Dona Cegonha

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Kanji Galo.jpg Dona Cegonha é uma ave

Este artigo é sobre um bicho que voa, tem penas e asas (ou não).

Se vandalizar, um pombo fará um ninho branco na sua cabeça!


250px-Wario WWare.gif Este artigo é sobre um personagem secundário!

Quase ninguém sabe da existência deste zé ruela que só serve pra encher linguiça na trama e provavelmente está morto. Se bobear, nem no Google tá!

Clique aqui para ver gente que só fãs alienados conhecem.


Cquote1.png Você quis dizer: Ave parteira? Cquote2.png
Google sobre Dona Cegonha

Dona Cegonha fez mais uma entrega bem sucedida!

Cquote1.png Experimente também: Pica-Pau Cquote2.png
Sugestão do Google para Dona Cegonha
Cquote1.png Você vai reencarnar! Cquote2.png
Dona Cegonha sobre Algum fantasma
Cquote1.png AAAAAAAAAAAAAAAAAAAA! Cquote2.png
Qualquer fantasma que recebeu a notíca da Dona Cegonha

Apresentação[editar]

Marabu bonzinho.gif
Cegonha má.gif

Voadora, calada e com somente um único objetivo na Terra (e uma frase nos quadrinhos), Dona Cegonha interpreta o papel mais chato importante entre os personagens da Turma da Mônica (se não do mundo em sí), sendo tão importante que acabou ficando entre os personagens mais secundários possíveis, sendo inclusa na Turma do Penadinho (uma grupo de mortos-vivos que vivem a reclamar de tudo na vida morte, como se algo ainda os atingisse), somente para não tirar o foco dos personagens protagonistas de Maurício de Souza, o criador de toda essa joça.

Tendo a sua morada nos âmbitos celestiais, foi uma grande criação feita por Deus, para determinar as pessoas que irão reencarnar do cemitério para a Terra e levá-las (ainda bebês) para as suas respectivas residências. Claro que isso tudo é somente para não entrar no âmbito sexual da fecundação, afim de não poluir a mente de nossas crianças, fazendo-as acreditar que são trazidas por uma ave até os seus pais (e não que foram geradas durante aquele sexo casual, no banco de atrás do carro, depois daquela festa).

A Temida Cegonha[editar]

Pode até não parecer, mas essa ave é bem mais diabólica do que a própria Dona Morte!

Vamos pensar em uma situação bem divertida possível que poderia ocorrer a qualquer momento com você. Sim, que é a sua Morte que seria de muita utilidade para o mundo se ocorresse. A Dona Morte resolve lhe fazer uma (única) visita, somente pedindo para que você assine o caderno da morte dela, prometendo um descanço eterno, na mais completa Paz e quietude. Até que não é uma má ideia, não é? Certo que você não teria a oportunidade de fazer muitas coisas legais depois de partir dessa como: conhecer muitas pessoas interessantes, fazer uma faculdade que prestasse, perderia (finalmente) a virgindade, ou deixaria de conhecer a Desciclopédia (esse sim é o melhor que o mundo pode oferecer). Mas pense também no que você receberia em troca: ficaria longe de trabalho, não teria chefe, não ficaria com fome, poderia ir para onde quisesse e a qualquer momento, não seria casado, não teria filhos, não ficaria doente, não sofreria com um pinto salário pequeno e sua alma seria liberta para sempre (viu como a vida nos impede de muitas coisas?).

Não se deixe seduzir por esses olhos, Dona Cegonha é a mais temida criatura do Pós-morte!

Morto, você então estaria destinado a dois três lugares, dependendo do seu comportamento em Terra, ou o Céu, ou o Inferno, ou o Purgatório. Se você fosse para o Céu, ficaria só de boa. No Purgatório, sofreria um pouco, mas até que se acostumaria. Já no Inferno o caos poderia ser enorme, mas caso você goste de pegar um bronze, até que não seria tão ruim (ou não). Se você fosse para o Purgatório, poderia até virar um dos personagens de Maurício de Souza, vivendo em um cemitério com uma gangue de criaturas folclóricas mundiais, mas não muito vivas, porém sendo feliz (ou pelo menos achando que está). Entretanto, imagine tudo isso vindo abaixo com a chegada da Dona Cegonha, que, trazendo a sua lista abençoada, chamaria o seu nome, tranformaria-o em um bebê e o levaria em seu bico para os seus novos pais (que, sabe-se lá se planejaram ter você). Será que seria bom, largar todos os benefícios, que você tinha estando morto, para seguir uma ave que sabe-se lá de que buraco saiu? É por isso que, depois que a pessoa morre, todos temem a Dona Cegonha, sua simbologia para os vivos pode até significar felicidade, mas para os mortos, é mais do que um castigo.

