Divinópolis de Goiás

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Divinópolis de Goiás é um lugar totalmente chato e sem graça nos confins do Goiás, tão feia e inútil quanto o próprio nome e o povo. Vale lembrar que não é uma Divinópolis qualquer, é de Goiás! Que isso piora ainda mais.

História[editar]

Uma famosa dupla sertaneja local.

Segundo histórias que o povo conta, Divinópolis foi fundada em 1880, a partir de uma tal Fazenda Galheiros, controlada pelo próprio Renan Calheiros que a usava como um meio de lavar dinheiro. Aquela oportunidade de trabalho fácil atraiu muitos baianos que depois ficaram com preguiça, armaram suas redes e iniciaram a formação de um povoado.

Mais tarde, alguém teve a brilhante ideia de construir uma capela a São João Batista, o padroeiro dos desocupados. As festas que duravam 3 meses atraíram mais gente à toa para aquele local, com isso um bom fiel doou 257 alqueires de seu roçado para o santo milagreiro. Com isso se formou o tosco vilarejo de São João de Galheiros, devido à grande quantidade de cervídeos (viados) que habitavam a rica vegetação da região.

Conseguiu sua independência em 1966, mas como ninguém se importou, eles continuam sendo a mesma merda de antes.

Economia[editar]

A economia de Divinópolis é inteiramente baseada na agricultura e no cultivo de cana-de-açúcar, destinada à fabricação da legítima caninha Ypiroca em Anicuns.

Geografia[editar]

Localizada na Mesorregião Paranaense, Divinópolis é subdividida em 314 fazendas. Por ser feita basicamente de barro, especula-se que o desenvolvimento ainda não chegou por aquelas bandas.

População[editar]

População de 5.344 cortadores de cana e picadores de fumo. A sua população é bastante baixa por causa dos baianos que ficaram com muita preguiça de se reproduzirem (preferiam dormir).