Dom Casmurro

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Você quis dizer: Dom Cornuto Cquote2.png
Google sobre Dom Casmurro
Cquote1.png Você quis dizer: Capeituda Cquote2.png
Google sobre Capitu
Cquote1.png O Escobar tá com uma bunda gostosa, não? Cquote2.png
Capitu sobre Escobar
Cquote1.png Eu também acho... Não... quer dizer... Isso são modos de uma esposa, Capitu?! Cquote2.png
Bentinho sobre comentário acima
Cquote1.png Eu sei tudo sobre esse livro! Eu assisti Capitu na globo! Cquote2.png
Iludido, que assistiu aquela minissérie de merda, de 4 capítulos, e acha que já entende tudo
Cquote1.png Eu sei como é. Cquote2.png
Euclides da Cunha sobre D. Casmurro

Isso só podia ter sido escrito pelo Machado

Cquote1.png Ela traiu ou não traiu? Cquote2.png
Qualquer um sobre D. Casmurro
Cquote1.png Não sei se a Capitu traiu ou não. Agora eu sei que o Bentinho comeu a Sancha! Cquote2.png
Você sobre D. Casmurro
Cquote1.png Pesquisas relacionadas: Chifres, boi, galhada Cquote2.png
Google sobre D. Casmurro

Dom Casmurro é um personagem marrento, corno, inescrupuloso, canalha e brigão do romance de Machado de Assis, aquele escritor carioca que nasceu no Morro do Livramento, era mulato, gago, epléptico, tinha um olho de vidro, era meio surdo e fumava escondido da mãe.

Personagens principais[editar]

  • Bento Santiago ("Bentinho" para os íntimos, Dom Casmurro depois da descoberta do chifre), protagonista e chifrudo nas horas vagas.
  • Capitolina ("Capitu" para os íntimos, também para abreviar o ridículo nome), a esposa fiel da trama.
  • Escobar ("Ricardão" para os íntimos), é o "mui amigo" da história e o verdadeiro amor de bentinho, curte furar o olho do Casmurro. Seu sonho é fazer sexo a quatro com o Bentinho, Capitu e a Sancha
  • Ezequiel (Vulgo "filho que não parece com o pai"), o filho do Bento com a Capitu, embora mais pareça filho do Escobar. Quem sabe...
  • Sancha (sem alcunha também), personagem mais que esquecida da trama, é a esposa/corna de Escobar e a melhora amiga de Capitu. Só colocada aqui para lembrar que existe.

Personagens secundários[editar]

Servem pra encher linguíça, e tornar a história mais longa, como a mãe de Bentinho Dona Glória, prima Justina, tio Cosme e o parasita agregado José Dias, cada qual tendo tanta importância quanto Sancha.

Introdução[editar]

D.Casmurro sobre Inri Cristo:MEEEU PUAIIIII

Já vamos avisando para você que passou a vida inteira lendo Gibi da Mônica e jogando MMORPG, você que assistiu a minisérie Capitu na globo, enfim, você que nunca tocou em um livro ou leu um jornal; que é bem provavel que um burro como você não entenda porra nenhuma de merda nenhuma esse artigo.

Casmurro[editar]

O "D" de Casmurro significa "Dom", mesmo, e não "Dona" (sua violência sem limites não admite enganos). Bentinho ganhou este apelido porque quando via sua esposa Capitu, uma vadia com olhos de cigana dissimulada, dando bola para algum vizinho, costumava entrar casmurro, caschute, casdentada e o que viesse pela frente, mas na frente da esposa era geralmente uma menina, e virava "Bentinho".

Relacionamentos[editar]

Capitu era chegada a uma cachaça das boas , fato que Bentinho imortalizou em sua memória. Era uma alma sebosa que, de tanto chifrar o marido, sobrou até para o melhor amigo de Casmurro, Escobar. Para fugir da ira cega do corno (ou será corno cego?), Escobar partiu para a Colômbia e assumiu a identidade de Pablo, largando o serviço arriscado de comedor das esposas alheias e negociando contratos mais amenos e lucrativos, como tráfico de drogas. Antes de morrer de uma chifrada desferida pelos cornos do marido de Capitu, numa última provocação, asseverou ao marido que o filho de ambos os dois não era exatamente de ambos os dois, mas podia ser de ambos os três: dela, de Casmurro... e do Escobar! (mas podia ser também de um comandante das Farc, do açougueiro, do Zé das Couves, do nhô Tertuliano...).