Nas histórias do Penadinho, Dona Cegonha aparece somente com uma única frase de ação, a Cquote1.png Você vai reencarnar! Cquote2.png (depois disso ela aparece como um animal mudo, que não fala mais nada além disso, a não ser estragar prazeres), jamais perguntando se o fantasma quer aquilo, se ela está preparado para isso, ou coisa do tipo, mostrando que o tal do "Livre Arbítrio" nem sequer existe depois da morte (ou se ele sequer existe durante a vida). Como uma personagem totalmente secundária, Dona Cegonha nem sequer aparece muito nas histórias e, quando aparece, não é uma produtora de grandes diálogos com os personagens quanto a Dona Morte, ou seja, jamais espere encontrar um gibi dela pelas bancas de revista, pois isso é praticamente impossível. É mais fácil você encontrar um conteúdo com a Dona Morte estampada na capa, do que com a ave representante da vida, alçando voos por alí (isso que eu chamo de preconceito com os nossos amigos de penas, mas fazer o quê? foi tudo ideia do criador dessa merda coisa).

Dona Cegonha x Dona Morte[editar]

Dona Cegonha em mais um fatídico dia de trabalho.

Quando ainda se tem muita coisa para aproveitar em vida, a Dona Morte torna-se a mais "indesejada" de todas, sendo aquela de quem fugimos e não queremos ver nem pintada de ouro. Porém, quando ela chega não tem como escapar, está tudo destinado afinal. Mas a Morte, da Turma do Penadinho, é uma mulher (acredita-se nisso pelo fato dela se chamar Dona) gente boa, amiga e que tem muito o que passar em vida morte, podendo nos ensinar coisas por toda a eternidade se possível. Quem sabe até se tornando uma grande amiga, com a qual podemos fazer confissões e andar lado-a-lado por todos os séculos sem fim. Sim, depois de mortos, acabamos sendo amigos da morte. Mesmo assim, tentando ser amiga de todos, a Dona Morte continua tendo uma grande arquinimiga, alguém que consegue anular os seus poderes mortificantes, fazendo com que tudo o que ela fez aquele corpo e alma seja desfeito como que por milagre, que é exatamente o poder contrário à morte (sim, exatamente isso, meu caro leitor, é o dom da vida! ORLY?).

O duelo entre as entidades! Dona Morte fala pra Dona Cegonha quem é a indesejável!

Ao chegarmos no nosso destino (que pensamos ser o final), pelo menos para quem acredita em "vida após a morte", chega um momento em que a Dona Cegonha, aquela ave que tem o poder de dar a vida a uma alma morta perdida no mundo dos espíritos, aparece por essas bandas para trazer o fatídito destino da reencarnação, para a pobre alma, que nem sempre deseja isso. Por esse motivo que, depois da morte, a Dona Cegonha acaba sendo a "indesejável" para todos os que habitam os três mundos, que nem sempre desejam voltar a sofrer os problemas que é viver. Nas histórias da Turma do Penadinho, é mais quem corre ao ver o bater de asas de Dona Cegonha pelo cemitério, principalmente o Fantasma sem joelhos, que é a alma mais antiga daquelas bandas e que já passou mais do que da hora de reencarnar. Quando ela aparece, com seu bico motumbístico e querendo levar o Penado, Dona Morte então se mete na conversa, impedindo que ela leve seu escravo amigo de lá. Mostrando um duelo entre a vida e morte, onde sabe-se lá quem é que vence.

Uma não suporta a outra, ainda mais que, se uma dá a vida a um ser, a outra pode finalizá-la rapidamente, porém, da mesma forma se uma corta a linha da vida de uma criatura, a outra pode automaticamente emendá-la. É como um ying-yang das histórias em quadrinhos, se bem que o destaque desses vai mesmo para a figura da Dona Morte (Maurício de Souza deve ser gótico), que ainda tem um foco maior do que a ave representante da vida, tendo capacidade suficiente de ter o seu próprio gibi, coisa que jamais aconteceria com a outra, que só aparece de tempos em tempos nos quadrinhos, sem falar de que suas falas se resumem ao seu bordão e nada mais (além disso, ela nunca ressuscita um personagem principal do cemitério, indo buscar somente os mais furrecas e que não fazem falta nenhum na historinha, quero ver o dia em que ela decidir ressuscitar a Alminha).

Curiosidades[editar]

  • Dona Cegonha é a carteira do mundo celestial;
  • Muitas vezes tem aspecto de macho, apesar de ser fêmea (ou não);
  • É forte pra caramba, haja visto que carregou a tua mãe quando criança;
  • Não fala mais nada além do seu bordão de Cquote1.png Você vai reencarnar! Cquote2.png;
  • Todos os mortos fogem dela quando ela aparece.

Ver também[editar]