Divino (Minas Gerais)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Divino, uma cidade propícia ao Ecoturismo!

Cquote1.png Não é tão pequena... Cquote2.png
Geógrafo sobre Divino (Minas Gerais)

Divino (Minas Gerais) é uma cidade de Minas Gerais que acabou parindo uma série de outras cidades (duas, no máximo) e não foi exatamente "parir" foi mais emancipar mesmo. A cidade é corrupta tanto que para emancipar Divinésia um juiz cobrou só um boquete de um dos divinesianos. A partir daquele dia, o juiz virou Gay e cobrava um boquete ou algo mais para casos no tribunal.

História[editar]

Conta-se que certa vez uma turminha de tropeiros e padres estavam caminhando procurando um bom lugar para fundar uma futura cidade fracassada. Acontece que por onde eles passassem tudo fedia a esterco de Bois, porém os padres tinham ordem de se ocorresse uma intervenção divina eles teriam que fundar a cidade onde ocorreu a intervenção.

E foi assim, eles estavam caminhando pelo lugar mais fedido com cheiro de cocô de boi quando encontraram uma tribo indígena do outro lado do rio, os tropeiros começaram a se cagar de medo e os padres só podiam levantar a bandeira e esperar a intervenção divina. Após cinco minutos com a bandeira levantada e os índios preparando os arcos e flechas para atacar ouve-se um barulho.

Da copa das árvores sai um disco voador, os índios saem correndo e acabam achando que era um Santo ou algo do gênero salvando-os, mas o disco abduz alguns tropeiros e os leva para longe. Após essa situação estranha os padres fundam uma capela bem ali naquele rio, para se defender dos índios eles sempre hasteavam a bandeira, mas não era a mesma coisa.

Então, por causa desse milagre divino deram "Divino" como nome da cidade por ser um nome "Maneiro".

Cidade[editar]

A prefeitura de Divino, note como foi bem elaborado a arquitetura do edifício.

A cidade é conhecida por ter tudo o que uma cidade pequena pra caralho deve ter: um bêbado (que será conhecido como "o bêbado da cidade"), alguém que dá o rabo (geralmente o bêbado, pois o Ânus de um bêbado não tem dono) e uma fofoqueira da cidade (que espalha as fofocas para todos) então se tem todas as personalidades para que aquilo seja uma briga enorme que não interessa ao mundo.

Há também as pessoas que lidam com pessoas todo o dia, os funcionários de locadora por exemplo, eles se complicam pois em uma cidade em que a cada 5 minutos uma pessoa reconhece outra eles tem que se lembrar. Principalmente se for um Padre ou algo assim. Em cidade com 20 mil habitantes há outra coisa muito comum: playboys.

Geralmente, pessoas babacas como o Lanterna Verde, eles fazem uma batalha de sons em frente a igreja e atrapalham a missa, por isso eles estão tendo uma "crise no setor".

Por fim, temos os caipiras, que toda a boa cidade interiorana e mineira tem, eles são os gordos que ficam sentados na frente da varanda com uma cerveja na mão todo dia, são as pessoas que dão audiência a Record e ao SBT e são os que comem pão de queijo.

Ver também[editar]