A história[editar]

Toda essa putaria começa quando nasce um emo chamado Bento Santiago, como na época não havia cds do Simple Plan, nem Good Charlotte, nem nenhuma dessas merdas, ele passava os dias lendo poemas do Álvares de Azevedo e Almeida Garret, que é a mesma viadagem. Sua mãe havia pedido a Deus que, se lhe enviasse um filho Homem que decepção, prometia trancá-lo num convento. Até que um dia conhece a filha do Mestre kame velho tartaruga que era uma ninfeta de olhos de cigana obliqua e dissimulada que no bom portugues quer dizer vadia puta ordinária biscate à toa. Com Capitu, menina já despertada ao sexo madura e Bentinho viadinho menino puro e ingênuo, já estava formado o futuro casal. Porém, um dia, quando Bentinho estava brincando de boneca com Capitu (obs: Bentinho não era o papai), o vagabundo agregado da casa, José Dias, percebe que mais cedo ou mais tarde Capitu iria acabar dando para se tornando amante de Bentinho. O conflito de interesses surge, porém, porque ele nunca foi chegado na coisa sua mãe precisava pagar a promessa.

O romance[editar]

Bentinho e sua amada, Maria Fernanda Candido Capitu, em alguma dramatização novelística

A paixão de Bentinho pela amada surge na adolescência. O cara tinha 15 anos (ela catorze) e além de virgem ainda era B.V. Por isso ele quase morre quando finalmente consegue um beijo (dado por ela, o cara era mole!). Capitu se insinua a Bentinho mais do que puta em esquina movimentada e o cara tinha mais medo do que o Clodovil de mulher. Mas finalmente ele sai da secura (pelo menos no beijo) quando Capitu finalmente (vendo que se dependesse dele demoraria pra sair alguma coisa) resolve dar (no bom sentido! hum... que bom sentido teria DAR?) um beijo nele. E ainda assim ele saiu se achando o maior cabra ômi da parada, sendo que foi ela que partiu para o ataque. Quando vai pro seminário continua a receber cartas picantes de Capitu e do que ela faria com ele quando saisse do seminário, o que fez ele endoidar ainda mais e arranjar um "bode expiatório" que o substituísse na promessa de sua mãe, finalmente podendo casar com Capitu.

A traição[editar]

Capitu e o seu filho com Escobar Bentinho (Ou não).

Esse sim é o verdadeiro dono do chapéu de chifres, tanto que foi enganado até a morte! Até a morte do amigo Escobar! Tanto que só no velório dele que Casmurro percebeu que sua cabeça pesava mais que o seu corpo todo. Na história Bento se diz desconfiado de que o seu melhor amigo Escobar teria tido um caso com Capitu. Ele diz sentir-se traído. O difícil é saber por quem, visto que ele, que é o narrador da história, nos descreve Escobar como se ele fosse um “bofe”, dizendo que apertou seus braços e os achou fortes e tudo mais. Uma biba! Mas alguns fatos são inegáveis:

  • Quando Bentinho foi ao teatro, a esposa "doente", preferiu ficar em casa. Quando ele chegou, encontrou Escobar saindo da casa dele. Será que escobar foi dar algum "remedinho quente" pra Capitu sarar logo?
  • Quando Escobar morreu, porque ela era a única que não demonstrava tristeza, enquanto sua amiga Sancha estava aos prantos ao lado do presunto?
  • O moleque deles, porque era parecido com o vizinho e tinha os mesmos gestos e costumes que o falecido?
  • Porque, ao invés de questionar Casmurro sobre o assunto e negar a possível traição, aceitou ir embora numa boa? Será que é porque quem cala consente?

Galeria, diretamente da Vênus Platinada Globo[editar]

Ver também[editar]