando àquele que deseja se divorciar procurar um advogado e pedir a separação. Isso explica a enorme quantidade de casamentos com advogados como convidados especiais (em alguns casos até como padrinhos!).

Divórcio em Portugal[editar]

Os portugas já podem se separar completamente desde 1910 (nisso eles não foram nem um pouco burros, ao contrário do Brasil que demorou quase 70 anos a mais para fazer a mesma coisa). Lá na terrinha entretanto divórcio provavelmente não é por trairagem, já que adultério lá é crime e dá cadeia (é, vai por chifre na tua mulher por lá pra tu ver o que é bom!). A Igreja Católica até tentou melar as calças, ou melhor, as coisas lá ao inventar uma lei em 1940 impedindo quem casou na igreja de se divorciar (culpa do vagabundo do António de Oliveira Salazar), mas em 1975 com a Revolução dos Cravos que brigaram com as rosas a liberação se soltou de vez.

Actualmente lá existem dois divórcios diferentes: um quando ambos encheram o saco um do outro e se separam; e o que um dos cônjuges não quer largar o queijo de jeito nenhum. Nesse último caso as coisas lá se resolvem com uma multa de mais de 500 euros e caso o imbecil insista em querer dizer que tá casado com a outra pessoa, são permitidas todas as medidas cabíveis ao caso...

Divórcios famosos[editar]

E um caso curioso, o qual eu dou todo o apoio à ex-mulher neste caso:

Porque sinceramente, levar a mãe pra lua-de-mel é coisa de fracassado e débil mental, filhote!

Consequências[editar]

Pergunte ao Alexandre Pato as consequências... Aliás, esse chocolate belga importado é uma delas... E PÁRA DE BATER BRONHA PELA STHEFANY, senão você pode ser o próximo...

Todo divórcio sempre acaba basicamente em:

  • Ódio generalizado contra a sogra, o sogro e o cunhado, considerados culpados pelo ocorrido;
  • Ódio ainda maior pelo Ricardão e pela Fernandinha que viviam aparecendo na casa pra ficar na cozinha ou no banheiro sozinhos com um dos cônjuges do sexo oposto fazendo só Deus sabe o que;
  • Cadeia pra quem não paga as pensões milionárias (não é mesmo, Romário?);
  • Ciúme excessivo de uma ou ambas as partes, podendo terminar no cemitério;
  • Impressionante capacidade de voltar à mídia depois de anos no total ostracismo ao se separar de um casamento (Gretchen é especialista nisto);
  • Empobrecimento total de uma das partes (e consequente enriquecimento repentino da outra);
  • Aumento de número de papéis nos cartórios por conta do aumento de divórcios;
  • Aumento de estresse dos juízes de paz e dos advogados que precisam de paciência de pra conseguir chegar a um acordo o mais amigável (ou melhor, menos fudido) possível para satisfazer ambas as partes;
  • Aumento de vendas no bar da esquina de cachaça e uísque.

Ou seja[editar]

Se casar, não se divorcie. Ou melhor: NÃO CASE! E se beber, não case MESMO!!! Isso foi uma piada putamente forçada, mas que se foda!

Ver também[editar]

Mirror2.jpg Conheça também a versão oposta de Divórcio no Mundo do Contra:

Espelhonomdc.jpg